PUBLICIDADE

Parurese: como superar o medo de urinar fora de casa

A chamada "síndrome da bexiga tímida" pode causar fortes impactos na vida de quem lida com esse problema

A parurese, popularmente chamada de "síndrome da bexiga tímida", é uma condição que faz muita gente sentir dificuldade para urinar longe de casa. Seja em banheiros públicos ou na casa de amigos, os indivíduos que lidam com esse problema sentem uma barreira psicológica que os impede de realizar necessidades fisiológicas básicas fora de sua zona de conforto.

Diferente de doenças que afetam diretamente o funcionamento da bexiga, a parurese tem origem emocional, sendo considerada um tipo de fobia social. Em muitos casos, quem sofre com esse problema também possui outros diagnósticos psicológicos, como o transtorno de ansiedade.

Causas

A parurese pode afetar pessoas de diferentes idades, com causas que variam de acordo com a experiência de cada um. Além de ser uma condição vertente de outros problemas emocionais, o medo de ir ao banheiro pode estar relacionado com abusos sexuais, traumas psicológicos deixados por situações vividas ou experiências negativas que envolveram o ato de urinar.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Para a psicóloga e psicanalista Araceli Albino, uma das origens principais desse problema se inicia durante a infância. "O medo de urinar em qualquer lugar em que não se sente seguro certamente está relacionado com a fase infantil que, de alguma forma, a criança foi envergonhada, ameaçada, exposta, deixando-a em desamparo, desprotegida. Pode ter sofrido um processo de repressão que mais tarde se transformou em um sintoma", explica.

Apesar dessa condição poder ser apresentada por todos os gêneros, as diferenças na criação de meninas podem justificar o aparecimento da parurese em mulheres adultas.

"A questão a considerar é que a sexualidade na menina é mais complexa. Ela sofre com as regras morais, criada diferente do menino. A menina não pode fazer xixi em qualquer lugar, nem perto das pessoas, não podem vê-la sem roupa, porque é feio. Já o menino é exibido e vangloriado, pode fazer urinar sem limitações. Isso leva a um processo melhor de desinibição", conta Araceli.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A psicóloga relata que estes aspectos socioeducativos devem ser levados em consideração ao identificar a causa da parurese. Assim, o nível da repressão sofrida na infância determinará o nível de inibição ao utilizar o banheiro. ?É importante lembrar que isso é uma tendência, não significa que os meninos não terão alguma inibição, depende da novela familiar que ele viveu?, ressalta.

Como identificar a parurese

Por ser uma condição pouco falada pelas pessoas, é comum que haja dificuldade em compreender quando o desconforto ao utilizar o banheiro tenha se tornado anormal. No geral, quem possui o diagnóstico de parurese costuma apresentar os seguintes sinais:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Em casos graves, o indivíduo se sente totalmente impedido de urinar fora de casa, com um forte sentimento de medo do julgamento que pode sofrer pelas pessoas. Esse bloqueio pode trazer complicações que afetam a saúde do corpo, como a infecção urinária.

Tratamento

O tratamento da parurese é totalmente psicológico. De acordo com Araceli, a psicanálise, teoria psicológica que considera que a constituição psíquica emocional se dá por fases do desenvolvimento psicossexual, é uma das alternativas para lidar com o medo de urinar em público.

Ao compreender como foi o desenvolvimento e a infância de quem sofre com a parurese, é possível identificar as origens do problema, aplicando as ferramentas ideais para cada paciente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"A psicanálise é um processo terapêutico que tem técnicas para acessar os conteúdos inconscientes e trazê-los para consciência e, assim, o sujeito poder mudá-las. Tem técnicas que buscam mudar o comportamento, e até tem sucesso, mas isso pode retornar de uma outra forma em outros momentos difíceis", explica a psicóloga.