Tire nove dúvidas sobre a hipertensão na gravidez

Mal causa endurecimento da placenta e há risco de parto prematuro

POR CAROLINA SERPEJANTE PUBLICADO EM 15/08/2012

Uma das principais causas de morte materna, a hipertensão pode afetar a gestante antes ou durante a gravidez, na chamada pré-eclâmpsia. Segundo dados do Ministério da Saúde, a hipertensão é responsável por 13,8% das mortes maternas no Brasil. Embora ainda seja um número alarmante, essa porcentagem era muito maior há 20 anos - cerca de 40% das mortes maternas eram causadas pela hipertensão. A pré-eclâmpsia, também conhecida como doença hipertensiva específica da gravidez (DHEG), se caracteriza pelo aumento da pressão após 20 semanas de gestação, com desaparecimento até 12 semanas pós-parto. "Os cuidados a serem tomados nesse caso não são diferentes daqueles que a mulher que apresentava hipertensão antes da gravidez irá receber", diz a ginecologista e obstetra Bárbara Murayma, especialista do Minha Vida, de São Paulo. 

Grávida com dor de cabeça - Foto Getty Images
Dores de cabeça e visão com pontos pretos são sinais de pré-eclâmpsia

Segundo a especialista, mulheres com histórico de aumento da pressão antes da concepção ou em gestação prévia, diabetes, doença do colágeno ou doença renal vascular e gestação múltiplia têm risco aumentado para desenvolver a pré-eclâmpsia e devem monitorar a pressão a cada trimestre de gestação, além de tomar os cuidados indicados para evitar complicações. No Dia da Gestante (15 de Agosto), tire todas as suas dúvidas sobre hipertensão na gravidez: 

Inchaço em grávidas é sempre sinal de que a pressão está alta?

Não. De acordo com o cardiologista especializado em hipertensão Celso Amodeo, do Hospital do Coração, em São Paulo, o inchaço na gravidez pode ser reflexo de uma alteração hormonal, alterações na função renal e até mesmo excesso de ingestão de sal. "Se combinado com outros sintomas, como dores de cabeça, dores abdominais e escotomas (visão comprometida e com pontos brilhantes), o inchaço pode sim ser um grande sinal de pré-eclâmpsia."

Toda gestante hipertensa precisa tomar medicamentos?

Médico aferindo a pressão de uma grávida - Foto Getty Images
Mulheres com hipertensão antes de gravidez precisam rever a receita médica

Nem sempre. "Toda gestante hipertensa ou com alto risco de hipertensão deve inicialmente fazer mudanças em seu estilo de vida, como ingerir pouco sódio, manter o peso, dormir adequadamente e fazer caminhada regularmente", diz o cardiologista Celso. Se, mesmo com a adoção desses hábitos, a pressão persistir alta, deve-se fazer uso de medicamentos. 

A ginecologista obstetra Bárbara explica que as mulheres que apresentavam uma alteração pequena na pressão antes da gravidez podem inclusive ter o quadro normalizado naturalmente nesse período. "Isso porque a gestante sofre uma queda de pressão fisiológica durante a gravidez, pois o sangue precisa circular mais", diz. Caso a gestante hipertensa já fizesse uso de medicamente antes da gravidez, é necessário apenas conversar com o médico sobre a necessidade de trocar ou não a receita. "Alguns remédios para hipertensão não são indicados durante a gravidez, devem ser substuídos."

Mulheres que já têm hipertensão podem sofrer de pré-eclâmpsia?

Quanto mais alta estiver a pressão da gestante, maior é o risco de parto prematuro

Sim. Pode ser que a gestante hipertensa apresente pioras no quadro e sintomas de pré-eclâmpsia, como inchaço e dores de cabeça. "Nesses casos, é importante o acompanhamento médico rigoroso para evitar a eclâmpsia (convulsões ou coma) e uso de medicamentos para controlar a pressão", diz o cardiologista Celso. 

A mãe hipertensa precisa normalizar a pressão para ter uma gravidez tranquila?

Depende do quadro. Se a gestante apresentar uma pressão muito descontrolada, pode ser arriscado um tratamento que cause baixas muito bruscas na pressão. "Nesses casos, o melhor a fazer é manter a grávida internada no hospital e ir baixando sua pressão aos poucos, para não afetá-la e nem o bebê", diz a obstetra Bárbara. 

É permitida a prática de exercícios nesses casos?

Grávida levantando halteres - Foto Getty Images
A mãe com hipertensão deve fazer exercícios com orientação médica

 Varia caso a caso. A obstetra Barbara afirma que o ideal é que a gestante hipertensa pratique alguma atividade física leve, até para conseguir manter o seu peso o máximo possível e não piorar o quadro. "No entanto, apenas o obstetra poderá avaliar se o melhor para aquela mãe é a prática de exercícios ou então o repouso durante a gestação", afirma.

Quanto maior a pressão, maior o risco de parto prematuro?

Sim. "Por um mecanismo ainda desconhecido, a hipertensão causa o envelhecimento precoce da placenta, fator que impede a passagem de nutrientes para o bebê de forma normal", explica o cardiologista Celso. Por conta disso, uma gravidez com hipertensão pode causar sofrimento ao feto, havendo a necessidade do parto prematuro. "O parto também pode ser antecipado se a grávida estiver em risco por conta da pressão descontrolada, pois a retirada da placenta tende a melhorar a pressão da mãe", completa Bárbara Murayma. Os especialistas afirmam que quanto mais alta estiver a pressão da gestante, maior é o risco de insuficiência placentária e parto prematuro. 

Hipertensão pode levar ao aborto?

Sim. Por conta do amadurecimento da placenta, o bebê pode não receber os nutrientes necessários para sobreviver, ocorrendo o aborto - nas primeiras 20 semanas ou quando o bebê tem menos de 500g - ou óbito fetal, quando o bebê está acima desse peso e idade. 

O filho da gestante com hipertensão irá nascer hipertenso?

"Filho de hipertensa tem mais chance de ser hipertenso na idade adulta, mas não quer dizer que ele irá nascer hipertenso", diz o cardiologista Celso. Para prevenir a doença, o especialista recomenda a adoção de hábitos saudáveis desde o nascimento do bebê. "A melhor coisa que a mãe pode fazer é educá-lo desde a infância a comer pouco sal e alimentos industrializados, além da prática de exercícios e a manutenção do peso."

O bebê de mãe com hipertensão nasce como qualquer outra criança?

Não. Geralmente, o bebê nasce com baixo peso devido à insuficiência placentaria. "E o peso baixo ao nascer está relacionado com um maior risco cardiovascular na idade adulta, por isso é importante a manutenção de hábitos saudáveis desde a infância", afirma Celso Amodeo. 

Hipertensão na gravidez também traz riscos para a mãe?

Sem dúvida. Os especialistas explicam que tanto a hipertensão adquirida durante a gravidez quando uma mulher que já tinha hipertensão, caso não controlem o quadro, podem sofrer convulsões (eclâmpsias), diabetes gestacional, AVC, infarto e insuficiência renal, complicações que podem inclusive levar à morte.

Este conteúdo ajudou você?
Sim Não