Candidíase

REVISADO POR
Dr. Fabio Laginha
Ginecologia e Obstetrícia - CRM 42141/SP
especialista minha vida

Visão Geral

O que é Candidíase?

A candidíase é uma infecção fúngica causada pelo crescimento excessivo de um tipo de fungo denominado Candida, geralmente Candida albicans. Esse fungo é normalmente encontrado em pequenas quantidades no corpo humano, não causando qualquer sintoma. No entanto, certos medicamentos e problemas de saúde podem gerar mais “fermento” para esse fungo crescer, especialmente em áreas quentes e úmidas do corpo. Isto pode causar sintomas desconfortáveis e às vezes perigosos. A candidíase gera afeta:

  • Pele
  • Unhas
  • Órgãos genitais
  • Garganta
  • Boca
  • Corrente sanguínea.

Tipos

Candidíase oral

A forma mais comum de candidíase oral é a pseudomembranosa, caracterizada por placas brancas removíveis na mucosa oral (aftas). Outra apresentação clínica é a forma atrófica, que se apresenta como placas vermelhas, lisas, sobre o palato duro ou mole. A candidíase oral da garganta é mais frequentemente vista em crianças, idosos, pacientes recebendo quimioterapia, pessoas com doenças que comprometem o sistema imunológico, pessoas com diabetes e pacientes que tomam antibióticos ou inaladores para asma com medicamentos esteroides.

Candidíase vaginal

Uma candidíase vaginal é um tipo de vaginite - inflamação da vagina - caracterizada por irritação vaginal, coceira intensa e corrimento vaginal. Ela afeta a vagina e os tecidos na abertura de sua vagina (vulva). Cerca de três em cada quatro mulheres já tiveram uma infecção por fungos em algum momento da vida. Muitas mulheres experimentam duas ou mais infecções fúngicas.

Candidíase disseminada

Também chamada de candidíase sistêmica, ela pode ocorrer em recém-nascidos de baixo peso e hospedeiros imunocomprometidos. A candidíase disseminada geralmente acontece quando o fungo atinge a corrente sanguínea, podendo afetar qualquer órgão e causar complicações graves.

A candidíase pode acontecer se você tiver um sistema imunológico enfraquecido e uma infecção por fungos não for tratada. Também pode ocorrer se você entrar em contato com o equipamento médico contaminado pelo fungo. A candidíase disseminada é mais frequente em pessoas que estão ou estiveram no hospital. É uma das principais causas de infecções da corrente sanguínea e morte em pacientes hospitalizados. Você está em maior risco para candidíase disseminada se:

  • Está em unidade do hospital de terapia intensiva (UTI)
  • Fez uma cirurgia recentemente
  • Tem um cateter
  • Tem um sistema imunológico enfraquecido.

Candidíase invasiva é uma doença muito grave que requer tratamento imediato.

Visita ao ginecologista

Fatores de risco

Uso de antibióticos

Infecções fúngicas são comuns em pessoas que tomam antibióticos, principalmente a candidíase vaginal. Antibióticos de largo espectro - aqueles que são eficazes contra uma ampla gama de bactérias - matar bactérias saudáveis na sua vagina, o que pode levar ao crescimento de leveduras.

Aumento dos níveis de estrogênio

Infecções fúngicas parecem ocorrer mais frequentemente em mulheres com aumento dos níveis de estrogênio - por exemplo, em mulheres que estão grávidas, que tomam altas doses de pílulas de estrogênio ou que fazem terapia hormonal de estrógeno.

Diabetes não controlada

Pessoas que têm diabetes mal controlada são mais propensas a desenvolver infecções fúngicas do que são aquelas que têm diabetes sob controle.

Sistema imunológico prejudicado

Pessoas com baixa imunidade - como em terapia usando corticoides ou infectadas pelo HIV - são mais propensas a ter candidíase.

Sexo sem proteção

Embora a candidíase não seja considerada uma DST, ela pode ser transmitida por meio do contato sexual, principalmente para as genitálias e boca.

Sintomas

Sintomas de Candidíase

Candidíase genital

Os sintomas em mulheres incluem:

  • Coceira na área vaginal
  • Dor e vermelhidão na área vaginal
  • Corrimento vaginal branco e agrupado, parecido com queijo cottage
  • Relações sexuais dolorosas.

Os sintomas nos homens incluem:

  • Erupção no pênis
  • Coceira ou ardência na ponta do pênis.

Candidíase oral

Na candidíase oral, os sintomas mais comuns incluem:

  • Manchas brancas dentro da boca e na língua
  • Vermelhidão ou desconforto na região da boca
  • Dor de garganta e dificuldade em engolir
  • Rachaduras em cantos da boca onde seus lábios se encontram.

É importante consultar o seu médico se você tem candidíase oral. Se não forem tratadas, podem infectar sua corrente sanguínea, o que pode ser muito perigoso.

Diagnóstico e Exames

Na consulta médica

Se você foi tratada para uma candidíase no passado, pode ser que faça o mesmo tratamento. Caso contrário, você precisa marcar uma consulta com o ginecologista para tratar a sua doença.

  • Faça uma lista de todos os sintomas que você teve e por quanto tempo
  • Anote informações médicas importantes, incluindo quaisquer outras condições que você está tratando e os nomes de quaisquer medicamentos, vitaminas ou suplementos que você está tomando.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quais os sintomas que você tem?
  • Você percebe um forte odor vindo da vagina/pênis?
  • Há quanto tempo você tem esses sintomas?
  • Você já foi tratado para candidíase?
  • Você tomou antibióticos recentemente?
  • Você é sexualmente ativo?
  • Você está grávida?
  • Você usa sabonete perfumado ou faz banho de espuma?
  • Que medicamentos ou suplementos vitamínicos você toma regularmente?

Diagnóstico de Candidíase

Para diagnosticar uma infecção por fungos, o médico poderá:

  • Fazer perguntas sobre seu histórico médico. Isso pode incluir a coleta de informações sobre infecções passadas ou doenças sexualmente transmissíveis
  • Realizar um exame da área. O médico examina visualmente seus órgãos afetados pela candidíase. Caso seja uma infecção vaginal, o médico coloca um instrumento (espéculo) em sua vagina para segurar as paredes vaginais abertas, de forma a examinar a vagina e colo do útero. O médico pode coletar uma amostra de qualquer corrimento vaginal para exame sob um microscópio ou para realizar um teste de cultura de secreção vaginal, se necessário
  • Enviar uma amostra de secreção para teste. Para candidíase sem complicações, o médico provavelmente não irá executar todos os testes de laboratório. No entanto, se você tem infecções recorrentes, o médico pode ser capaz de prescrever o tratamento mais eficaz se souber o tipo específico de fungo que está causando a infecção.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Candidíase

O tratamento da candidíase irá depender do local em que ela está se manifestando. No geral, a candidíase é tratada com medicamentos antimicóticos e pomadas antifúngicas – ambas de uso local. Caso o sintoma persista, pode ser que o médico prescreva um medicamento de uso oral por tempo prolongado, de forma a evitar que a candidíase retorne.

Medicamentos para Candidíase

Os medicamentos mais usados para o tratamento de candidíase são:

  • Canditrat
  • Clindamin-C
  • Clocef
  • Colpatrin
  • Colpistatin
  • Daktarin
  • Fentizol
  • Flogo Rosa
  • Fluconazol
  • Gynazole-1
  • Gyno-Icaden
  • Gynopac
  • Icaden
  • Itraconazol
  • Nistatina (creme)
  • Nistatina (solução)
  • Nitrato de Miconazol (creme vaginal)

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Prevenção

Prevenção

A maioria dos casos de candidíase pode ser evitado mantendo a pele limpa e seca, utilizando antibióticos apenas com orientação médica, e seguindo um estilo de vida saudável, incluindo alimentação adequada. Pessoas com diabetes devem tentar manter o açúcar no sangue sob controle. Se você tem HIV ou outra doença que favoreça episódios recorrentes de candidíase, o uso contínuo de drogas antifúngicas pode ajudar a minimizar crises.

Fazer a higiene íntima regularmente, preferir roupas com tecidos de algodão e evitar peças justas, além de evitar o uso contínuo de absorventes internos também ajudam a evitar a candidíase vaginal. Usar camisinha em todas as relações sexuais também evita que você seja infectado.

Fontes e referências

  • Fabio Laginha, responsável pela Clínica da Mulher do Hospital 9 de Julho e especialista Minha Vida
  • Ministério da Saúde
  • Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Estado de São Paulo
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não