PUBLICIDADE

Escherichia coli (E. coli): o que é, sintomas e tratamento

A infecção pela bactéria pode atingir diferentes partes do corpo; conheça as formas de identificar o agente no organismo

O que é Escherichia coli

A Escherichia coli (E. coli) é um tipo de bactéria que habita no sistema digestivo do ser humano e de outros animais. Apesar de ser associada, na maioria das vezes, a uma infecção, a E. coli é um dos elementos responsáveis por auxiliar no funcionamento do organismo, mantendo o corpo e o intestino saudáveis.

Porém, de acordo com Jane Teixeira, infectologista e gerente médica da Sharecare, a reprodução dessa bactéria se torna anormal após a ingestão de altas cargas bacterianas ou de novos grupos de bactérias, o que pode ocorrer com o consumo de alimentos impróprios.

Escherichia coli na urina

Após a infecção por E. coli no intestino, os microorganismos podem migrar para diferentes partes do corpo. Quando eles se deslocam para o trato urinário, é comum que sejam a causa de uma infecção na região.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Ainda de acordo com Jane, os quadros mais comuns de infecção urinária por E. coli são as cistites - inflamação da bexiga que pode causar febre baixa e a presença de sangue na urina.

Sintomas de E. coli

No trato intestinal, os sintomas de infecção por E. coli são:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Ligia Brito, clínica-geral do Hospital Edmundo Vasconcelos, em São Paulo, explica que, em casos de infecção urinária pela Escherichia coli, o processo pode ser assintomático, ou seja, sem apresentar nenhum sintoma. Porém, também é possível notar os seguintes sinais:

Transmissão

A E. coli pode ser transmitida de diferentes formas. Alguns exemplos são:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico

Não há características clínicas que possam determinar com clareza que uma infecção é causada pela E. coli. Em casos de suspeita, o diagnóstico é realizado através do exame de urina e pela cultura de fezes, principalmente em pacientes que apresentam alteração na imunidade e risco de agravamento do quadro.

"Devemos lembrar que o isolamento de E. coli em culturas de urina ou fezes só é relevante diante de quadro clínico sugestivo de infecção, com uma contagem de colônias relevante, pois esta bactéria já é uma colonizadora do trato urinário e digestivo da maioria das pessoas", explica a médica infectologista Jane Teixeira.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tratamento de E. coli

Em geral, o tratamento para a infecção por E. coli é feito através do uso de antibióticos prescritos pelo médico. Em alguns casos, é possível que medicamentos antimicrobianos sejam indicados.

"Nos casos de infecção urinária, incluímos o pedido de um antibiograma, pois, em alguns pacientes, acontece a infecção de repetição e a bactéria se torna resistente aos remédios mais comuns. Com isso, é preciso interná-lo para ministrar antibióticos mais potentes", explica a médica Ligia Brito.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Complicações

Na maioria dos casos, a infecção por Escherichia coli costuma ser tratada rapidamente, sem causar grandes complicações. Porém, em quadros de infecção intestinal sem o tratamento adequado, há o risco da E. coli se disseminar para a corrente sanguínea, trazendo complicações mais graves, se expandindo e causando sérios danos em outros órgãos, podendo levar o paciente a óbito.

Caso a bactéria migre do sistema urinário para os rins, é possível que haja o aparecimento de pielonefrite - infecção da pelve ou do parênquima renal. Jane Teixeira explica que, se não tratada adequadamente, a doença pode causar sequelas locais, como a perda da função do órgão até problemas mais agudos.

Escherichia coli na gravidez

Quando a infecção por E. coli ocorre durante a gestação, há uma série de fatores que podem colocar a saúde da mãe e do bebê em risco. De acordo com as especialistas, até mesmo uma infecção assintomática pode causar complicações, reforçando a importância de um acompanhamento médico constante durante toda a gravidez.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Caso a bactéria se espalhe para a área da placenta, é possível que ocorram fortes contrações, o que intensifica o risco de aborto ou parto prematuro. Se um recém-nascido é infectado, sua baixa resistência pode levá-lo a quadros graves mais rapidamente.

Prevenção

A contaminação por E. coli pode ocorrer em qualquer pessoa. Entretanto, há algumas medidas preventivas que podem ser tomadas para evitar a infecção pela bactéria, como:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Fontes

Jane Teixeira, infectologista e gerente médica da Sharecare

Ligia Brito, clínico-geral do Hospital Edmundo Vasconcelos