publicidade

Aprenda a lidar com o estresse com sete maneiras rápidas e eficazes

Vale respirar fundo ou cantar uma música para solucionar o problema sem demora

POR MANUELA PAGAN - atualizado em 06/03/2013


O estresse é um estímulo que surge com o objetivo de preparar o corpo para a luta ou para a fuga. Nossos antepassados certamente usaram essa descarga hormonal no sentido literal, mas, em meio à correria do século XXI, nós a usamos mesmo é para lutar contra o tempo e fugir das cobranças. Nessas ocasiões, as alterações agudas causadas por essa sensação ajudam a achar as melhores soluções, sempre no prazo certo.

Se as pendências se acumulam, entretanto, e você não consegue colocar a cabeça no travesseiro sem recordar de todos os compromissos não resolvidos, pode ser que o estresse tenha virado crônico. "A adrenalina, liberada em situações agudas, começa a dar lugar ao cortisol - hormônio que pode desencadear doenças, como a obesidade", explica a endocrinologista Alessandra Rascovski, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Ioga, meditação, terapia e exercício físico são práticas que ajudam muito no controle do estresse, mas elas são praticamente impossíveis no meio do expediente, do trânsito ou da bagunça das crianças. Por isso, o Minha Vida conversou com os especialistas e listou algumas dicas para controlar os hormônios em até cinco minutos. Que tal encaixá-las na sua rotina? 

de 7

Amigos assistindo a um vídeo engraçado - foto: Getty Images

Assista a um vídeo divertido

Os níveis dos hormônios cortisol e adrenalina (relacionados ao estresse) diminuem muito quando você dá umas boas risadas. Isso foi o que encontrou um estudo realizado pela Loma Linda University, nos Estados Unidos, que analisou a resposta hormonal dos participantes ao assistir um vídeo engraçado e constatou que os efeitos podem durar de 12 a 24 horas.

A endocrinologista Alessandra Rascovski lembra ainda que as risadas podem aumentar os níveis de endorfina - hormônio que combate o estresse. Por isso, aproveite as ferramentas que tiver na mão para dar aquela gargalhada. Vale entrar no Youtube e assistir a um clássico da comédia ou um bate-papo com um amigo divertido.  

Chá preto - foto: Getty Images

Tome um chá

Um estudo realizado pela University College London, na Inglaterra, descobriu que tomar chá preto pode ajudar a reduzir os níveis de cortisol em até 47%. Os pesquisadores dizem que os benefícios podem estar ligados a algumas substâncias, como os flavonoides, os polifenóis e os aminoácidos, presentes na bebida. Mas é bom não exagerar, já que cada 50 ml desse chá contêm 10 mg de cafeína. Segundo a IFIC (International Food Information Council), o ideal é consumir, no máximo, 300mg de cafeína por dia. Mas esse limite pode variar, já que cada pessoa tem um grau diferente de sensibilidade à cafeína. 

Mulher cantando  - foto: Getty Images

Cante uma música ou recite um poema

Sabe aquela música que você gosta e dá aquela sensação de bem-estar? Ela também pode te ajudar nas horas de estresse. Alessandra explica que o cortisol está muito relacionado à resposta de cognição, ou seja, com o pensamento. Manter o foco longe das preocupações ajuda a reestabelecer os níveis normais de hormônio. Funciona como um mantra: acalma a mente e relaxa os músculos.  

Mulher comendo maçã - foto: Getty Images

Coma um alimento doce e saudável

Você come chocolate na hora que o estresse aumenta crente de que vai melhorar? Cuidado! O chocolate realmente dá uma sensação de prazer, mas ela passa rapidinho. Isso porque os níveis de glicose que sobem ao comer esse alimento sofrem uma queda brusca logo depois. "A solução é comer um alimento que aumente a glicemia no sangue e a deixe constante, sem queda brusca, como uma fruta fresca ou desidratada", aconselha Alessandra Rascovski.  

Acupressão - foto: Getty Images

Pressione os pontos certos

O estresse agrega uma série de emoções que a acupuntura ajuda a reequilibrar (ansiedade, preocupação, melancolia e até tristeza). Para facilitar, um estudo realizado pela Hong Kong Polytechnic University indica que somente apertar certos pontos - técnica chamada de acupressão - também ajuda a diminuir o estresse em até 39%.

O médico acupunturista Alexandre Yoshizumi, coordenador do ambulatório de acupuntura do Hospital do Servidor Público Estadual, dá a dica:

1. Massageie o espaço entre o indicador e o polegar em sentido horário pelo menos 15 vezes. "Esse é um ponto que age diretamente na cabeça e alivia as tensões", explica.
2. Faça o mesmo com um ponto no tórax, exatamente entre os mamilos e sobre o esterno (ossinho que fica bem no meio do peito).Massagear esse ponto ajuda no fluxo de energia e acalma a respiração", conta o acupunturista. 

Mulher respirando profundamente - foto: Getty Images

Respiração

A respiração é um dos principais aliados para lidar com o estresse. Respirar profundamente pelo menos 15 vezes, enchendo a barriga e deixando todo o ar sair dos pulmões, desacelera o coração e faz com que a ansiedade diminua. "É importante tentar se desligar do mundo ao redor enquanto faz essa respiração profunda - como se fosse em uma meditação", explica Alexandre Yoshizumi.  

Mulher falando em volume alto - foto: Getty Images

Solte o verbo

Um estudo realizado pela University of East Anglia (Inglaterra) e publicado pelo Leadership & Organization Development Journal observou que funcionários que falam mais palavrão têm menores níveis de estresse em comparação com quem evita essas expressões. Além disso, esses trabalhadores são mais solidários com seus colegas e trabalham mais em equipe. Os pesquisadores recomendam: o ideal é achar o meio termo, já que xingamentos muito feios podem ser ofensivos e acabar com o clima do trabalho. Vá ao banheiro ou, então, espere até entrar no carro para proferir poucas e boas.  

ver texto completo


Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Mais sobre:

Shopping Vida Saudável

PUBLICIDADE

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."


Você está usando uma versão antiga do seu navegador :( Para obter uma melhor experiência, atualize agora!
X