PUBLICIDADE

Disidrose: o que é, causas, sintomas e tratamento

Visão Geral

O que é Disidrose?

A disidrose (CID 10 - L30.1), ou eczema disidrótico, é uma doença de pele rara e decorrente de uma reação alérgica.

Trata-se de um quadro de dermatite caracterizado pelo surgimento de pequenas vesículas nas mãos e pés - similares ao formato de sagus.

Normalmente, as bolhas com líquido dentro surgem na sola dos pés e na lateral dos dedos - sendo incomum de ocorrer em outras partes do corpo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

As vesículas não ficam por muito tempo no corpo e tendem a secar após duas a três semanas em média

Disidrose é contagiosa?

A disidrose não é uma doença contagiosa. Dessa maneira, não há risco de contrair a condição a partir do contato com a pele de alguém que conviva com a patologia.

A disidrose é uma condição incomum, decorrente de uma reação alérgica. Não se trata de uma doença contagiosa e as vesículas tendem a secar após duas a três semanas em média. Entenda a dinâmica da doença.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Foto: shutterstock/auiechi
Foto: shutterstock/auiechi

Por vezes ela ainda pode ficar crônica, ou seja, com os sintomas aparecendo repetidas vezes mesmo com o tratamento, o que geralmente significa que a pessoa ainda não identificou a causa da alergia e acabou entrando em contato com ela novamente.

Causas

A causa exata da disidrose ainda não é esclarecida. Por muito tempo achou-se que elas ocorriam devido algum problema nas glândulas presentes nas mãos e pés. Hoje é mais aceito que o problema esteja relacionado à alguma alergia, que pode ser por:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Outra reação alérgica que pode estar relacionada à disidrose é por fungos. Este tipo acontece mais na região dos pés e um exemplo bastante comum é a micose. Logo, nestes casos a pessoa pode ter apenas uma micose ou uma disidrose secundária, que pode ser confirmada com um exame micológico.

Ela também está relacionada ao estresse emocional, em que os sintomas tenderiam a surgir em épocas de maior estresse na vida da pessoa.

Por vezes ela ainda pode ficar crônica, ou seja, com os sintomas aparecendo repetidas vezes mesmo com o tratamento, o que geralmente significa que a pessoa ainda não identificou a causa da alergia e acabou entrando em contato com ela novamente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Disidrose é contagiosa?

A disidrose não é uma doença contagiosa, transmissível de pessoa para pessoa. Dessa maneira, não há risco de contrair a condição a partir do contato com a pele de alguém que sofra desse quadro.

Sintomas

Sintomas de Disidrose

Os sintomas da disidrose são muito característicos, marcados pela presença de pequenas bolhas d'água, com o formato de grãos de sagus, nas mãos e nos pés.

Normalmente o sintoma se concentra na palma das mãos e na lateral dos dedos, assim como nas solas dos pés - nunca em outra região do corpo. Em casos mais graves e extensos ela pode atingir quase a totalidade das mãos e pés.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Outros sintomas de disidrose são:

Diagnóstico de Disidrose

O diagnóstico da disidrose é clínico. Não existem exames específicos para disidrose, a não ser exames laboratoriais micológicos para análise de fungos que podem auxiliar o estudo clínico do paciente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Disidrose tem cura?

A disidrose é uma doença crônica, que não há cura. Até que se descubra as possíveis causas é bastante comum que os sintomas apareçam constantemente.

Contudo, com a descoberta da causa que leva ao aparecimento das erupções cutâneas, a expectativa é que se consiga prevenir as crises.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Disidrose

Uma vez feito o diagnóstico, o dermatologista responsável indicará o melhor tratamento para cada caso de disidrose. Normalmente são recomendados cremes ou pomadas com corticoides potentes que ajudam a regredir a lesão mais rapidamente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Além disso, é aconselhado manter o local sempre hidratado, uma vez que a pele desidratada fica mais sujeita a alguma alergia que poderia causar a disidrose. A pessoa pode esperar que com o tratamento a lesão seque mais rapidamente, que ela pare de coçar e que ao final a pele descame um pouco.

Quando for descoberta a causa da disidrose também pode ser recomendado evitar este gatilho do problema.

Alimentos proibidos na disidrose

Alguns alimentos possuem possivelmente influência sobre o quadro de disidrose; por conta disso, é recomendado que pessoas com essa quadro os evitem. Entre eles, estão:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Complicações possíveis

Complicações da disidrose não são comuns, normalmente apenas há a presença dos sintomas - que são incômodos - e o risco deles retornarem.

Contudo, uma complicação rara que pode ser citada é a infecção bacteriana, uma vez que as bolhas na pele coçam, e este contato com as unhas poderia servir como porta de entrada para infecções.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Quando se descobre a disidrose é importante o tratamento e acompanhamento do problema com um dermatologista.

Uma vez encontrada a causa do problema, principalmente nos casos das reações alérgicas, é importante evitar entrar em contato com este gatilho, pois há o risco dos sintomas retornarem.

No caso de uma reação à produtos de limpeza, por exemplo, é necessário usar luvas quando for limpar a casa. Se é a algum inalante, o melhor é evitar o produto e assim por diante, mas sempre dependendo da suspeita da causa.

Prevenção

Prevenção

Não existe uma forma comprovada de se prevenir a disidrose, até porque, normalmente, a sua causa é desconhecida. Contudo, aprender como lidar com o estresse, evitar a exposição a químicos e metais, entre outras medidas, podem ajudar na prevenção.

Da mesma forma, caso os sintomas já tenham se manifestado uma ou mais vezes, é importante evitar aquilo que se suspeita ser o gatilho para o seu aparecimento com a finalidade de prevenir a disidrose.

Fatores de risco

Os fatores de risco para disidrose mais aceitos incluem:

Diagnóstico e Exames

Na consulta médica

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar tempo. Dessa forma, você já pode chegar ao consultório com algumas informações:

Também é importante levar suas dúvidas para o consultório por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar.

Buscando ajuda médica

O especialista mais recomendado para diagnosticar e tratar a disidrose é o dermatologista. Você deve procurá-lo caso apresente estes sintomas ou erupções cutâneas por vários dias que não somem sozinhas.

Referências

Fernando Sperandeo de Macedo, médico dermatologista do Fleury Medicina e Saúde - CRM: 80140/SP.

Mônica Azulay, médica dermatologista e coordenadora do departamento de Cosmiatria da Sociedade de Dermatologia do Rio de Janeiro (SBDRJ) - CRM: 437838/RJ.

Clínica Mayo.