publicidade

Alergia: você também tem?

Por Minha Vida - publicado em 27/04/2005


Atualmente muitas pessoas no mundo sofrem por alergia a alguma coisa e/ou produto. A alergia nada mais é do que a intolerância do organismo para certos agentes físicos, químicos ou biológicos, aos quais ele reage de forma exagerada.

O que acontece é que as células do sistema imunológico às vezes confundem uma substância alimentar com invasores perigosos. Nesses casos, o organismo pode desencadear reações alérgicas que vão de simples coceiras até problemas respiratórios graves.

Calcula-se hoje que 5% das pessoas sejam alérgicas a um ou mais alimentos. Uma coisa que surpreende é que os maiores causadores da alergia não são alimentos exóticos, como tâmaras e perdizes, mas aqueles que fazem parte da nossa dieta diária, como ovo, leite, trigo, etc. Quanto mais proteína tiver o alimento, maiores são as chances de desencadear uma alergia, isto é, na hora da digestão as moléculas de proteína são as mais difíceis de serem "quebradas" e às vezes entram inteiras na corrente sangüínea. Resultado: as células do sistema imunológico confundem essas moléculas com corpos estranhos, como vírus e bactérias, e acabam atacando. Esse confronto desencadeia as reações alérgicas.



Para descobrir qual é o alimento alergênico, o médico precisa verificar, através de vários tipos de exames, como:

* Análise do histórico clínico e familiar: é preciso saber com detalhes se existiam anteriormente outros sintomas alérgicos e a quais alimentos estavam relacionados. Filhos de pais alérgicos têm até 90% de chances de desenvolver algum tipo de alergia.

* Testes alérgicos cutâneos: sobre a pele do braço são colocadas substâncias que representam vários tipos de alimentos. As reações positivas sugerem a alergia, mas são dependentes de confirmação.



* Exame de sangue: o soro do paciente é colhido e confrontado com extratos de alguns alimentos. Pode ser feito no lugar do exame cutâneo, mas também depende de confirmação posterior.

* Teste de retirada e provocação: serve para comprovar os testes anteriores ou para quando o paciente não tem a mínima idéia do que pode estar provocando a alergia. Ele é orientado a mudar radicalmente a dieta por duas semanas. Se nesse período ele não tiver nenhuma crise alérgica, estará provado que o alergênico é algum alimento da dieta. A partir daí, o médico vai reintroduzindo os alimentos habituais, um a um, e checando as reações.










Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Shopping Vida Saudável

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."


Você está usando uma versão antiga do seu navegador :( Para obter uma melhor experiência, atualize agora!
X