Causas e prevenção da Hipertensão

Entenda mais sobre a doença

POR MINHA VIDA - PUBLICADO EM 20/07/2007

Causas e prevenção
Aprenda como o coração trabalha
Sem parar, o coração ele bombeia oxigênio e nutrientes pelo seu corpo para manter a vida. Do tamanho de um punho, essa máquina pulsa 100.000 por dia, bombeando cerca de cinco litros de sangue por minuto ou 7.500 litros por dia.

Como o sangue viaja pelo coração?
Conforme o coração bate, ele bombeia sangue por um conjunto de vasos sanguíneos, chamado sistema circulatório. São tubos elásticos e musculares que carregam o sangue para todas as partes do corpo. O sangue é essencial. Além de carregar oxigênio novo dos pulmões e nutrientes para os tecidos do corpo, ele também recolhe os refugos do corpo, como o dióxido de carbono. Existem três tipos principais de vasos sanguíneos:

Artérias: Elas começam com a aorta, a grande artéria que sai do coração. As artérias carregam o sangue rico em oxigênio para fora do coração, indo para todos os tecidos do corpo. Elas se ramificam diversas vezes, tornando-se menores e menores conforme carregam o sangue para pontos mais distantes.
Capilares: São pequenos e finos vasos de sangue que se conectam com as artérias e com as veias. Suas finas paredes permitem que o oxigênio, os nutrientes, o gás carbônico e outras substâncias nocivas entrem e saiam das células dos órgãos.
Veias: São vasos sanguíneos que levam o sangue de volta ao coração. Esse sangue tem baixo teor de oxigênio e é rico em substâncias nocivas, que serão eliminadas pelo corpo. As veias tornam-se mais e mais largas conforme elas ficam próximas do coração. A veia superior cava é a veia larga que traz sangue da cabeça e dos braços para o coração, e a veia inferior cava é aquela que carrega o sangue do abdômen e das pernas para o coração.

Esse vasto sistema de veias sanguíneas artérias, veias e capilares tem quase 100 mil quilômetros. É comprido o suficiente para dar a volta ao mundo mais de duas vezes! O sangue circula de forma contínua pelas veias sanguíneas do seu corpo. A bomba que torna isso possível é o coração.
 
Onde está coração? Como ele é?
O coração fica debaixo das costelas, à esquerda do osso do peito (esterno) e entre os pulmões. Ele é um músculo. As fortes paredes musculares se contraem, bombeando sangue por todo o corpo. Na superfície do coração, existem as artérias coronárias, que suprem o músculo do coração com sangue rico em oxigênio. Os maiores vasos que entram no coração são a veia superior cava, a veia inferior cava e a veia pulmonar. A artéria pulmonar e a aorta saem deste órgão e carregam sangue oxigenado para o resto do corpo.

Do lado interno, o coração é um órgão dividido em quatro partes ocas. Os lados da direita e da esquerda são divididos por uma parede muscular chamada septo. Os dois lados do coração ainda são divididos em outras duas câmaras superiores chamadas átrios, que recebem sangue das veias, e duas câmaras inferiores, chamadas ventrículos, que bombeiam o sangue para as artérias. Os átrios e os ventrículos trabalham juntos, se contraindo e relaxando para bombear o sangue para fora do coração. Conforme o sangue deixa cada câmara do coração, ele passa por uma válvula.

Existem quatro válvulas dentro do coração:
Válvula Mitral
Válvula Tricúspide
Válvula Aórtica
Válvula Pulmonar

As válvulas tricúspide e mitral ficam entre os átrios e os ventrículos. Já as válvulas aórtica e pulmonar estão entre os ventrículos e os principais vasos sanguíneos que partem do coração. As válvulas do coração trabalham da mesma forma que as válvulas do encanamento de uma casa. Elas impedem que o sangue flua na direção errada.

Como o sangue flui pelo coração?
Os lados direito e esquerdo do coração trabalham juntos.

Lado direito
O sangue entra no coração por meio de duas veias largas, as veias cavas inferior e superior, eliminando o sangue pobre em oxigênio do corpo no átrio direito. Conforme o átrio se contrái, o sangue flui do átrio direito para o ventrículo direito através da válvula tricúspide aberta. Quando o ventrículo está cheio, a válvula tricúspide se fecha. Isso evita que o sangue volte para o átrio enquanto o ventrículo se contrai. Quando o ventrículo se contrai, o sangue deixa o coração através da válvula pulmonar, para a artéria pulmonar e para os pulmões, onde é oxigenado.

Lado esquerdo
A veia pulmonar esvazia o sangue oxigenado dos pulmões no átrio esquerdo. Conforme o átrio se contrái, o sangue flui do átrio esquerdo para o ventrículo esquerdo por meio da válvula mitral aberta. Quando o ventrículo está cheio, a válvula mitral se fecha. Isso evita que o sangue volte para o átrio quando o ventrículo se contrái. Ao se contrair, o sangue deixa o coração através da válvula aórtica e vai para a aorta e para o corpo.

Como o sangue flui pelos pulmões?
Da válvula pulmonar, o sangue entra no pulmão. Isso se chama circulação pulmonar. Por meio da válvula pulmonar, o sangue viaja da artéria pulmonar para os pequenos vasos capilares do pulmão. Lá, o oxigênio é transportado em finos sacos de ar por meio das paredes dos capilares em direção ao sangue. Ao mesmo tempo, o gás carbônico, um refugo do metabolismo, passa do sangue para sacos de ar. O gás carbônico deixa o corpo quando você expira. Uma vez que o sangue esteja purificado e oxigenado, ele viaja de volta para o átrio esquerdo por meio das veias pulmonares.

O que são artérias coronárias?
Como todos os órgãos, o coração é feito de um tecido que requer o suprimento de oxigênio e nutrientes. Embora suas câmaras estejam cheias de sangue, o coração não recebe nenhuma nutrição desse sangue. O suprimento de sangue para o coração vem através de uma rede de artérias, chamadas artérias coronárias. Duas principais artérias se ramificam da aorta próximo ao ponto onde a aorta e o ventrículo esquerdo se encontram:

A artéria coronária direita abastece o átrio direito e o ventrículo direito com sangue. Ela se ramifica na artéria posterior descendente, que supre a parte baixa do ventrículo esquerdo e as costas do septo com sangue.
A principal artéria coronária esquerda se ramifica na artéria circunflexa e na artéria anterior descendente esquerda. A artéria circunflexa abastece de sangue o átrio esquerdo, o lado e a parte de trás do ventrículo esquerdo. Já a artéria anterior descendente esquerda suprime a frente e a parte baixa do ventrículo esquerdo e a frente do septo com sangue.

Essas artérias e suas ramificações abastecem todas as parte do músculo coronariano com sangue.

Como o coração bate?
Os átrios e os ventrículos trabalham juntos, alternadamente se contraindo e relaxando para bombear sangue pelo coração. É o sistema elétrico do coração que torna isso possível. A batida do seu coração é movida por impulsos elétricos. O impulso começa em um feixe de células especializadas chamadas nó SA (nó sinoatrial), localizado no átrio direito. A atividade elétrica se espelha pelas paredes dos átrios, fazendo com que eles se contráiam.

Um grupo de células que fica no centro do coração, entre os átrios e os ventrículos, o nó AV (nó atrioventricular) funciona como um portão que desacelera o impulso elétrico antes que ele entre nos ventrículos. Esse atraso dá aos átrios tempo para que eles se contráiam antes que os ventrículos façam isso. A rede His-Purkinje é uma trilha de fibras que enviam o impulso para as paredes musculares dos ventrículos, levando-os a se contrair. Em repouso, o coração bate de 50 a 99 vezes por minuto. Exercícios físicos, fortes emoções, febre e alguns medicamentos podem levar o seu coração a bater mais rápido, até acima de 100 batimentos por minuto.

O que é pressão baixa?
Hipotensão é o termo médico usado para a pressão baixa, aquela inferior a 90/60. A pressão normal é aquela de 120/80 (sistólica/diastólica). Em pessoas saudáveis, especialmente atletas, a pressão baixa é um sinal de boa saúde cardiovascular (coração e vasos sanguíneos). Mas a pressão baixa também pode ser um sinal de outros problemas, especialmente na velhice: inadequado fluxo de sangue para coração, cérebro e outros órgãos vitais. A pressão baixa crônica quase nunca é séria.

Mas problemas de saúde ocorrem quando a pressão sanguínea cai repentinamente e o cérebro é privado da irrigação adequada de sangue. Isto pode trazer tontura e escurecimento da visão. Pode ocorrer quando uma pessoa se levanta, o que é conhecido como hipotensão postural ou ortostática. A hipotensão postural é considerada uma falha no sistema nervoso autônomo, aquela parte do sistema nervoso que controla involuntariamente as atividades vitais, como os batimentos cardíacos. Ele não consegue reagir de forma apropriada a mudanças repentinas.

Quando você se levanta, o sangue tende a ficar nas extremidades inferiores do corpo, o que levaria a pressão a cair. Mas o seu corpo compensa isso enviando mensagens para o seu coração bater mais rápido e para suas veias se contraírem. Isso neutraliza a queda de pressão. A incidência tanto de pressão alta quanto de baixa normalmente aumenta com a idade, por causas naturais. Além disso, o fluxo sanguíneo no cérebro cai conforme a idade avança, como uma resposta às placas que se formam nos vasos sanguíneos. Por isso as chances de hipotensão também aumentam.

O que causa isso?
A causa da pressão baixa não é clara. Mas é associada aos seguintes motivos:
Gravidez
Problemas hormonais, como hipotireoidismo, hipertireoidismo, diabetes e hipoglicemia
Remédios
Overdose de remédios para pressão alta
Parada cardíaca
Arritmia
Dilatação dos vasos sanguíneos
Excesso de calor
Doenças no fígado

Quedas repentinas na pressão podem ser uma ameaça à vida. As causas deste tipo de hipotensão incluem:

Perda de sangue
Baixa temperatura corporal
Alta temperatura corporal
Doenças do coração
Sepse (infecção generalizada)
Desidratação severa
Reação a medicamentos
Reação alérgica grave

Muitas drogas estão normalmente associadas à hipotensão postural. Esses medicamentos podem ser de duas categorias:

1. Remédios usados para tratar a pressão alta
2. Remédios que têm a hipotensão como efeito colateral, como nitratos, drogas para o Mal de Parkinson, antipsicóticos, remédios para a ansiedade, sedativos e antidepressivos

Causas mais raras dessa doença são amiloidose (acúmulo de amido nos tecidos), deficiência de vitaminas, lesões na medula espinha e neuropatologias associadas ao câncer, principalmente de pulmão e pâncreas.

Hipertensão: sintomas da pressão alta
Um dos aspectos mais perigosos da hipertensão é que você pode não saber que tem isso. Em geral, não há sintomas de pressão alta, portanto, você não a sente. O único jeito de descobri-la é através da checagem. Isso é especialmente importante se você tem algum parente com pressão alta. Se a sua pressão estiver extremamente alta, você pode ter alguns sintomas:

Dor de cabeça intensa
Fadiga ou confusão mental
Problemas de visão
Dor no peito
Dificuldade para respirar
Batimentos cardíacos irregulares
Sangue na urina

A hipertensão maltratada pode levar a doenças sérias, como infarto, doenças coronarianas, parada dos rins e problemas nos olhos.

Sinais de alerta
Quando a pressão chega a um determinado nível, podem ocorrer danos nos órgãos.

Urgência hipertensiva
Ocorre quando a pressão sanguínea sobe, mas não traz danos aos órgãos. Dentro de algumas horas, a pressão pode baixar novamente com remédios.

Emergência hipertensiva
Quando a pressão traz alguma lesão aos órgãos, chama-se emergência hipertensiva. Quando isso acontece, a pressão precisa ser reduzida imediatamente. Isso é feito em uma unidade de terapia intensiva de um hospital. Um dano a um órgão somado à emergência hipertensiva pode incluir:
Mudanças no status mental, como confusão e coma
Infarto no cérebro
Parada cardíaca
Dor no peito
Fluidos nos pulmões
Aneurisma
Eclâmpsia

Felizmente, a emergência hipertensiva é rara. Quando ocorre, é porque o portador de hipertensão não se tratou ou não tomou os remédios necessários. Os sintomas da emergência hipertensiva são:

Dor de cabeça
Epilepsia
Dor no peito
Falta de ar
Inchaço ou edema (líquido nos tecidos)

Como diagnosticar a emergência hipertensiva?
Seu médico vai querer lhe perguntar muitas coisas para melhor entender seu histórico. Entre elas, quais remédios está tomando, mesmo em forma de ervas ou suplementos alimentares. Alguns exames também podem ser feitos:
Checar a pressão
Exame do olho para ver se ele não está inchado ou sangrando
Exame de sangue e de urina

Quais são os tratamentos?
O primeiro objetivo do médico será baixar sua pressão o mais rápido possível com remédios intravenosos. Isso vai evitar danos aos órgãos. Caso algum órgão já tenha sido danificado, haverá um tratamento específico para ele.

A hipertensão é uma doença silenciosa, quase nunca há sintomas. Mas, se não for bem tratada, pode levar a problemas no coração e nos rins. Por isso é importante checar sua pressão regularmente. Especialmente se alguma vez ela já esteve alta, se há histórico familiar e se você está engordando. Caso você já esteja tratando a hipertensão e a pressão continue alta, procure um médico. Você pode não estar respondendo aos remédios dados e isso pode trazer várias conseqüências perigosas.

Hipertensão secundária
A hipertensão pode ser primária, quando não há nenhuma causa aparente, como genética ou estilo de vida. Ou pode ser secundária, se estiver relacionada a outros distúrbios. São eles: Distúrbios na glândula adrenal (pequenos órgãos localizados acima dos rins que produzem hormônios). Isso inclui a Síndrome de Cushing (causada pela superprodução de cortisol), a hiper produção de aldosterona e tumores que causam a hiper secreção de hormônios como a adrenalina

Doenças nos rins
Remédios como os corticóides, antiflamatórios, drogas para emagrecimento, pílulas anticoncepcionais, medicamento para resfriado e enxaqueca
Apnéia, ou seja, a interrupção da respiração durante o sono. Cerca de metade dos pacientes que sofrem de apnéia tem hipertensão
Estreitamento da aorta
Tireóide ou paratireoidismo

Como a hipertensão secundária é diagnosticada?
Depois que você foi diagnosticado com hipertensão, o médico poderá aplicar outros exames, como de sangue e de urina, para ver se seu problema é secundário.

Como ela é tratada?
Para tratar a hipertensão secundária, é preciso corrigir o problema principal, aquele que está gerando a pressão alta. Isso pode incluir cirurgias ou medicamentos.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não