PUBLICIDADE

Ex-dublador Felipeh Campos está com paralisia facial relacionada ao zika vírus

De acordo com Felipeh, a perda dos movimentos do rosto foi resultado da demora do tratamento contra o vírus

O jornalista Felipeh Campos, famoso por ser ex-dublador do programa "Qual é a Música?" do SBT, foi internado no Hospital Sírio Libanês (São Paulo) com paralisia facial apenas do lado esquerdo do rosto. De acordo com o ator, em entrevista ao site Ego, o problema foi causado devido à demora do tratamento do zika vírus, que ele contraiu em outubro de 2015. Em um vídeo em seu perfil na rede social Facebook, no entanto, ele apenas cita uma infecção no ouvido relacionada ao vírus herpes zóster.

O mais provável é que seja uma paralisia de Bell, em que o vírus ataca um nervo facial apenas de um lado do rosto. Essa fraqueza ou paralisia normalmente é súbita, demorando poucas horas ou menos para se instalar completamente. Pode tornar-se progressivamente pior ao longo de vários dias. Os efeitos da fraqueza variam, dependendo se o nervo é parcialmente ou totalmente afetado. Nesse caso, o rosto pode ficar inclinado para um lado. Quando a pessoa sorri, apenas metade do rosto pode se mover, além de causar dificuldades para mastigar, fechar um dos olhos e até mesmo falar. Entre os sintomas menos comuns estão perda da capacidade de sentir sabores, dor na orelha ou atrás dela, dormência na região afetada, sensibilidade ao som e dor de cabeça. O tratamento envolve fisioterapia, para evitar a contratura dos musculos até sua recuperação.

Felipeh Campos conta ao site Ego que pegou o zika vírus em Recife, mas só manifestou os sintomas quando estava de volta em São Paulo. Como a doença nova, ele demorou para ser diagnosticado e enfrentou diversos problemas pela queda de imunidade, como laringite, faringite e sinusite viral, que causou sua então paralisia facial.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Em um post na rede social Instagram, Campos tranquiliza seus seguidores, dizendo que já sabe quando recuperará os movimentos. "O processo é lento e tudo voltará ao normal no prazo de 3 a 7 semanas", escreve. Ele não apresenta mais os sintomas do Zika vírus. Ainda assim, ele continua internado para passar por novos exames.