PUBLICIDADE

Descoberto gene que acelera o envelhecimento

A causa pode estar em uma mutação genética no DNA humano

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

O envelhecimento é um processo natural e, para ser vivido da melhor forma, demanda cuidados com a saúde e o bem-estar. Entretanto, existem pessoas que apresentam um envelhecimento mais acelerado, que pode ter causas no DNA. Foi o que descobriu um estudo realizado pela Universidade de Leicester e pelo Kings's College (Reino Unido). Os pesquisadores observaram o código genético de mais de dez mil pessoas e analisaram mais de 500 mil variações genéticas espalhadas pelo genoma.

A pesquisa identificou uma mutação que faz com que pessoas que possuem telômeros (partes do cromossomo que encolhem na medida em que envelhecemos) mais curtos desde o nascimento tenham um envelhecimento biológico de três a quatro anos maior. As mutações encontradas ficam próximas ao gene Terc, conhecido por ter um papel importante no comprimento dos telômeros.

A novidade, publicada na revista Nature Genetics, aponta também para dois tipos distintos de envelhecimento: o cronológico, ou seja, a quantidade de anos vividos, e o biológico, em que as células de um indivíduo são mais novas ou mais velhas do que sua idade cronológica.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Além disso, os pesquisadores mostraram que o gene Terc pode fazer a pessoa ficar mais propensa a desenvolver males mais intimamente ligados à idade biológica do que à cronológica, tais como câncer e problemas no coração. Os portadores do gene devem tomar ainda mais cuidado para não estarem expostos a hábitos inadequados, como a obesidade, o fumo e o sedentarismo. Ou seja, apesar da descoberta da mutação genética, os cuidados de cada um são fundamentais para a manutenção da qualidade de vida.

"As medidas para ajudarem as pessoas a se manterem saudáveis e ativas são hoje emergenciais para o futuro da humanidade, uma vez que esse envelhecimento global intensifica a pressão social e econômica em todo o mundo", explica a nutricionista Daniela Jobst.