PUBLICIDADE

Faloplastia: procedimento não deve ser feito apenas para aumento peniano

O objetivo dessa cirurgia é a reconstrução do pênis após alguma lesão ou problema em sua estrutura

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

Faloplastia é um termo utilizado para cirurgias de reconstrução peniana, quando ocorreu por algum motivo uma perda parcial ou completa do órgão. Também pode ser utilizada em pacientes onde é necessária a criação de um falo - geralmente em casos de doenças congênitas ou cirurgias de redesignação sexual (mudança de sexo). Também pode ser chamada de plástica peniana, reconstrução peniana, cirurgia de redesignação sexual.

Ela consiste na reconstrução do pênis feita com técnicas de transferência tecidual (tecidos retirados de outra parte do corpo e transferidos para a região genital). O objetivo é reestabelecer a capacidade funcional ou estética do pênis.

Não há limitações, deve ser empregada na dependência da indicação e protocolos que cada tipo de paciente deve seguir. Um paciente que sofreu um traumatismo ou teve um pênis amputado por um câncer tem seus critérios, já a cirurgia de redesignação sexual tem outros.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Orientação necessária

A avaliação pré-operatória é fundamental e sua realização por um grupo multiprofissional que pode incluir além de um urologista, cirurgiões plásticos, microcirurgiões, endocrinologistas, psicólogos, entre outros. Nas cirurgias de redesignação sexual esta avaliação pré-operatória multiprofissional é inclusive obrigatória por lei (uma vez que já existem regulamentações específicas para este tipo de cirurgia). São pacientes em que a faloplastia é apenas uma etapa dentro de um processo maior.

O tipo de cirurgia escolhida vai depender da experiência de cada grupo e das necessidades de cada paciente, se constitui na reconstrução do pênis utilizando tecidos transferidos de outras partes do corpo (como abdômen, antebraço, região lombar, entre outros). Podem ser utilizadas técnicas de microcirurgia ou não. É importante salientar que além da reconstrução do pênis, é necessária a reconstrução da uretra (que pode ser feita primariamente no momento da faloplastia ou em um segundo tempo) e o implante de próteses penianas (para a reabilitação sexual completa) e que é geralmente realizada em um segundo momento da faloplastia.

É uma cirurgia muito complexa, por isso mesmo este procedimento deve apenas ser realizados por profissionais habilitados e com experiência, urologistas ou cirurgiões plásticos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Faloplastia não significa aumento peniano

A faloplastia é a cirurgia de reconstrução peniana, e não necessariamente representa um aumento do pênis, o órgão sexual masculino. O conceito é distinto. A faloplastia requer a criação de um novo pênis, necessário após algum trauma como amputação, uma mudança de sexo intencional ou quando é diagnosticada uma deformidade que atrapalha o funcionamento do órgão. É a retomada do pênis, com uma nova criação, que visa facilitar a estética do pênis normal, bem como devolver ao paciente o ato de penetração durante a relação sexual. Pode haver um aumento do diâmetro peniano, mas não do comprimento, sem configurar um aumento da região. É um procedimento cirúrgico realizado em ambiente hospitalar, sob anestesia, e cuidados necessários de assepsia, que não interfere na ereção nem na angulação do pênis.

Não podemos afirmar que exista uma técnica considerada padrão para alongamento ou aumento do órgão sexual masculino. As técnicas cirúrgicas para alongamento peniano apresentam restrições e o paciente deve obrigatoriamente ser submetido à avaliação psicológica. Por isso é importante saber qual o objetivo do paciente e qual resultado almeja alcançar. A intervenção por motivo essencialmente estético que pode apresentar comprometimento funcional, o que é condenado pela Sociedade Brasileira de Urologia.