14 cuidados para manter a voz saudável

Como comer maçã e até bocejar ajudam a preservar a saúde vocal

POR LETÍCIA GONÇALVES - ATUALIZADO EM 14/09/2016

Passar um dia rouco já é o suficiente para perceber o quanto a voz é importante para o ser humano. Por meio dela, conseguimos comunicar nossos pensamentos e emoções, além de revelarmos muito da nossa personalidade.

Os cuidados com esse meio de expressão é essencial. "Cuidar da voz é uma questão de condicionamento físico. Ela precisa estar forte para aguentar as variações do dia a dia", aconselha a fonoaudióloga Thays Vaiano.

"O ideal é prestar atenção nos sinais que a voz nos dá. Ficar rouco com frequência, sentir dor, dificuldade na hora de falar ou viver com a garganta coçando são sinais de que algo vai mal", completa a especialista. Para evitar esses incômodos e garantir uma voz saudável, confira dicas de fonoaudiólogos:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Invista na maçã!

Maçã - Foto: Getty Images

A fonoaudióloga Thays Vaiano explica que a fruta tem ação adstringente, ou seja, "limpa" a garganta, trazendo alívio e bem-estar.

Evite pigarros

Homem pigarreando - Foto: Getty Images

"Ao efetuar muitos pigarros com o objetivo de melhorar a secreção presente nas pregas vocais, o efeito é exatamente contrário", adverte a fonoaudióloga Sonia Salama, membro do Comitê Nacional de Fluência da Fala. Por isso, para compensar a necessidade de tossir ou pigarrear forte, tente beber água ou deglutir algumas vezes.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Boceje!

Homem bocejando - Foto: Getty Images

O lema é relaxar. Aproveite ao acordar para bocejar e espreguiçar, ações que podem diminuir a tensão da região do pescoço e dos ombros. "Transforme também a hora do banho em um momento de relaxamento. Faça alguns exercícios movimentando os ombros e o pescoço na água morna", aconselha a fonoaudióloga Solange Dorfman.

Evite o cigarro

Cigarro no cinzeiro - Foto: Getty Images

Ele é um dos maiores vilões da voz - e da laringe! "Causa irritação e pode provocar laringite. Com o tempo, a voz fica mais grave e perde a potência", explica Sonia Salama, fonoaudióloga. A nicotina, associada ao calor da fumaça, resseca as cordas vocais fazendo com que você fique rouco ou force ainda mais a musculatura para falar. E as consequências não ficam por aí: estudos comprovam que a incidência de câncer de laringe é maior em fumantes.

Beba álcool com moderação

Dois copos sendo enchidos com bebida - Foto: Getty Images

O álcool também irrita as vias respiratórias e altera a qualidade vocal. Tem gente que diz que a bebida ajuda a "aquecer" a voz. Mas isso não passa de um mito! "O excesso de álcool pode até gerar um efeito agradável de relaxamento, mas também tem o efeito de anestésico", explica a fonoaudióloga Sonia. Com as pregas vocais "amortecidas", não conseguimos controlar o esforço que utilizamos ao falar e podemos exagerar, causando um grande desgaste.

Evite café em excesso

Pessoa tomando uma jarra inteira de café - Foto: Getty Images

O café também é censurado quando o assunto é saúde vocal. Os responsáveis são o teor de cafeína e a temperatura elevada do café. "Eles desidratam as cordas vocais, assim como o cigarro, e provocam um aumento da acidez no estômago, causando refluxo e ardor na hora de falar", alerta a fonoaudióloga Thays Vaiano.

Articule bem as palavras

Pessoa articulando bem a boca - Foto: Getty Images

A leitura labial e a boa dicção são importantes na comunicação. Articular bem a boca ao conversar facilita que os outros entendam o que você quer dizer e evita que você tenha que falar mais alto ou gritar para conversar.

Evite gritos e sussuros

Menina gritando e outra pedindo silêncio - Foto: Getty Images

Fale normalmente. Usar a voz em tom mais alto ou mais baixo que o habitual necessita um esforço maior, que pode provocar a formação de nódulos. "O calo acontece quando a pessoa força demais a musculatura e produz um choque entre as cordas vocais, devido a essa tensão exagerada. Como consequência, a voz fica com um agudo muito irritante e as pessoas perdem até mesmo o fôlego para falar", explica José Antônio Pinto, otorrinolaringologista do Hospital e Maternidade São Camilo.

Preste atenção na sua respiração

Mulher respirando ar puro - Foto: Getty Images

Respirar pelo nariz é sempre mais saudável. Problemas respiratórios - a maioria de fundo alérgico - nos levam a respirar pela boca. Com isso, a garganta fica mais ressecada e fazemos um esforço maior para falar e respirar.

Tome bastante líquido

Pessoa bebendo água - Foto: Getty Images

E prefira bebidas em temperatura ambiente. A hidratação é a chave para cuidar das pregas vocais. O ideal é ingerir uma média de dois litros de água por dia, ou um copo de água a cada duas horas. "Dessa forma, toda a área das pregas vocais fica mais lubrificada", afirma a fonoaudióloga Sonia Salama. Se sua garganta for sensível ou já estiver irritada, também é interessante evitar líquidos muito gelados.

Cuidado com a azia e má digestão

Homem com dor de estômago - Foto: Getty Images

Tire do cardápio alimentos que causam azia e má-digestão. O motivo é o refluxo gástrico, que é ácido e pode irritar a garganta. A fonoaudióloga Solange Dorfman também recomenda manter sempre uma alimentação equilibrada, sem ficar muitas horas em jejum, e mastigar bem os alimentos.

Evite levantar a voz

Mulher no alto falante - Foto: Getty Images

Procure não gritar, falar muito alto ou cantar durante muito tempo. Alterne períodos de descanso vocal com atividades nas quais você tem que falar muito. "Usar a voz seguidamente durante muito tempo pode levar a uma fadiga muscular", justifica a fonoaudióloga Solange. Aos profissionais que precisam fazer uso diário e constante da voz - como professores, cantores, atores e jornalistas -, fica a dica da fonoaudióloga Thays Vaiano: "Tente não concentrar a força no pescoço, pois é esta força cervical que compromete o aparelho fonador".

Evite o ar condicionado

Homem trabalhando com ar condicionado no teto - Foto: Getty Images

Evite ficar muito tempo em ambientes com ar condicionado. Ele compromete a respiração e resseca o aparelho fonador. É preciso fazer um esforço muito maior com as cordas vocais para produzir o mesmo som que seria emitido sem tanta dificuldade em um ambiente livre de ar condicionado.

Modere na pimenta

Homem com batata frita cheia de pimenta - Foto: Getty Images

Nada de muitos condimentos na comida. Pimenta e outros temperos podem deixar a comida mais saborosa, mas o exagero pode provocar irritações nas cordas vocais. Dependendo da sensibilidade, nem mesmo um bom gole de água pode aliviar a complicação.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
PUBLICIDADE
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não