PUBLICIDADE

Aposte na comida árabe para manter a dieta

Pouco gordurosa e bastante variada, ela se ajusta facilmente ao regime

O kibe e a esfiha são, sem dúvida, os carros-chefes da culinária árabe, mas as delícias vindas do oriente vão muito além disso, tanto no que diz respeito aos prazeres do paladar quanto aos benefícios que ela pode trazer para a saúde e para a dieta. Sim, podemos apostar na comida sírio-libanesa para variar o regime.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Cheio de colorido e excentricidades, o cardápio árabe é recheado de carne vermelha, aves, peixes, frutos do mar, grãos, vegetais e muitos temperos e especiarias que enchem os pratos de sabor. "A vantagem desta cozinha para a dieta é que dá preferência por ingredientes naturais, frescos e variados", explica a nutricionista Katia Iared.

A culinária árabe utiliza alimentos de todos os grupos alimentares que, combinados nas adequadas proporções, promovem a ingestão suficiente dos nutrientes de que precisamos para manter o organismo turbinado e saudável.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Com o prato equilibrado, os quilos a mais vão embora com mais facilidade. Para te ajudar a ficar com uma cinturinha de odalisca, O MinhaVida conversou com a nutricionista Cristiane Ruiz Durante, que fez um pequeno roteiro nutricional dos principais componentes e pratos da culinária das arábias. Confira abaixo:

Carnes

carne de carneiro - foto Getty Images
carne de carneiro - foto Getty Images

A carne de carneiro é a mais usada nas receitas. Ricamente temperada, ela pode ser assada, guisada e, normalmente, é recheada. A carne de cabrito, a galinha e o peru também são bastante apreciadas. As versões que vão ao forno são as mais recomendadas para a dieta. Retirar as capas de gordura dos cortes também ajuda a emagrecer a garfada.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Peixe

peixe-espada - foto Getty Images
peixe-espada - foto Getty Images

O salmonete, o peixe-espada e a sardinha são os mais populares do menu. Os pratos são temperados com uma rica seleção de especiarias, servidos com molhos e regados com azeite de oliva. Rico em substâncias antioxidantes, o azeite é um forte aliado para reduzir a gordura visceral abdominal e controlar as taxas de colesterol do organismo.

Grão de bico

Grão de bico - foto Getty Images
Grão de bico - foto Getty Images

É um alimento rico em proteínas, fibras e possui um bom teor de carboidratos, ferro, cálcio, potássio e vitaminas do complexo B. Além disso, misturado aos cereais, fornece todos os aminoácidos essenciais ao organismo. É um grão recomendado para os pacientes do diabetes, pois sua fibra solúvel controla as taxas de açúcar no sangue. Além disso, seus nutrientes reduzem a taxa de colesterol ruim (LDL), ajudam a combater a anemia, controlam a hipertensão e melhoram o funcionamento do intestino.

Lentilha

lentilha com carne - foto Getty Images
lentilha com carne - foto Getty Images

É um grão de elevado valor nutricional, pois contem boas doses de proteínas, fibras e é praticamente isenta de gordura. Apresenta, também, muitas vitaminas, especialmente do complexo B, como o ácido fólico, que é essencial para melhorar as funções cerebrais, como memória e raciocínio.

Arroz

arroz - foto Getty Images
arroz - foto Getty Images

É rico em carboidratos, minerais (fósforo, ferro e potássio) e vitaminas. Auxilia na prevenção de doenças do sistema digestivo, do coração e regula a flora intestinal.

Verduras e legumes

tabule - foto Getty Images
tabule - foto Getty Images

São servidos cozidos, recheados ou em conserva. Entre os principais legumes estão abobrinha, repolho, folha de videira, acelga, tomate, pimentão e berinjela. Encha o prato com esses alimentos pouco calóricos e ricos em fibras e vitaminas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Frutas

figo e uvas - foto Getty Images
figo e uvas - foto Getty Images

Uva, figo, romã, ameixa, damasco, amêndoa, pistache, avelã e tâmara são algumas das delícias naturais que compõem doces e licores. São usadas no preparo de bolos, pudins, caldas, geleias, saladas, ensopados de carne, docinhos, refrescos e xaropes. Para não desafiar a balança, aposte nas versões in natura e seca das frutas, principalmente, na hora dos lanchinhos da tarde e para a sobremesa.

Especiarias

especiarias - foto Getty Images
especiarias - foto Getty Images

São muito utilizadas para dar sabor ou perfumar as receitas. Aposte nelas para incrementar o tempero de saladas e até para salpicar sobre o grelhado.

As especiarias mais utilizadas são semente de anis, cravo da índia, cominho, gengibre, sumagre, noz moscada, semente de gergelim, alho, cebola, snubar e pimenta da jamaica. Entre as ervas, destacam-se manjericão, coentro, funcho, manjerona, hortelã, salsa, alecrim, açafrão e cardamomo.

Do grupo dos aromatizantes são sucessos almíscar, âmbar, água de rosas e a água de flor de laranjeira. Um mix de especiarias bastante conhecido é o zattar, tempero granulado, com sabor picante composto por manjerona, tomilho, sementes de gergelim torradas e bagas vermelhas e amargas do sumagre.

Coalhada

coalhada com legumes - foto Getty Images
coalhada com legumes - foto Getty Images

É um tipo de leite fermentado de elevado valor nutritivo, que proporciona o aumento da absorção de vitaminas do complexo B no intestino humano e a melhor absorção do cálcio pelo organismo. Elaborada a partir de leite desnatado, chega a ser até 6 vezes mais digerível que o leite comum.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)