Tratamento da Obesidade

A dieta é só o começo do combate ao problema

POR MINHA VIDA - PUBLICADO EM 20/07/2007

Tratamento
O tratamento para a obesidade terá mais sucesso se você criar um plano de longo prazo com seu médico. Um ponto de partida pode ser começar a fazer mudanças no seu estilo de vida, limitando as calorias e fazendo exercícios físicos. Ou seja, seu primeiro objetivo deve ser melhorar a saúde, não atingir o peso ideal. Apesar de a fórmula gastar mais calorias do que ingerir pareça ser fácil, ela é difícil de atingir e de manter. Além das mudanças no estilo de vida, remédios e cirurgias podem ser uma opção para algumas pessoas. O tratamento que você precisa vai depender do nível de obesidade, sua saúde de uma forma feral e sua motivação para perder peso.
  Os manuais de saúde sugerem que as pessoas devem tentar implementar mudanças por pelo menos seis meses antes de partir para remédios ou cirurgias. Caso você tenha diabetes do tipo 2 ou doenças coronarianas, isso pode ser recomendado antes dos seis meses. Remédios para a obesidade funcionam de diferentes formas. Dependendo do medicamento, ele pode fazer você se sentir logo satisfeito, restringir a absorção de gordura e controlar a vontade de comer. Já a cirurgia é usada para reduzir o tamanho do estômago e controlar a quantidade de calorias absorvida pelos intestinos. Seu médico também pode sugerir a terapia. Caso você use a comida para lidar com a depressão, solidão ou ansiedade, precisa aprender novas técnicas para lidar com esses sentimentos.
 
Tratamento inicial
Depois que você decidir que está pronto para mudar seu estilo de vida, seu médico pode sugerir que inicialmente, como uma primeira meta, você perca 10% do seu peso, com meio a um quilo por semana. Estudos mostram que a perda de 10% do peso já traz benefícios à saúde. É melhor perder aos poucos do que se livrar de tudo de uma vez e depois recuperar rapidamente o peso.

Mudando os hábitos alimentares
Ingerir menos calorias e aumentar as atividades físicas é o melhor caminho para perder peso. Para a maioria dos adultos, uma dieta de baixa caloria (1.200 a 1.500 calorias para mulheres e 1.500 a 1.800 para homens) é recomendada. Pesquisas apontam que limitar calorias e não o tipo de comida gera uma maior perda de peso. Por exemplo, cortar carboidratos ou gorduras não fará você emagrecer mais rápido do que se estivesse seguindo uma dieta balanceada de baixa caloria. Mais do que se focar num tipo particular de dieta, tente comer mais coisas saudáveis. Não restrinja as comidas que você ama. Mas coma menos delas, em porções menores. Em alguns casos, uma dieta de baixíssima caloria pode ser considerada, mas em geral não é recomendada. Só pode ser seguida com uma supervisão médica. Ao longo do tempo, uma dieta de baixíssima caloria e uma de baixa caloria têm efeitos similares.

Um nutricionista pode lhe mostrar como fazer mudanças saudáveis em sua dieta:
Planejar suas refeições, o que lhe ajudará a comer regularmente e de forma balanceada
Manter a dieta ao comer porções pequenas e não pulando refeições
Cortando gordura, especialmente as saturadas. Para fazer isso, você precisar conhecer os diferentes tipos de gordura
Usar carnes magras e alternativas para limitar a quantidade de gorduras saturadas

Aumentar a atividade física
Os exercícios físicos podem lhe ajudar a queimar mais calorias. Uma das melhores formas de aumentar sua atividade é caminhar. É uma atividade que as pessoas podem fazer de forma segura, sozinhas ou com a família e amigos. Você pode controlar seus passos com um podômetro. Se você trabalha num escritório, pode se surpreender com o pouco que anda. Usar um podômetro irá lhe motivar a andar mais ao longo do dia. Comece com uma meta de 2.000 passos por dia e trabalhe para chegar a 10.000 ou 12.000.

De uma forma geral, tente se exercitar pelo menos 30 minutos todos os dias. Isso não precisa ser feito de uma única vez. Você pode quebrar em três sessões de dez minutos por dia. Embora 30 minutos de caminhada não levem ao emagrecimento, isso reduz o risco de doenças e é um bom ponto de partida. Pesquisas indicam que para perder peso é preciso ter uma atividade moderada de 60 a 90 minutos por dia. Mesmo que você não consiga fazer isso agora, essa pode ser uma meta de longo prazo. Converse com seu médico antes de começar um programa de exercícios. Se você tem artrite, precisará encontrar uma atividade que não force suas juntas.

Mantenha-se firme
O estresse, a família, o ambiente e outras influências podem afetar o seu progresso. Caso você fuja do seu plano por um dia, volte logo no dia seguinte. Estudos mostram que pessoas que ficam de olho naquilo que bebem e comem todos os dias estão mais propensas a perder peso. Anote num caderno tudo aquilo que ingerir. Preste atenção ao tamanho das porções e use uma tabela de calorias para verificá-las. Em geral, as pessoas tentam se convencer de que não comem muito. Ao documentar, você poderá observar isso com certeza.

Entenda a conexão entre estresse e comer
Veja se você come para se acalmar

Você notou alguma mudança nos seus hábitos alimentares depois de algum evento estressante ou alguma mudança no estilo de vida?
Você come quando não está com fome ou quando está satisfeito?
Você come para evitar situações estressantes?
Você usa a comida como uma recompensa? Se você come para aliviar o estresse, pare e pense sobre o que realmente está lhe chateando e como você pode lidar com isso
Mude o que está fazendo. Faça uma caminhada breve, no corredor ou ao redor do prédio
Ligue para um amigo
Se você está mesmo com fome, coma algo saudável

Remova as tentações e pense antes de comer
:Se você tem acesso fácil a muitas comidas com alto teor de açúcar e gordura, será tentador comê-las... Veja o que faz você comer mais do que precisa.
Às vezes, você come sem pensar? Caso sim, dê à comida a atenção que ela precisa. Procure comer só na mesa da cozinha. Evite se alimentar na frente da televisão, do computador, na mesa do escritório ou dirigindo o carro. Também preste atenção se você belisca os ingredientes ou a própria comida enquanto cozinha. Mascar um chiclete pode lhe ajudar
Você come o que está disponível porque não teve tempo de se planejar com antecedência? Torne um hábito levar consigo sanduíches e petiscos saudáveis
Petisque de um prato, não de um pacote. Assim como ocorre com as refeições, você precisa se planejar para petiscar
Comer é uma experiência prazerosa para você? Antes de comer, relaxe um pouco, assim você comerá devagar e terá prazer. A companhia de pessoas queridas também pode ajudar
Você tenta ignorar a fome e pula refeições? Isso pode fazer com que você coma demais numa próxima refeição. O objetivo é comer quando você tiver fome e não comer sem fome

Evite sair do seu plano
Escorregadas isoladas são normais, mas tente evitá-las.

Tente antecipar situações difíceis e como vai lidar com elas. Por exemplo, se você for à casa de um amigo ver um filme, provavelmente haverá petiscos. Leve comidas saudáveis, como vegetais e petiscos sem gordura
Planeje-se para ocasiões especiais. Férias, festas e viagens podem fazê-lo querer comer mais. Por isso, antes das refeições ingira um iogurte ou uma fruta. Isso fará com que você tome decisões mais sadias

Tratamento em andamento
Veja seu médico depois de seis meses para checar seu progresso. Muitas pessoas param de perder peso por volta de um semestre porque o corpo delas se acostuma às baixas calorias e também porque a motivação cai. Nesse ponto, seu médico pode querer revisar sua dieta ou aumentar a quantidade de exercícios. Sua meta a este ponto pode mudar de perder o peso para manter o peso.

Estar ativo é um bom meio de manter o peso. Se você perdeu peso, mas ganhou novamente, não se desanime. É comum tentar muitas vezes até atingir o peso ideal e se manter nele. Converse com seu médico sobre recomeçar. Caso você não consiga perder pelo menos meio quilo por semana, seu médico pode querer receitar remédios. Essas drogas são usadas em conjunto com exercícios e dietas. Sem isso, é pouco provável que os medicamentos façam efeito.

Tratamento para situações que se agravaram
Se você não perder ou continuar a ganhar peso, seu médico pode ficar preocupado com problemas de saúde relacionados à obesidade, como câncer, diabetes, problemas digestivos ou respiratórios e doenças do coração. Ele pode tentar novos remédios ou até uma cirurgia, principalmente se você estiver desenvolvendo outras doenças. Se o seu IMC é acima de 40 ou se está acima de 35 acompanhado de um sério problema de saúde que pode piorar com quilos a mais, uma das opções de cirurgia pode ser adotada:

Banda gástrica ajustável ou grampeamento do estômago: Ambas tornam seu estômago menor
Bypass gástrico: Não apenas torna seu estômago menor como também limita a quantidade de comida que é absorvida pelo intestino fino
Duodeno switch ou técnica de Scopinaro: O estômago é grampeado e seu tamanho é reduzido em 60% a 70%. O duodeno e o jejuno são isolados

Benefícios
Pesquisas indicam os seguintes benefícios com a perda de peso:
Melhorar a sobrevivência em quem tem doenças relacionadas à obesidade, especialmente diabetes do tipo 2 Uma perda modesta de peso, entre 2 kg e 4,5 kg resulta numa redução significativa de pressão
Pessoas com asma que perdem uma média de 15 kg num ano mostram uma melhora no funcionamento do pulmão e na saúde em geral. O número de crises de asma também cai
Pessoas com diabetes do tipo 2 que perdem peso apresentam uma baixa nos níveis de açúcar no sangue e podem usar menos remédios
A perda de peso pode evitar casos de diabetes do tipo 2
Quem tem apnéia e perde 10% do peso apresenta uma melhora na qualidade do sono e tem menos sonolência ao longo do dia

Programas e estratégias para perder peso
O que funciona para uma pessoa perder peso pode não funcionar para você. É preciso que cada um encontre o seu equilíbrio entre alimentação e atividade física, num programa que se encaixe a seu estilo de vida. Um estudo recente sugere que o tipo de dieta que você segue é menos importante do que escolher uma à qual você possa seguir. A maioria das dietas pode lhe ajudar a perder peso inicialmente. Mas você emagrecerá mais e terá mais benefícios se conseguir seguir uma dieta no longo prazo.

Dicas para ajudar no seu programa de emagrecimento
Estabeleça objetivos realistas. Muitas pessoas querem perder peso a um ritmo ou numa quantidade que não é real
Encontre aquilo que funciona melhor para você
Faça com que seus amigos e familiares lhe apóiem. Mostre a eles o quão importante isso é para você e para sua família. Eles podem começar a fazer exercícios com você, comer na sua companhia e até trocar os hábitos alimentares da casa
Identifique os obstáculos
Remova as tentações. Troque-as por comidas saudáveis, como frutas e iogurtes
Faça uma quantidade de exercícios suficiente para queimar calorias e manter seu peso

Dicas para mudar sua alimentação
Reduza a quantidade de calorias que você come, mas não ingira menos do que 1.000 calorias por dia. A menos que seu médico lhe aconselhe
Evite fontes de altas calorias, como petiscos, bebidas alcoólicas e refrigerantes. Reduza a ingestão deles Corte a gordura da alimentação
Use carnes magras e alternativas
Planeje suas refeições e lanchinhos com antecedência
Quando comer fora de casa, faça escolhas saudáveis
Tire comidas que não sejam saudáveis de casa
Coma antes de ir ao supermercado. Isso pode levá-lo a fazer melhores escolhas

Medicamentos
A maioria dos remédios para obesidade trabalha controlando seu apetite, fazendo você sentir menos fome ou mais satisfeito. Eles são usados em conjunto com dietas e exercícios. Em geral, os medicamentos só são usados em pessoas que tenham um IMC de 30 ou acima disso. Mas às vezes eles são usados para quem tem um IMC de 27 ou mais e que tem risco de desenvolver pressão alta, colesterol alto, doenças coronarianas, diabetes do tipo 2 e apnéia.

Apenas o remédio não é uma arma eficiente para emagrecer. Os melhores resultados aparecem com a combinação de remédios, dietas e atividades físicas As drogas não funcionam para todo mundo. Se você não perder peso em quatro semanas usando remédio, é provável que ele não lhe ajude. Estudos mostram que quando se pára de usar remédio, o peso volta. Embora os remédios para emagrecer hoje sejam mais seguros do que no passado, especialistas não garantem que eles sejam tão seguros e eficientes com um uso superior a dois anos. Não é recomendado o uso de remédios para emagrecer que não precisem de prescrição médica. Pode haver efeito colateral ou nenhuma eficácia.

Cirurgias
A cirurgia pode ser uma opção se o seu IMC é de 40 ou mais. Também pode ser uma escolha se o IMC estiver em 35 ou mais e associado a doenças como diabetes e artrite. O objetivo da cirurgia é causar uma significativa perda de peso, reduzindo outros problemas de saúde. É importante pensar que você pode continuar obeso ou acima do peso mesmo depois da cirurgia. Além disso, ela exigirá mudanças extremas naquilo que você come, principalmente porque seu organismo não suportará tanta comida. A partir disso, ter uma boa nutrição é também um problema, por isso você pode ter de tomar vitaminas e suplementos. Dois tipos de cirurgias são usados para tratar a obesidade. A restritiva (como a banda gástrica ajustável) reduz a ingestão de alimentos ao reduzir o tamanho do estômago. Já a de mau-absorção (bypass, por exemplo) torna o estômago menor e também reduz a absorção de comida. É irreversível.

Escolha das cirurgias
Restritiva (Banda gástrica ajustável ou balão intragástrico): uma incisão é feita no abdômen para reduzir de alguma forma o tamanho do estômago. Pode ser colocado um anel ou um balão de silicone
Bypass: o estômago é reduzido. Além disso, faz com que parte dos alimentos não seja absorvida no intestino

Preocupações nutritivas
Depois da cirurgia, você só poderá comer e beber em pequenas quantidades. Nas primeiras duas semanas, fará uma dieta líquida. Depois, a comida terá de ser transformada em purê. Você precisará evitar alguns alimentos, dependendo do tipo de cirurgia que fizer. Logo depois da operação, pode não conseguir ingerir líquidos com açúcar e ter de evitar o leite. Também precisará aprender novos jeitos de comer. Terá de se alimentar bem devagar. Se você não fizer isso, poderá vomitar. Pode ter problemas de nutrição e precisar tomar vitaminas.

Os baixos níveis de cálcio e ferro podem ser um problema. Seus ossos podem enfraquecer e você pode desenvolver anemia. Por isso o médico recomenda vitaminas e suplementos. Algumas pessoas podem desenvolver síndrome de dumping quando elas comem ou bebem açúcares simples (encontrado em balas, sorvetes, sucos). A síndrome de dumping ocorre quando a comida se move muito rapidamente pelo estômago e intestino. Isso pode trazer náusea, tontura, batimentos cardíacos acelerados e até diarréia forte. Comidas naturais que contenham açúcares simples, como frutas e derivados de leite, não costumam causar problemas. Você não poderá beber por 30 minutos antes de comer, durante a refeição ou 30 minutos depois.

Todas as cirurgias envolvem riscos. Discuta todas as opções com seu médico e avalie qual é a melhor para você. Pessoas que fazem cirurgia normalmente começam a perder peso rapidamente. Isso continua por cerca de dois anos. Os riscos mais comuns das cirurgias para emagrecimento são infecções do corte, um gotejamento do estômago para a cavidade abdominal ou para onde o intestino é conectado (resultando em uma infecção conhecida por peritonite) e um coágulo de sangue que vai para o pulmão (embolia pulmonar). Um terço dos pacientes que fazem cirurgia desenvolvem anemia e osteoporose.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não