Jessica perguntou:

O que fazer quando se tem tripofobia e ao ver uma foto já se sente horrorizada, com coceira e dormente?

  • Respondido em 15/07/2014
    Dra. Evelyn Vinocur Psiquiatria - CRM 303514/RJ
    especialista minha vida
    Olá,

    O Tratamento é indicado quando gera sofrimento importante à vida da pessoa e comprometimento significativo da qualidade de vida.
    O ideal é procurar um psiquiatra e pedir a alguém para imprimir algumas fotos pra você levar e especificar o tipo de imagem que te causa fobia. O tratamento pode incluir o uso de antidepressivos, ansiolíticos e psicoterapia do tipo TCC – terapia cognitiva comportamental associada à terapia gradual de exposição.
    A Tripofobia - é uma fobia ainda pouco conhecida, caracterizada pelo medo irracional e excessivo de buracos e ou furos e que atinge uma a três pessoas no mundo. Apesar do transtorno ainda não estar listado no DSM-IV, Manual Diagnóstico de Transtornos Mentais, a verdade é que milhares de pessoas relatam ter pânico ao visualizarem buracos, objetos com furos e aglomerados de buracos “em cachos”. Uns dizem que é escuro dentro dos buracos e que é isso lhes gera um sentimento arrepiador.
    Com o decorrer dos estudos, os pesquisadores concluíram que não é exatamente dos buracos que as pessoas têm medo e sim da associação mental que é feita entre os buracos e um possível perigo, ou seja, é possível que a tripofobia seja desencadeada pelo medo do perigo. Os buracos, ou apenas a imagem deles estimulariam “uma porção primitiva do cérebro que associaria a imagem a algo perigoso”.
    Ela pode ser generalizada e não se limitar ao medo de buracos e furos. Segundo alguns pesquisadores, a fobia só será desencadeada se a sequência de buracos obedecer a um padrão visual geométrico que lembre: 1) a coloração da pele de alguns animais venenosos; 2) perfurações cutâneas; 3) cicatrizes e bolhas causadas por doenças e ferimentos.
    A rejeição pode ser uma herança de nossos ancestrais que tiveram contato frequente com vermes e outros organismos que penetram no corpo e causam inflamações. Os tripófobos têm medo e não suportam “agrupamentos de buracos na pele, carne, madeira, plantas, corais, esponjas, sementes, favos de mel entre outros”.
    Assim, podemos dizer que a Tripofobia “Trata-se de uma fobia relativa de formas geométricas em conjunto. A pessoa que possui esse mal ao visualizar uma sequência estável de formas geométricas automaticamente sente uma imensa sensação de repúdio e pavor, podendo incluir formigamento, coceira, comichão no corpo, ansiedade, náusea, desmaios e até a um ataque de pânico. O efeito aumenta quando as formas encontram-se em ambientes biológico, humano ou não”.
    Exemplos de situações que podem causar tripofobia:
    Círculos agrupados (em cachos);
    Canudinhos um ao lado do outro “em cachos”
    Buracos naturais em rochas;
    Alho partido ao meio;
    Esponjas;
    Queijo com buracos;
    Buracos na rua;
    Corais;
    Bolhas de sabão umas ao lado da outra
    Chocolate aerado sufflair cortado ao meio mostrando “milhões” de buraquinhos
    Alhos quando cortamos só a “tampa de cima”
    Flor de lótus seca
    Crustáceos
    Colmeia, cheia de hexágonos ao lado do outro
    Miolo de girassol
     

    PUBLICIDADE
  • Respondido em 22/03/2016
    Olá,

    Geralmente a pessoa que sofre de tripofobia tem dificuldades diárias com coisas simples, como ir ao mercado, ver notícias, etc. Pois qualquer foto pode dar sintomas que podem fazer inclusive com que a pessoa desmaie.
    É importante você pedir para alguém imprimir fotos que lhe cause a fobia e leve em consulta com um psiquiatra. Ele irá avaliar e verificar a necessidade de medicamentos e indicar o melhor tratamento para seu caso, que normalmente é associado terapia psicológica comportamental e cognitiva.