Descolamento prematuro da placenta: sintomas, tratamentos e causas | Minha Vida
PUBLICIDADE

Descolamento prematuro da placenta: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Descolamento prematuro da placenta?

Também chamada de placenta abrupta, o descolamento prematuro da placenta (DPP) é uma complicação grave, mas incomum da gravidez.

PUBLICIDADE

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A placenta é um órgão redondo e achatado que se forma durante a gravidez, com a função de nutrir e fornecer oxigênio ao bebê. O descolamento da placenta é um problema de gravidez em que a placenta se separa demasiado cedo da parede do útero.

Em uma gravidez normal, a placenta mantém firmemente ligado à parede interna do útero até depois que o bebê nasce. Caso haja descolamento prematuro da placenta, ela se rompe da parede do útero muito cedo, antes de o bebê nascer.

Descolamento prematuro da placenta pode ser muito prejudicial. Em casos raros, pode ser mortal. O bebê pode nascer muito cedo (precoce) ou com baixo peso. A mãe pode perder uma grande quantidade de sangue.

Descolamento da placenta ocorre geralmente no terceiro trimestre de gestação. Mas isso pode acontecer a qualquer momento após a viségima semana de gravidez.

Causas

A causa específica de descolamento prematuro da placenta é geralmente desconhecida. As possíveis causas incluem trauma ou lesão no abdômen - a partir de um acidente de carro ou queda, por exemplo - ou perda rápida de líquido amniótico.

Fatores de risco

Fatores de risco comuns para descolamento prematuro da placenta incluem:

Fatores de risco menos comuns incluem:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Últimas perguntas sobre Descolamento prematuro da placenta

Sintomas

Sintomas de Descolamento prematuro da placenta

O descolamento prematuro da placenta é mais provável nas últimas 12 semanas antes do nascimento. Sintomas de descolamento prematuro da placenta clássicos incluem:

A dor abdominal e dor nas costas muitas vezes começam de repente. A quantidade de sangramento vaginal pode variar, e não corresponde necessariamente a quantidade de placenta que foi separada a partir da parede interna do útero. É ainda possível ter um descolamento prematuro da placenta grave e sem sangramento visível, se o sangue fica preso dentro do útero pela placenta.

Em alguns casos, o descolamento prematuro da placenta se desenvolve lentamente. Se isso acontecer, você pode notar um sangramento vaginal intermitente. Seu bebê pode não crescer tão rapidamente quanto o esperado, e você pode ter o líquido amniótico reduzido ou outras complicações.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Procurar atendimento de emergência se você tiver quaisquer sinais ou sintomas de descolamento prematuro da placenta, incluindo:

Na consulta médica

Descolamento prematuro da placenta é geralmente uma emergência médica. Dependendo da gravidade de seu descolamento prematuro da placenta, você pode precisar ser admita no hospital e monitorada.

Se você e o bebê estão sendo monitorados no hospital, aqui estão algumas informações para ajudá-lo a se preparar para o que está por vir, e o que esperar do seu médico.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

Diagnóstico de Descolamento prematuro da placenta

Os exames para diagnosticar descolamento prematuro da placenta podem incluir:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Descolamento prematuro da placenta

Não é possível recolocar uma placenta que está separada da parede do útero. Opções de tratamento para descolamento prematuro da placenta dependerão das circunstâncias:

O bebê não está perto de nascer

Se o descolamento parece leve, o ritmo cardíaco do seu bebê é normal e é muito cedo para nascer, você pode ser internada para acompanhamento. Se o sangramento para e a condição do seu bebê é estável, você pode ser capaz de descansar em casa. Em alguns casos, pode ser dada medicação para ajudar os pulmões do bebê a amadurecerem, caso o parto prematuro torne-se necessário.

O bebê está perto de nascer

Se o seu bebê é quase a termo - em geral após 34 semanas de gravidez – e o descolamento prematuro da placenta parece mínimo, acompanhar de perto o parto vaginal pode ser possível. Se o descolamento progride ou compromete a sua saúde ou a saúde do seu bebê, você vai precisar de uma entrega imediata - geralmente por cesárea. Se surgir uma hemorragia grave, você pode precisar de uma transfusão de sangue.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Convivendo (prognóstico)

Complicações possíveis

Descolamento prematuro da placenta pode causar problemas de risco de vida para a mãe e o bebê. Para a mãe, o descolamento prematuro da placenta pode levar a:

Para o bebê, descolamento prematuro da placenta pode levar a:

Depois que o bebê nasce, sangramento no local da inserção placentária é provável. Se o sangramento não pode ser controlado, a remoção de emergência do útero (histerectomia) pode ser necessária.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Prevenção

Prevenção

Não é possível prevenir diretamente o descolamento prematuro da placenta, mas você pode diminuir alguns fatores de risco que tornam o problema mais provável. Por exemplo, não fumar ou usar drogas ilegais, como a cocaína. Se você tem pressão alta, controlar a doença.

Se você já teve um descolamento prematuro da placenta e está planejando uma nova gravidez, converse com seu médico ou médica sobre formas de reduzir o risco de outro descolamento antes de conceber novamente. Também é importante monitorar cuidadosamente a sua condição durante toda a gravidez.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Referências

Revisado por: Jurandir Passos, ginecologista e obstetra do laboratório Atalaia, em Brasília - CRM 60633

Associação de Ginecologista e Obstetrícia do Estado de São Paulo

Federação Brasileira das Associações de Ginecologista e Obstetrícia