PUBLICIDADE

Obesidade Infantil é um mal que preocupa cada vez mais

A cada dez crianças obesas, oito continuam a ser obesas na vida adulta

Vivemos um momento de epidemia da obesidade e estudos comprovam estreitas ligações da obesidade na criança e adolescente com doenças na vida adulta como: diabetes, hipertensão e hipercolesterolemia. A causa é multifatorial, sabe-se que o hábito alimentar inadequado é um dos fatores contribuintes para desencadear a doença. A incidência da obesidade no Brasil vem aumentando nos últimos anos, principalmente nos grandes centros urbanos, independente da classe social.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A obesidade está relacionada na maioria dos casos pelo consumo excessivo de alimentos com redução da atividade física, sendo menos de 5% provocada por distúrbios endocrinológicos ou neurológicos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, o número de crianças obesas tem aumentado cada vez mais. Enquanto nos anos oitenta apenas 3% das crianças eram obesas, hoje este número subiu para 15%.

Este é um dado que preocupa, uma vez que pesquisas mostram que em cada 10 crianças obesas, 8 se tornam adultos obesos. Isto ocorre, pois é durante a infância e adolescência que os hábitos alimentares, que serão seguidos futuramente e que influenciarão diretamente a saúde do adulto, são formados. Por isso, é extremamente importante que neste período a criança seja realmente educada quanto a uma nutrição adequada e balanceada.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Este processo de educação é literalmente um aprendizado, onde os pais têm grande influência, devendo servir como exemplo.Então de nada adianta querer educar um filho se você pai ou mãe não agem corretamente.

O que fazer para reverter ou evitar a obesidade infantil?

A infância e adolescência são períodos onde está ocorrendo o crescimento e desenvolvimento da criança. A demanda energética necessária para suprir estas necessidades é alta, além disso, deve ser suficiente apara garantir a prática de uma atividade física.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Por este motivo restrições alimentares severas não são indicadas, o adequado é apenas a realização de orientações dietéticas, ou seja, cortar o que é excesso na alimentação.

Melhorando o consumo alimentar da alimentação