Andrea perguntou:

Por que o tratamento do TDAH é tão caro e o SUS descarta a possibilidade desse diagnóstico?

  • Respondido em 23/06/2015
    Dr. Ivan Mario Braun Psiquiatria - CRM 57449/SP
    especialista minha vida
    Olá,

    O transtorno de déficit de atenção / hiperatividade pode ser tratado com algumas medicações estimulantes, como o metilfenidato e a lisdexanfetamina, com o antidepressivo atomoxetina (que não existe, no Brasil) e/ou com técnicas comportamentais.

    Estas medicações são caras, para alguns bolsos. Segundo pesquisei, estas medicações não fazem parte da lista de medicações que o SUS considera essenciais (pelo menos até o ano passado) e, por isto, não são disponíveis.

    Infelizmente, o motivo pelo qual estas medicações podem não estar disponíveis, é justamente o fato de serem custosas e não haver investimentos suficientes na área de saúde, privando a população de tratamentos essenciais.

    Caso haja comprovação do diagnóstico e indicação clara do tratamento e ele não for disponível, no SUS, parece-me que é possível entrar com um mandado de segurança e obter do governo que financie seu tratamento. Pergunte a um advogado. Já consegui para alguns pacientes meus, em relação a outras medicações que não havia, no SUS.

    PUBLICIDADE