Sensibilidade ao calor

Visão Geral

O que é Sensibilidade ao calor?

Sensibilidade ou intolerância ao calor é quando há algum problema na regulação da temperatura do corpo, fazendo com que a pessoa não consiga se sentir bem com o aumento da temperatura externa. Para a maioria das pessoas não é confortável ficar em ambientes muito quentes, mas para àqueles com sensibilidade ao calor é impossível lidar com a situação.

A temperatura do corpo é controlada de forma muito delicada pelo hipotálamo, que é uma região do cérebro. Quando está muito quente é ele que manda um sinal aos nervos da pele para a liberação do suor que, quando evapora, esfria a pele. Normalmente os sintomas aparecem gradualmente e, depois que ela se estabelece, eles duram de um a dois dias.

Verão: saiba quais são as doenças provocadas pelo calor

Causas

São diversas as potenciais causas de sensibilidade ao calor, dentre elas:

  • Medicações para alergias, controle da pressão arterial e para congestão nasal
  • Consumo de cafeína, que estimula o batimento cardíaco e o funcionamento do metabolismo, aumentando a temperatura corpórea
  • Hipertireoidismo, porque uma quantidade aumentada de hormônios também aumenta a temperatura do corpo
  • Esclerose múltipla, porque a doença ataca várias partes do corpo, inclusive os nervos, que podem ficar danificados e não conseguir transmitir os sinais para que o corpo produza
  • Ter alguma doença neurológica

Sintomas

Sintomas de Sensibilidade ao calor

Pessoas com sensibilidade ao calor também podem sentir que estão superaquecendo, além de apresentar outros sintomas, como:

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Por mais que os sintomas de sensibilidade ao calor sejam desagradáveis, muitas vezes não é possível fugir das altas temperaturas. Por isso, algumas medidas podem ajudar a lidar com o problema.

Mantenha-se hidratado

Beba bastante líquidos ao longo do dia e sempre carregue uma garrafa de água na bolsa ou mochila. Sempre que sentir sede beba um pouco de água.

Ingira alimentos frios

Alimentos frios, como frutas e saladas, além de serem refrescantes e leves, contém bastante água e nutrientes, fazendo com que o corpo se mantenha nutrido e hidratado.
Salada do verão

Exercite-se em horários mais frios

Quando for praticar exercícios físicos, prefira realiza-los nos horários mais frios do dia, como nas primeiras horas da manhã ou durante a noite. É importante lembrar de ingerir bastante água durante e após se exercitar.

Evite exposição ao sol

Durante os horários mais quentes do dia, que vão dentre às 11h e 15h, evite ficar exposto ao sol.

Evite o sol direto em casa

Caso as janelas da casa recebam sol direto durante o dia, mantenha-as abertas, mas com as cortinas fechadas. Se for necessário, use ventiladores para manter os ambientes mais frios.

Use roupas frescas

Se possível, use sapatos e sandálias abertos nos dias muito quentes. Também é importante usar um boné ou viseira para proteger o rosto do sol, além do protetor solar. As roupas também precisam ser leves, de cores claras e não muito justas.

Tome banhos frios

Tomar um banho com o chuveiro desligado pode ajudar a relaxar e diminuir a temperatura corpórea. Também usar sprays d’água ao longo dia, ou colocar pés ou mãos em um recipiente com água gelada, em muitos casos, ajuda a controlar a temperatura de todo o corpo.

Evite variar entre ambientes muito frios e muito quentes

Pessoas com sensibilidade ao calor podem ficar extremamente fatigadas se ficarem saindo ao sol e depois voltando para dentro de um prédio com ar condicionado, por exemplo. Por essa razão, além dos maiores riscos de ficar resfriado ou com dor de garganta, é importante evitar mudanças bruscas de temperatura.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Como a sensibilidade ao calor, dependendo da sua causa, pode ocasionar diversos problemas, que vão desde exaustão e desmaios até a perda temporária da visão e problemas cardíacos, é importante procurar ajuda médica se tiver alguma doença relacionada com o problema. Da mesma forma, se os sintomas estão atrapalhando a qualidade de vida do paciente, ou se ele está passando mal com frequência devido ao calor.

Na consulta médica

Caso o paciente esteja tratando alguma condição de saúde concomitante, ele deve avisar ao médico responsável sobre o sintoma. Ele pode verificar a possibilidade do problema ser ocasionado por alguma medicação, pela evolução do quadro ou por algum outro problema.

Caso não esteja tratando outras doenças, o paciente deve procurar o clínico geral, que começará a investigar as causas e então poderá encaminhar o caso para o especialista na possível causa do problema.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar tempo. Dessa forma, você já pode chegar ao consultório com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que tenha e medicamentos, vitaminas ou suplementos que tome com regularidade

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes de sair do consultório.

Fontes e referências

  • Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla
  • Brain and Spine Foundation
  • Healthline
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não