O que faz você engordar?

Além das calorias a mais, descubra por que os quilos extras não somem

POR MINHA VIDA - PUBLICADO EM 31/01/2008

Atento às orientações dos especialistas em nutrição, você já sabe o que fazer para manter um cardápio equilibrado: fica de olho no valor calórico dos alimentos, privilegia nutrientes importantes ao organismo e evita os doces e as tentações fritas. Mas, nem assim o ponteiro da balança desce. O mistério certamente vai ser desvendado quando você consertar alguns outros hábitos que influenciam no ganho de peso. (Faça uma avaliação nutricional gratuita e receba cardápios diários ideais para você).

Para começar a explicação, a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella, imagina uma balança com dois pratos. Vamos supor que, em um prato, temos a quantidade de energia fornecida pelos alimentos. No outro, a quantidade de energia gasta pelo corpo , completa. A partir daí, três situações são possíveis.Em uma delas, os dois lados estão iguais, mantendo o equilíbrio do peso corporal. Quando o lado da energia consumida é maior, o aumento de peso acontece, pois o excesso é guardado em forma de gordura. O contrário acontece quando o lado da energia gasta é maior que o da consumida. É justamente este desbalanceamento que leva à eliminação dos quilos extras. (Mantenha seu cardápio longe dos mitos).

A conclusão é que a subida do ponteiro da balança realmente se dá por causa das calorias desnecessárias e não gastas. O engano está em achar que os culpados são somente os alimentos ricos nelas. Roberta esclarece que os nutrientes fornecedores de energia são quatro: carboidratos, proteínas, gorduras e álcool.

Sendo assim, não importa o tipo de alimento ou padrão alimentar seguido, mas sim, a quantidade deles. Se a ingestão de alimentos que oferecem bons nutrientes, como legumes, frutas, verduras e cereais integrais, for exagerada, o ganho de peso também vai ser notado. (Mate a vontade de comer bobagem).

Evidentemente que, priorizando os alimentos menos calóricos, é mais fácil economizar calorias. Ao comer um bolo recheado, você consome muito mais calorias do que comendo uma fruta. Por outro lado, se comer seis frutas pode chegar ao valor calórico do bolo , exemplifica a nutri.

Para emagrecer, é preciso dar preferência aos bons alimentos, mas, ao mesmo tempo, adequar a quantidade deles, garantindo que não haja excesso calórico. (Fuja da gelatina, sem deixar a sobremesa nem a dieta de lado).

Maus hábitos engordam
Somadas às calorias abundantes, algumas atitudes na hora de sentar à mesa juntam pontos a favor do excesso de peso.

Confira a lista, entenda como os maus costumes influenciam no ponteiro da balança e certifique-se que tais hábitos não fazem parte da sua rotina alimentar.

Jejum prolongado: ao passar muitas horas sem ingerir nada, a fome se acumula e você fica mais vulnerável aos abusos. Para driblar o inconveniente e evitar que os quilos a mais se instalem, a nutricionista do Minha Vida aconselha a dividir o menu diário em cinco refeições. Entre elas, café-da-manhã, almoço, jantar e lanches intermediários. (Volte ao seu peso normal sem passar fome).

Corte de refeições: o café-da-manhã costuma passar batido por muitas pessoas, apesar de se destacar como uma das principais refeições do dia. Os alimentos consumidos nas primeiras horas do dia quebram um longo período de jejum , esclarece Roberta Stella. Além disso, o café-da-manhã conta com a participação de alimentos fornecedores de nutrientes fundamentais para o bom funcionamento do organismo, como o leite e seus derivados, ricos em cálcio. (Monte um banquete de nutrientes no café-da-manhã).

Petiscar sem parar: o maior problema de não estipular horários para fazer as refeições principais e os lanches intermediários é que o descontrole pode te levar a beliscar o dia todo. O costume é atalho certo para o excesso de calorias, já que é fácil se perder na quantidade das porções ingeridas. (Petiscar entre as refeições arrasa sua dieta).

Não beber a quantidade ideal de água: além de hidratar o corpo, a ingestão regular faz com que a sensação de fome seja retardada. O consumo de, pelo menos, dois litros diários de água combinado com as fibras dos alimentos melhora a função intestinal , comenta a nutricionista sobre mais um beneficio da ingestão correta da bebida. (Águas saborizadas fazem dois litros parecer pouco).

Trocar água por sucos: embora os sucos naturais sejam boas fontes de nutrientes, eles não podem substituir a água livremente. Os sucos são calóricos e a ingestão excessiva não é recomendada. Para se hidratar nos intervalos das refeições, prefira água natural ou chá com adoçante. Os sucos podem entrar em cena nas refeições principais, não ultrapassando a medida de um copo de 200 ml , aconselha a especialista. (Explore as frutas e suas variações).

Comer rapidamente: deixe a correria de lado e reserve, pelo menos, 30 minutos para fazer suas refeições, em um ambiente calmo e agradável. De acordo com a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, ao se alimentar em pouco tempo, você deixa a textura e o sabor dos alimentos passar despercebidos. Outra agravante é que o cérebro não tem tempo suficiente de captar a sinalização de saciedade. Resultado: provavelmente, você vai consumir mais do que precisa.





Este conteúdo ajudou você?
Sim Não