PUBLICIDADE

Consumo moderado de álcool atua na redução de peso, diz estudo

Bebida mais eficiente para evitar o ganho de peso é o vinho tinto

No mínimo, curioso. Um estudo do Brigham and Women's Hospital Boston, nos Estados Unidos, que avaliou mais de 19 mil mulheres por um período de 13 anos, concluiu que abolir o consumo de álcool da dieta não representa, necessariamente um menor ganho de peso das mulheres. A partir do relato das participantes sobre sua ingestão de álcool, foi revelado que as abstêmias correm maior risco de engordar do que as que bebem moderadamente.

As voluntárias da pesquisa tinham 39 anos ou mais de idade e índice de massa corporal (IMC) considerado normal (18,5 a 25). Elas foram divididas em dois grupos de análise. Um deles contava com mais de 7 mil voluntárias que nunca consumiam bebidas alcoólicas. O segundo grupo, com mais de 6 mil mulheres, tomava cerca de um terço de copo de vinho, cerveja ou outra bebida alcoólica por dia, enquanto 6% tomavam dois copos, 20% um copo e 3%, mais de dois.

Nesse período, as mulheres que não consumiam álcool foram as que mais apresentaram ganho de peso (em média, 2kg a mais que as do outro grupo). Já as que tomavam o equivalente a dois copos diários mantiveram seu peso ideal. O mais eficiente para evitar o ganho de peso foi o vinho tinto, seguido de outras bebidas como a cerveja, o vinho branco e o licor.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Alerta contra a bebida

Entretanto, deve-se lembrar que o estudo só mostrou as associações entre os fatores, mas não explica como o álcool influencia no organismo feminino, contribuindo para que não ocorra o ganho de peso. Estudos anteriores já comprovaram que o consumo moderado de álcool reduzia os riscos de demência e de infarto em homens. Contudo, outros estudos concluem que o álcool pode ser mais prejudicial para o cérebro do que drogas como maconha e LSD, por exemplo. Além disso, o álcool é uma droga que causa dependência e danos à saúde do fígado e do cérebro.