Cisto de ovário

Visão Geral

O que é Cisto de ovário?

Sinônimos: cistos ovarianos, cisto de corpo lúteo, cisto folicular

Cistos de ovários são bolsas cheias de líquidos que se formam sobre ou dentro do ovário.

Tipos

Existem diversos tipos de cistos ovarianos. O mais comum deles é o cisto funcional, que também possuem dois tipos distintos: os foliculares e os lúteos.

Os outros tipos de cistos existentes não estão relacionados ao ciclo menstrual e são bem menos comuns. São os casos dos cistos dermoide, cistadenoma.

Cisto funcional

A maioria dos casos de cistos no ovário acontece em idade fértil (da puberdade à menopausa), durante o ciclo menstrual. Esses cistos são chamados de funcionais. Cistos ovarianos na menopausa são pouco comuns. Um cisto funcional pode ser tanto folicular quanto lúteo.

Todo mês, durante o ciclo menstrual, um folículo cresce no ovário. Os folículos são o local onde o óvulo se desenvolve. Na maioria dos meses, um óvulo éliberado deste folículo, num processo conhecido como ovulação. Se o folículo não conseguir abrir e liberar o óvulo, o líquido permanece dentro dele e origina um cisto. Isto é chamado de cisto folicular.

Já o cisto de corpo lúteo ocorre após o óvulo ter sido liberado de um folículo. Esses geralmente contêm uma pequena quantidade de sangue.

Outros tipos

  • Cisto dermoide: são formados a partir de células que também dão origem à pele, portanto encontrase em dentes e nos cabelos, para citar dois exemplos
  • Cistadenomas: se desenvolvem a partir do tecido que reveste os ovários
  • Cisto endometrioma: são resultado da endometriose, uma condição na qual o endométrio, o tecido que age como a mucosa que reveste a parede interna do útero, cresce em outras regiões do corpo.

Fatores de risco

Alguns fatores são considerados de risco para uma mulher vir a desenvolver cistos de ovário:

  • Histórico familiar de cistos ovarianos funcionais
  • Uso de medicamentos para impulsionar a ovulação.

Sintomas

Sintomas de Cisto de ovário

A maior parte dos casos de cistos de ovário passa desapercebida, pois não manifestam sintomas. Os sintomas que ocorrem normalmente são dor ou irregularidade no período menstrual.

É provável que um cisto ovariano cause dor se:

  • Aumentar de tamanho
  • Sangrar
  • Romper-se
  • Sofrer uma colisão durante a relação sexual
  • For torcido ou provocar a torção das trompas de Falópio.

Entre outros, os sintomas dos cistos ovarianos são:

  • Inchaço no abdômen
  • Dor ao evacuar
  • Dor na pélvis pouco antes ou depois do início do período menstrual
  • Dor durante as relações sexuais ou dor pélvica ao mover-se
  • Dor pélvica - dor leve e constante
  • Dor pélvica súbita e forte, frequentemente acompanhada de náusea e vômito, podendo ser um sinal de torção do suprimento sanguíneo do ovário ou de ruptura de um cisto acompanhada de sangramento interno.

Os cistos foliculares não costumam provocar alterações nos períodos menstruais, sendo mais frequentes com cistos de corpo lúteo. Alguns cistos podem provocar náuseas ou sangramentos.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Procure um especialista em caso de dores abdominais e pélvicas muito fortes, principalmente se elas vieram acompanhadas de febre e vômito. Não se automedique. Os sintomas de cistos no ovário são muito similares aos de outras doenças. Consulte um médico para que ele possa fazer o diagnóstico e orientar qual o melhor tratamento para seu caso.

Na consulta médica

Na consulta, descreva todos os sintomas que estiver sentindo e tire todas as dúvidas com o médico. Você pode perguntar, por exemplo:

  • Cistos no ovário podem causar câncer ou infertilidade?
  • O que eu posso fazer para evitar que esse problema seja recorrente?
  • Cistos no ovário podem ser sintomas de um problema mais grave?.

O especialista também deverá lhe fazer algumas perguntas, como:

  • Há quanto tempo você está sentindo esses sintomas?
  • Os sintomas surgem junto ao ciclo menstrual?
  • Há alguma medida que melhore ou piore seus sintomas?.

Diagnóstico de Cisto de ovário

Geralmente, um cisto no ovário pode ser identificado em um simples exame pélvico. Mas para determinar o tamanho e o tipo exato do cisto, o médico deverá recorrer a outros exames, como por exemplo:

  • Teste de gravidez: se der positivo, o especialista saberá que o tipo de cisto em questão é lúteo
  • Ultrassom pélvico: o exame de imagem possibilitará ao médico identificar o tamanho do cisto e também sua composição (se é sólido, fluido, misto, etc)
  • Laparoscopia: por meio de um laparoscópico, o médico poderá examinar mais atentamente a região dos ovários em busca de um cisto

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Cisto de ovário

O tratamento depende muito da idade da paciente, dos sintomas do tamanho e do tipo do cisto. Muitas vezes, o cisto desaparece por conta própria, dispensando a terapia. Isso pode demorar alguns meses. Para garantir que o cisto se foi completamente, ele poderá pedir ultrassons e exames pélvicos periódicos. Caso esta não seja uma opção ou caso o cisto não vá embora sozinho, existem outros meios para tratar a doença. Confira:

  • Anticoncepcionais costumam ser uma opção para evitar que novos cistos se desenvolvam nos ovários
  • Cirurgia de retira de cistos também pode ser uma alternativa, mas geralmente o médico só recorre a esse tipo de intervenção quando não há outra opção. No entanto, pode ser também a única solução caso o cisto seja grande demais, não seja funcional ou esteja crescendo.

Caso o cisto seja cancerígeno, talvez seja necessário extrair ambos os ovários.

Convivendo (prognóstico)

Expectativas

Os cistos que ocorrem em mulheres que ainda menstruam costumam desaparecer sozinhos. Mesmo quando isso não acontece, o tratamento costuma ser eficiente. Existe um risco maior de câncer em mulheres que estão na pós-menopausa.

Complicações possíveis

As complicações podem ocorrer com cistos que:

  • Sangram
  • Rompem-se
  • Mostram sinais de alterações que podem sugerir um câncer
  • São torcidos.

Prevenção

Prevenção

Não há uma forma realmente eficaz de se prevenir cistos no ovário, mas é possível realizar exames com frequência para detectar o problema precocemente e iniciar o tratamento o quanto antes.

Além disso, caso a pessoa não esteja tentando engravidar e apresente cistos com frequência, você pode evitá-los ministrando hormônios (pílulas anticoncepcionais, por exemplo), que previnem o crescimento dos folículos.

Fontes e referências

  • Revisado por: Dra. Barbara Alencar Rolim Murayama, ginecologista - CRM: 112527
  • Ministério da Saúde
  • Sociedade de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não