PUBLICIDADE

Dieta restrita em gorduras: o que é e quais são as indicações

O plano alimentar é indicado em casos elevação de triglicérides e/ou colesterol e sempre deve ser acompanhado por um médico ou nutricionista

Uma dieta restrita em gorduras consiste em uma alimentação com quantidades baixas de gorduras, sendo considerada uma estratégia alimentar para prevenção e controle de algumas condições de saúde, como elevação de triglicérides e/ou colesterol, problemas que podem provocar aumento do risco de infarto e acidente vascular cerebral (AVC)1,2.

Os níveis de triglicérides podem aumentar em pessoas que têm uma dieta inadequada, que são obesas, ou que têm diabetes3, que consomem quantidades elevadas de álcool ou pelo uso de algumas medicações4,5.

No entanto, há uma doença genética rara - que atinge uma pessoa em cada 1 milhão - chamada Síndrome da Quilomicronemia Familiar (SQF)1,6, em que os níveis de triglicérides podem ser até 100 vezes maiores do que em uma pessoa sem essa alteração genética.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Para quem tem SQF, uma dieta restrita em gorduras é fundamental, já que essas pessoas não conseguem metabolizar os triglicérides ingeridos, que se acumulam em quantidade alta no sangue7.

Isso acontece porque a pessoa com SQF apresenta uma deficiência na lipase lipoproteica, enzima responsável pela quebra de triglicérides. Com isso, o metabolismo de triglicérides é prejudicado, resultando em uma alta taxa desse tipo de gordura no sangue, o que pode levar a complicações graves, como a pancreatite aguda, considerada uma emergência médica1,6.

É por isso que é importante para quem tem SQF restringir o consumo de triglicérides pela dieta, como forma de controle dessas taxas, sendo que isso é feito por meio de uma dieta restrita em gorduras.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tipos de Dieta restrita em gorduras

Há diversas variações na dieta restrita em gorduras. Para um adulto que não precisa de restrição, por exemplo, em média 30% - 35% das calorias diárias necessárias podem ser consumidas em forma de gordura. Já para quem tem algum problema de saúde que exija a redução da ingestão dessas gorduras, o valor pode variar, dependendo da condição. No caso da SQF, o valor deve ser no máximo de 10% a 15% das calorias diárias8.

Após a confirmação do diagnóstico, o tipo de dieta restrita em gordura deve sempre ser indicado por um médico e prescrito por um nutricionista, que avaliará a necessidade nutricional do paciente, visando atender às necessidades de saúde e aporte correto de nutrientes.

Indicações da Dieta restrita em gorduras

A dieta com controle de gorduras é uma estratégia adotada para quem está com colesterol e/ou triglicérides altos. Para aqueles indivíduos que apresentam Síndrome da Quilomicronemia Familiar (SQF), ela é fundamental para o controle da doença, já que um paciente com SQF não consegue metabolizar os triglicérides ingeridos7.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sintomas de triglicérides altos no sangue

Em geral, os triglicérides altos no sangue não apresentam sintomas. Quando os níveis estão exagerados, como no caso da SQF, o risco de pancreatite aguda aumenta consideravelmente1.

Além disso, pode acontecer o aparecimento de xantomas eruptivos em quem tem SQF, que são manifestações que surgem na pele em forma de vesículas avermelhadas e cheias de gordura, mas que desaparecem em poucos dias6.

Além disso, o sangue de quem tem SQF pode ter aspecto viscoso e de coloração esbranquiçada, justamente pela alta taxa de triglicérides presentes ali9. É por isso que é importante fazer exames de sangue de rotina e, no caso de um diagnóstico de SQF, seguir a dieta restrita em gorduras, pois o corpo não consegue metabolizar os triglicérides ingeridos pela dieta.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico e exames

Para fazer uma dieta restrita em gorduras, a pessoa deveria ter passado por um médico e nutricionista, que indicou a necessidade de tomar essa medida por meio de exames clínicos e laboratoriais, como os que medem os triglicérides e o colesterol.

Com a obrigação de restringir gorduras detectadas, um cardápio é elaborado de acordo com a necessidade da pessoa, seu peso e condições prévias de saúde. Para quem tem triglicérides e colesterol altos por causa de um estilo de vida ruim - como estar acima do peso e ingerir bebidas alcoólicas em grande quantidade - ou se tem diabetes, a dieta com controle de gorduras é auxiliar no tratamento. Para quem tem a Síndrome da Quilomicronemia Familiar, a dieta é ainda mais restrita e deve ser seguida à risca, pois é a única forma de controlar a doença e prevenir suas complicações8.

Buscando ajuda médica

É importante sempre conversar com um médico e nutricionista sobre uma dieta restrita em gorduras, e jamais adotar esse estilo alimentar sem respaldo profissional. É importante saber que as gorduras ingeridas por meio da dieta, quando em quantidade adequada, têm papéis fundamentais no organismo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os triglicérides, produzidos pelo corpo e encontrados em alimentos vegetais e animais são também importantes no funcionamento do corpo: eles são utilizados para o fornecimento de energia aos músculos e como estoque nas células adiposas. Em outras palavras, são a moeda energética do organismo10.

No entanto, precisam estar em taxas adequadas para não provocarem danos.

Quando esses níveis estão descontrolados é que entra a necessidade de fazer uma dieta restrita em gordura, mas sempre com orientação profissional. É importante ter o acompanhamento nutricional durante essa dieta para que nutrientes importantes não sejam deixados de lado, gerando carências.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Cuidados ao fazer a Dieta restrita em gorduras

A dieta restrita em gorduras deve sempre ser prescrita e acompanhada por um nutricionista. No caso de quem tem SQF, a quantidade de gorduras permitida na dieta varia de 10% a 15% do valor calórico diário, ou o equivalente entre 10g e 20g, dependendo da quantidade de calorias ideal para ser consumida no dia11,12. Esse valor exato deve ser calculado por um nutricionista.

Além disso, a dieta de quem tem SQF também prevê restrição total de açúcar refinados adicionado aos alimentos, a exclusão do álcool, pois os seus excessos se transformam em gorduras no organismo. A dieta de quem tem SQF precisa priorizar carboidratos complexos, além da inclusão de ácidos graxos essenciais (ômega-3 e ômega-6) e a garantia do consumo de vitaminas lipossolúveis (A, E, D e K)12,13.

Portanto, entre os alimentos recomendados estão os vegetais, grãos integrais, legumes, proteínas magras, frutas em quantidade limitada, leites e derivados desnatados e sem adição de açúcar13.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O uso de triglicerídeos de cadeia média (TCM) pode ser inserido com moderação na dieta de quem tem SQF, pois esse tipo de gordura não eleva as taxas de triglicérides em quem tem essa alteração genética13. No entanto, apenas um médico ou nutricionista poderá prescrever o composto usado nesses casos, pois a tolerância a este produto é variável.

É importante ressaltar, porém, que esse produto deve conter apenas triglicérides de cadeia média, e não estar em conjunto com outras gorduras.

Quem pode fazer a Dieta restrita em gorduras?

A dieta restrita em gorduras pode ser aplicada já desde o nascimento, porém os alimentos indicados variam de acordo com cada fase da vida. Um bebê que tem Síndrome da Quilomicronemia Familiar, por exemplo, não poderá receber leite materno, pois este contém quantidade de gorduras que podem elevar os triglicérides. Com isso, deverá receber fórmulas lácteas específicas, indicada pelo médico que acompanha o caso13.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Com o crescimento, a dieta se altera para se adequar às necessidades nutricionais de cada fase da vida, como infância, adolescência, vida adulta e terceira idade, porém sempre com o mesmo intuito: reduzir a quantidade de gordura ingerida diariamente13.

Prognóstico

Quem tem condições de saúde que exigem esse controle alimentar precisa se conscientizar de que as novas orientações devem se tornar um hábito e fazer parte da rotina para sempre. Para quem tem SQF, por exemplo, um simples deslize na alimentação com a ingestão maior de gorduras - mesmo que de forma temporária - pode trazer consequências sérias, como o aumento do risco de pancreatite aguda. É por isso que é importante seguir à risca a dieta prescrita pelo nutricionista, sempre optando por alimentos saudáveis e ricos em vitaminas e minerais, mas com baixo teor de gorduras13.

Links úteis:

Saiba mais sobre a Síndrome da Quilomicronemia Familiar: https://www.minhavida.com.br/saude/tudo-sobre/36158-quilomicronemia

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Referências:

Ana Maria Pita Lottenberg, pesquisadora do Laboratório de Lípides da Disciplina de Endocrinologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e coordenadora do Curso de Especialização em Nutrição nas Doenças Crônicas do Hospital Albert Einstein.

Dr. Raul Dias dos Santos Filho (CRM: 57825), diretor da Unidade Clínica de Lípides do Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP).

1 - Falko JM. Familial Chylomicronemia Syndrome: A Clinical Guide For Endocrinologists. Endocr Pract. 2018;24(8):756-763.

2 - A. Cox Rafael, García-Palmieri Mario R. Cholesterol, Triglycerides, and Associated Lipoproteins. Chapter 31. Clinical Methods: The History, Physical, and Laboratory Examinations. 3rd edition. Walker HK, Hall WD, Hurst JW, editors. Boston: Butterworths; 1990.

3 - Savitha Subramanian, Alan Chait. Hypertriglyceridemia secondary to obesity and diabetes. Biochimica et Biophysica Acta (BBA) - Molecular and Cell Biology of Lipids. Volume 1821, Issue 5, May 2012, Pages 819-825

4 - Klop B, do Rego AT, Cabezas MC. Alcohol and plasma triglycerides. Current Opinion in Lipidology. Disponível em: https://insights.ovid.com/article/00041433-201308000-00008

5- Maccari S, Bassi C, Zanoni P et al. Plasma cholesterol and triglycerides in heroin addicts. Drug and Alcohol Dependence. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/0376871691900473?via%3Dihub

6 - Sugandhan S, Khandpur S, Sharma VK. Familial chylomicronemia syndrome. Pediatr Dermatol. 2007;24(3):323-325.

7 - Sociedade Brasileira de cardiologia. III Diretrizes Brasileiras Sobre Dislipidemias e Diretriz de Prevenção da Aterosclerose do Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Arq Bras Cardiol. 2001;77(Suppl 3):1-48.

8 - Burnett JR, Hooper AJ, Hegele RA, et al. Familial Lipoprotein Lipase Deficiency. In: GeneReviews® [Internet]. Seattle (WA): University of Washington, Seattle; 1993-2020.

9 - Chyzhyk V, Brown AS. Familial chylomicronemia syndrome: A rare but devastating autosomal recessive disorder characterized by refractory hypertriglyceridemia and recurrent pancreatitis. Trends Cardiovasc Med. 2020;30(2):80-85.

10 - Triacylglycerols Are Highly Concentrated Energy Stores. Biochemistry. 5th edition. Berg JM, Tymoczko JL, Stryer L. New York: W H Freeman; 2002.

11- Gotoda T, Shirai K, Ohta T et al. Diagnosis and management of type I and type V hyperlipoproteinemia. J Atheroscler Thromb. 2012;19(1):1-12. Epub 2011 Dec 1.

12 - Brown WV, Goldberg I, Duell B et al. Roundtable discussion: Familial chylomicronemia syndrome: Diagnosis and management. J Clin Lipidol. 2018 Mar - Apr;12(2):254-263.

13 - Williams L, Rhodes KS, Karmally W. Familial chylomicronemia syndrome: Bringing to life dietary recommendations throughout the life span. J Clin Lipidol. 2018 Jul - Aug;12(4):908-919.