Estudo relaciona exposição solar a risco menor de desenvolver artrite

Especialistas acreditam que a vitamina D, produzida com a luz, proteja o corpo

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 05/02/2013

A artrite é uma inflamação em uma ou mais articulações que ainda não tem cura e, por essa razão, o diagnóstico precoce ainda continua sendo a melhor saída para que os médicos consigam proporcionar ao paciente uma vida completamente normal. Entretanto, um estudo publicado ontem (4) no periódico Annals of the Rheumatic Diseases descobriu que a exposição solar pode ser um método eficaz para se prevenir da doença. A pesquisa foi desenvolvida por especialistas da Harvard Medical School, nos Estados Unidos.

Foram acompanhadas mais de 200 mil mulheres divididas em dois grupos, sendo um deles monitorado a partir de 1976 e o outro a partir de 1989. A saúde das participantes foi comparada aos níveis de radiação UVB a que elas estavam expostas com base no local onde viviam. No grupo de 1976, aquelas que moravam em regiões mais ensolaradas dos Estados Unidos - recebendo, portanto, os níveis mais elevados de raios solares - eram 21% menos propensas a desenvolver artrite reumatoide do que as demais. Entretanto, os raios UV não pareceram afetar o grupo de 1989.

De acordo com os autores, os resultados podem ser consequência dos efeitos da vitamina D (produzida com a exposição solar) no organismo. O fato de o segundo grupo não ter sido afetado pode estar ligado à maior preocupação das novas gerações em se proteger do sol. Os pesquisadores não recomendam, porém, que um indivíduo passe o dia todo exposto à radiação solar sem qualquer proteção. O ideal é aproveitar os raios solares antes das 10 horas e depois das 16 horas com filtro solar.

Eles lembram ainda que a artrite reumatoide afeta mais as mulheres do que os homens, mas não é uma doença exclusiva do público feminino. Para quem se preocupa com o bem-estar físico e deseja evitar as dores causadas pela doença, aqui vão algumas opções de alimentos ricos em ômega 3, nutriente com ação anti-inflamatória:

Óleo de canola

Além do ômega-3, o óleo de canola também é fonte dos ácidos graxos ômega-6, sendo benéfico na prevenção de doenças do coração e na a manutenção da pressão. "Também está presente em sua composição a vitamina E, antioxidante que combate radicais livres, prevenindo contra o envelhecimento precoce e o aparecimento de doenças degenerativas, como câncer", afirma a nutricionista Roseli Rossi, da Clínica Equilíbrio Nutricional.

Recomendação de consumo: de uma a duas colheres por dia

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.