PUBLICIDADE

9 conselhos de especialistas para melhorar o relacionamento

Veja as principais dicas para não deixar seu relacionamento cair na rotina

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

Muitas pessoas procuram uma fórmula milagrosa que as ensine a salvar o seu relacionamento. No entanto, somente com mudanças cotidianas será possível contribuir de forma positiva para o futuro da relação. Para ajudar o casais, nossos especialistas responderam as principais dúvidas dos leitores sobre o tema. Confira:

1- Preciso de ajuda com meu relacionamento, ando muito ansioso e nervoso isto está atrapalhando muito meu casamento. Como posso resolver esse problema?

"Primeira coisa é identificar o que está te deixando muito ansioso e nervoso, para que desta forma vá direto ao problema e procurar mudar. Muitas vezes algumas pessoas descontam no parceiro seus problemas, porém isso só irá piorar a situação, levando a muitas mágoas e discussões desnecessárias", comentou a psicóloga Luciana Kotaka.

De acordo com a médica, se a pessoa não conseguir mudar essa sensação que tanto lhe incomoda é preciso buscar uma terapia. "Assim poderá falar sobre isso e trabalhar as questões que precisam ser mudadas, para que não afete seu casamento", completou.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

2- O que faço para não ter tanto ciúmes do meu parceiro, pois em outro relacionamento que tive eu fui traída e hoje tenho medo que aconteça novamente?

"De início podemos ser realistas e entender que ciúmes não impedem traições, aliás, ciúmes demais só atrapalham os relacionamentos. No entanto existem coisas que sabemos na teoria, mas na prática é um pouco mais complicado de agir, e portanto realmente não espero que todo o seu ciúme se resolva com o que iniciei na resposta. O ciúmes vêm de inseguranças, desconfianças, pensamentos que permeiam muito mais a cabeça de quem sente o ciúmes do que normalmente de quem é alvo do ciúmes", afirmou a psicóloga Sinara da Silva Guerra.

"É importante que você possa ter também sua vida, para que possa deixar seu parceiro ter suas liberdades. Quando tudo está dentro do esperado não é preciso criar fantasias, a não ser que dentro de você realmente não esteja tudo certo. E quando isso acontece, você pode e deve procurar ajuda de um psicólogo, para que possa fortalecer sua segurança em si, para deixar de pensar no outro algo que você viveu no passado e para não deixar que sua insegurança acabe atrapalhando num relacionamento que pode dar certo", finalizou a psicóloga.

3- Existe a possibilidade de um bom relacionamento entre duas pessoas bipolares?

"Sim, uma vez com tratamento médico-psicológico adequado e a doença controlada, existe essa possibilidade. Além disso, como em qualquer outro relacionamento, tem que haver um bom diálogo, respeito sobre limitações e tolerância de ambas as partes", revelou o psicólogo Stanly Huang.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

4- Como manter um relacionamento duradouro e apagar algumas palavras que tenham sido mal colocadas?

"Em todos os relacionamentos existem momentos bons e outros não tão bons. O melhor remédio é o perdão, procurando fortalecer os pontos positivos e minimizando os negativos. Mas não existe mágica, é um processo longo que você e seu parceiro (a) precisam aprender", disse a psicóloga Angélica Cristina Strauss Galvão de Souza.

"Relacionamentos duradouros, para serem saudáveis, precisam que os parceiros desenvolvem muito bem a comunicação entre eles.Palavras já ditas não podem ser apagadas, mas podem ser re-significadas com novas palavras que sejam mais honestas e que venham carregadas de afeto! Se ambas as partes se abrirem para essa transformação", comentou a psicóloga Tatiana Maria Sanchez.

Uma alternativa neste caso é procurar um especialista para realizar uma terapia de casal, para fortalecer essa união e acabar com os desentendimentos passados.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

5- Tenho ciúmes a ponto de querer desistir do relacionamento, e por alguns momentos odeio meu companheiro, o que devo fazer?

"Ter ciúmes é sinal de que algo não está bem e pelo fato de você desejar desistir devido ao ciúme, mostra que você está cansada deste sentimento e não consegue combatê-lo. Não deixa de ser um bom sinal, de que você não possui a possessividade em nível elevado. Você poderia buscar tentar uma psicoterapia individual para você, no qual poderia encontrar um ponto de equilíbrio para seu sentimento em relação ao seu companheiro. Nesta terapia, o psicólogo fará a avaliação e se for necessário, encaminhará para uma psicoterapia de casal", afirmou a Angélica Cristina Galvão de Souza.

6- Zona de conforto pode ser prejudicial para relacionamentos longos

"É muito comum as pessoas confundirem a estabilidade e o conforto de uma relação com a perda de prazer. Mas na verdade, o contrário da paixão é o tédio, é nele que devemos nos atentar. Uma vida estável, com rotinas (casal, filhos, trabalho, estudo, casa) não precisa ser entediante. Na verdade a rotina é necessária e fundamental para que se possa construir e conquistar as coisas na vida e até pode ser colaboradora para criações e novidades", comentou a psicóloga Raquel Baldo.

Segundo a psicóloga, o que torna uma relação entediante é a da falta de vitalidade: falta de sonhos, falta de desejo, falta de empenho e vontade de fazer mais, falta de elogios, falta de enxergar o outro e a si mesmo. "Essas faltas tornam a vida de qualquer um monótona e sem graça. Muitos casais se tornam entediantes, pois estão juntos há muito tempo, possuem bom histórico, possuem muitas preocupações com a vida (que lhes toma muita energia) e acreditam que toda relação um dia perde sua graça e vida. Mas isso não é verdade e não precisa acontecer", relatou.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

7- Quando a falta de sexo é um problema na relação?

"Fazer sexo é um ato instintivo e natural dos seres humanos e nem sempre estará necessariamente ligado a um relacionamento amoroso. Por isso é importante sempre que este assunto entrar em questão, considerarmos o enfoque abordado. Além dos movimentos e estímulos instintivos que possuímos, o sexo também recebe complemento cultural, social e pessoal e por isso pode ser visto e vivido das mais diferentes formas", revelou a psicóloga Raquel Baldo.

"Então, podemos pensar que uma vida sexual ativa e prazerosa é fundamental para a saúde e construção contínua de uma relação amorosa, pois faz parte da gama de desejos (desejar e ser desejado) que um ser humano precisa para viver bem", disse.

De acordo com Raquel, existem sim relações sem desejo sexual, na qual as pessoa suprem isso através de outras necessidades, mas estas são relações de bons companheiros, amigos, onde a intimidade sexual possui limites.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"Quando falamos de amigos parece tudo certo, mas quando falamos de um casal devemos refletir se esta relação não está necessitando de algum cuidado, pois a falta de desejo, logo a falta de sexo, pode ser indicador de que a relação se tornou rotineira e burocrática, se tornou uma amizade ou mesmo pode estar apoiada em fantasias platônicas que pode gerar imensa angústia ou frustração quando a realidade se impuser", completou.

8- Medo de amar pode ser consequência de experiências do passado?

"Os conceitos que formamos a respeito do amor em nossas vidas estão diretamente ligados às experiências que tivemos desde nosso nascimento. O amor entra muito cedo em nossa vida e acontece através de experiências do crescimento, por meio do alimento, do aconchego, da proteção. A falha dessas experiências (seja a ausência de cuidados ou de jeito nesses cuidados), a existência de agressividade ou mesmo a superproteção são movimentos capazes de influenciar e determinar como iremos nos relacionar em nossa vida", contou a psicóloga Raquel Baldo.

"A forma que amamos ou não e a forma como estamos dispostos a receber ou não o amor possuem uma base estrutural já existente desde a infância mais primária em nossas vidas. E é por isso que existe uma tamanha dificuldade de agir de forma concreta ou técnica, pois não depende somente do saber ou não saber, do fazer ou não fazer, mas sim de algo muito mais íntimo e profundo: o EU de cada pessoa", completou.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

9- Como manter a chama do relacionamento acesa com o passar do tempo?

"Não existe uma frequência ideal para se fazer sexo, varia para cada um. Então cada casal deve manter um diálogo aberto, em que cada um possa expor suas necessidades e o quanto está satisfeito com a vida sexual. Com o tempo de convivência é comum a quantidade de relações diminuir, por isso, além de valorizar a qualidade das relações, é preciso também dedicar atenção especial ao desejo e incrementar a vida sexual. Não podemos pensar que existe uma receita que funcione para todos os casais, mas de forma geral alguns cuidados têm se mostrado benéficos para a vida sexual do casal", disse a psicóloga Janaína Reis.

Para que o casal possa melhorar sua rotina, a psicóloga revelou algumas dicas: procure não guardar mágoas e ressentimentos, tenha tempo para realizar algo que gostem, expresse o seu desejo pelo outro, aceite seu desejo e envolva seu parceiro o incluindo nas suas fantasias, além de não esperar o momento ideal para fazer uma surpresa.