Assistir televisão em excesso pode dobrar o risco de morte prematura

Passar mais de três horas por dia em frente ao aparelho já oferece ameaça, diz estudo

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 26/06/2014

Quando você chega em casa depois de um dia de trabalho duro, às vezes não há nada melhor do que relaxar no sofá em frente à televisão. Mas é melhor não fazê-lo por muito tempo - um estudo feito pelo Departamento de Saúde Pública da Universidade de Navarra, na Espanha, descobriu que passar três horas por dia na televisão pode dobrar o risco de morte prematura. Os resultados foram publicados em junho no Journal of the American Heart Association.

Pesquisas anteriores já estabeleceram uma ligação entre comportamento sedentário e aumento do risco de problemas de saúde. Neste último estudo, os pesquisadores queriam determinar como três tipos de comportamento sedentário - assistir à televisão, uso do computador e tempo passado dirigindo - influenciou de forma independente o risco de morte por todas as causas.

Para chegar a suas conclusões, a equipe analisou o comportamento sedentário de 13.284 universitários espanhóis saudáveis, que estavam com idade média de 37 anos. Os participantes foram acompanhados por uma média de 8,2 anos.

Durante o acompanhamento, 97 mortes ocorreram, dos quais 19 foram por doenças cardiovasculares, 46 foram por câncer e 32 eram de outras causas.

Os resultados mostraram que assistir à televisão por três horas ou mais por dia dobrava o risco de morte prematura por todas as causas, em comparação com os participantes que relataram assistir a 1 hora ou menos de televisão por dia. Este achado se manteve mesmo depois de levar em conta outros fatores que podem ter influenciado o risco de morte prematura.

Além disso, os autores afirmam não ter encontrada nenhuma relação significativa entre a quantidade de tempo gasto dirigindo ou utilização de um computador e aumento do risco de morte prematura por todas as causas, apesar de notar que é necessária mais investigação para determinar melhor este achado.

Segundo os cientistas, esses resultados sugerem que adultos deve considerar aumentar a quantidade de atividade física diária, além de evitar períodos longos sedentários e reduzir o tempo de televisão para nada mais do que uma a duas horas por dia.

Televisão é desculpa para vida social sem graça e saúde frágil
Filmes, novelas, telejornais, programas de auditório: a televisão traz informação, entretenimento, emoção e uma solução prática para as horas de tédio. Mas, se você abusa do aparelho, pode acabar prejudicando a sua saúde. "Precisamos guardar um tempo para trabalhar, estudar e se divertir", afirma o psicólogo Tiago Lupoli, da clínica CEAAP. "Ficar muito tempo na frente da televisão acaba roubando o tempo que você usaria para outras atividades". Nem sempre, entretanto, é simples identificar quando a televisão serve como escape para a monotonia ou, ao contrário, é o que originou os momentos sem graça. Para ajudar a responder essa dúvida, especialistas fazem um apanhado dos principais problemas que surgem em consequência do exagero em frente ao aparelho, se você for vítima de dois deles ou mais, vale a pena rever seus hábitos.

Vista cansada

O oftalmologista Canrobert Oliveira, presidente do Hospital Oftalmológico de Brasília (HOB), conta que a musculatura dos olhos se ajusta - contraindo ou esticando - para achar o foco perfeito de visão. Quanto mais tempo você passa em frente da TV, mais essa musculatura fica cansada. Os olhos são também ricos em pigmentos que tem papel fundamental na visão. Quando a luz incide, esses pigmentos são queimados. O excesso de TV consome mais pigmento, o que leva à estafa visual e pode causar sonolência, principalmente em pessoas que têm hipermetropia. Uma boa solução para evitar esse problema, além de diminuir o tempo que você passa em frente ao televisor, é comprar um aparelho de TV de acordo com o tamanho da sua sala. "Uma televisão de 29 polegadas precisa de, no mínimo, três metros (o ideal são cinco metros) de distância até o telespectador", afirma o especialista. "Outra dica é sair da frente da TV no intervalo e olhar pela janela, a maioria das pessoas já faz isso inconscientemente".