Gravidez: o que muda na região íntima durante a gestação

Algumas alterações acontecem principalmente em decorrência do aumento de hormônios na gravidez; saiba mais

Dentro do corpo de uma gestante, as transformações são diárias: o desenvolvimento do bebê é constante, que passa também a ganhar peso, ter os órgãos amadurecidos e ficar mais preparado para o momento do nascimento. No entanto, a região íntima da mulher também pode apresentar alterações neste período. Quer saber o que é mito ou verdade quando se trata da saúde íntima?* Acompanhe abaixo!

*As informações não substituem a importância do acompanhamento médico durante a gravidez.

A região íntima reage aos estímulos hormonais

Verdade! Para entender melhor, é preciso saber que o órgão genital naturalmente reage à estimulação hormonal que acontece durante o ciclo menstrual. No período fértil, a vagina pode ficar mais úmida e a vulva pode apresentar um discreto inchaço. Quando este período acaba, porém, ela volta ao padrão. Na gravidez, contudo, por causa dos hormônios em quantidade aumentada, uma das mudanças possíveis é a região íntima ficar mais úmida e inchada. Além disso, ela pode apresentar alteração de cor, ficando mais escurecida.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Corrimento vaginal na gravidez é sempre sinal de problemas

Mito! É sempre preciso ter o acompanhamento do obstetra durante toda a gestação para avaliar, mas é natural um aumento do corrimento vaginal fisiológico, ou seja, aquele que não é considerado um problema, em que apenas muco cervical e descamação são notados, sem nenhum sangramento ou mau cheiro.

Quando o parto se aproxima, porém, é possível que a mulher perceba a perda do tampão mucoso, um muco espesso que tem como função proteger o útero contra a entrada de microrganismos nocivos. É um sinal de que o colo do útero está se dilatando, portanto, o parto é iminente. Nesses casos, é sempre importante comunicar o médico.

Cuidar da saúde íntima na gravidez é totalmente diferente

Mito! Os principais cuidados são semelhantes aos que eram necessários antes da gestação. A higiene íntima, por exemplo, assim como fora da gravidez, é essencial durante a gestação. Para isso, é importante lavar diariamente a vulva com um sabonete específico para a região e que tenha um pH fisiológico (ácido) ou neutro, para que não provoque irritações na região. O sabonete íntimo de Protex®, por exemplo, é uma opção para essas ocasiões, pois apresenta pH fisiológico e colabora para manter o equilíbrio da flora vaginal.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A ducha íntima continua sendo um problema

Verdade! Vale sempre lembrar que, assim como fora da gravidez, a ducha íntima continua contraindicada. Este mau hábito pode desequilibrar a flora vaginal, aumentando o risco de infecções. Portanto, fuja dela!

A região íntima precisa permanecer arejada

Verdade! Assim como fora da gravidez, é importante manter a região genital arejada durante a gestação, e isso acontece por meio do uso de calcinhas de algodão, bem como a escolha de usar saias e vestidos em vez de calças apertadas. Dormir sem calcinha é uma ótima opção para manter a saúde vaginal também durante a gravidez.

Depilação é proibida durante a gravidez

Mito! É possível, sim, continuar se depilando durante a gravidez. No entanto, ela deve ser feita com cautela: lembre-se que os pelos servem como uma barreira de proteção natural, por isso não exagere na retirada deles na hora de se depilar.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Há maior risco de infecções urinárias

Verdade! Devido às alterações fisiológicas e anatômicas na região íntima durante a gestação, a mulher tem mais chance de desenvolver infecções do trato urinário. Por isso, é importante tomar alguns cuidados, como sempre urinar depois da relação sexual, não segurar o xixi e, quando possível, lavar a região anal depois de evacuar.