PUBLICIDADE

OMS recomenda vacina contra febre amarela a turistas

Visitantes que ficarão hospedados em áreas de risco devem ser vacinados dez dias antes de viajar

A Organização Mundial da Saúde (OMS) manteve as recomendações a turistas estrangeiros que estejam pensando em viajar a áreas de risco no Brasil para o carnaval. Essas pessoas devem tomar a vacina contra a febre amarela dez dias antes de embarcar.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Além disso, o órgão divulgou uma nova lista de "áreas de risco" da doença no Brasil, incluindo cidades do sul e sudoeste da Bahia, Espírito Santo, cidades do Rio de Janeiro próximas à fronteira do ES e MG.

A OMS já havia recomendado - mesmo antes do surto - a vacinação contra a febre amarela para outros estados, como Acre, Amapá, Amazonas, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins e algumas regiões específicas do Paraná, Piauí, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A OMS já havia recomendado - mesmo antes do surto - a vacinação contra a febre amarela para outros estados, como Acre, Amapá, Amazonas, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins e algumas regiões específicas do Paraná, Piauí, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

De acordo com o comunicado, a imunização não é necessária para os estrangeiros que ficarem longe das regiões de risco. Contudo, é necessário que os turistas que pretendem viajar para os locais de risco tomem cuidados adicionais para evitar picadas de mosquitos, conhecer os sintomas e procurar rápido atendimento médico caso esses sintomas se manifestem durante a estadia no país.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Apesar da nova expansão da área considerada de risco para contrair a doença, a OMS disse que ainda não existem evidências de transmissão do vírus da febre amarela nas grandes áreas metropolitanas da costa leste, como Rio, Salvador ou São Paulo.

"A transmissão da febre amarela continua em expansão em direção à costa atlântica do Brasil, em áreas que não eram consideradas de risco para a febre amarela antes da revisão realizada pela OMS, no final de janeiro de 2017", explica o comunicado da entidade.

A organização informou que pessoas com contraindicações em relação à vacina devem consultar um médico, isso inclui crianças com menos de 9 meses, mulheres grávidas, que estejam amamentando ou pessoas acima de 60 anos de idade.

Já foram registradas 80 mortes e 243 casos por febre amarela desde que a epidemia começou. O vírus da febre amarela que causa o atual surto no Brasil circula nas áreas rurais, silvestres e de mata, transmitido pelos mosquidos Haemagogus e Sabethes.