Análise da retina revela diabetes na fase inicial

Aparelho mede alterações nos olhos, realizando o diagnóstico mais precoce

POR MINHA VIDA PUBLICADO EM 15/07/2008

Um aparelho que analisa a retina (membrana que recobre a face interna do olho e que contém as células capazes de captar os sinais luminosos) é a mais nova ferramenta dos especialistas no diagnóstico precoce do diabetes. Desenvolvido por cientistas do Centro Ocular Kellog, da Universidade de Michigan, o equipamento tira uma espécie de fotografia especializada do sistema ocular do paciente e analisa o estresse metabólico da retina, medindo a intensidade fluorescência celular no tecido.

São dois os indicadores da doença revelados na imagem: altos níveis da autofluorescência (uma propriedade que as células da retina apresentam quando estão sob sofrimento) e uma quantidade alem do normal de flavoproteína, um componente natural dos olhos. Entre os métodos disponíveis hoje em dia, o aparelho é o que consegue fazer o diagnóstico mais precoce da doença.

Saiba mais:

O que é diabetes?
Diabetes é uma doença crônica que ocorre quando o pâncreas não consegue produzir insulina suficiente ou quando o corpo não consegue utilizar a insulina produzida , afirma a chefe a equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella. Conseqüentemente, a quantidade de açúcar no sangue fica elevada, já que não há hormônios capazes de retirar o açúcar do sangue.

Há três tipos de diabetes.
Diabetes tipo 1: há uma baixa ou nenhuma produção de insulina.
Diabetes tipo 2: há produção de insulina mas a quantidade produzida não é capaz de retirar todo o açúcar do sangue.
Diabetes gestacional: desenvolvido durante a gravidez sendo que, na maioria dos casos, após a gestação, o diabetes desaparece.











Este conteúdo ajudou você?
Sim Não