O que é permitido - ou não - usar na pele do bebê?

A pele sensível do bebê exige o uso de produtos específicos na hora da higiene, mas também não é preciso exageros. Saiba o que fazer para que seu filho tenha a pele limpa e saudável

As crianças adoram correr por aí, brincar na areia da praia, se sujar de terra em um dia no parque. Para alguns pais, principalmente os de bebês e crianças menores, pode ser um terror ver toda aquela sujeira no corpinho dos pequenos. Será que eles vão se contaminar? E agora, como limpar tudo isso? O que posso e o que não posso usar na pele do bebê?

O ponto principal, como ressalta o médico pediatra e neonatologista Nelson Ejzenbaum, é não cometer exageros. "Para a higiene da pele do bebê é preciso água e sabão, e acabou", afirma o especialista, membro da Academia Americana de Pediatria.

A recomendação é, ao menos, um banho por dia na criança. E a criança pode brincar na areia, se sujar, tomando cuidado para que ela não leve as mãos à boca. Depois é só lavar com água corrente e doce - nada de querer tirar a areia da praia com água do mar - e dar um banho ao chegar em casa. Não se esqueça de higienizar com água e sabão as dobrinhas dos bebês.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Entretanto, a pele do bebê é sensível e delicada e pede produtos específicos para a idade. "É importante usar um sabão de Ph neutro ou glicerinado", diz o pediatra. Assim, a pele ficará limpa, mas sem sofrer agressões. Também não é indicado usar produtos muito perfumados, pois eles podem causar irritação tanto na pele quanto nas vias respiratórias da criança.

Os pais também podem usar álcool em gel 70% para a higiene até de bebês. De acordo com Ejzenbaum, tanto o álcool 70% quanto a água e o sabão conseguem matar o novo coronavírus, pois destroem a camada de gordura pela qual o vírus é revestido. Se não há como lavar as mãos dos pequenos com água e sabão, o álcool em gel 70% é bem-vindo, por exemplo.

O cuidado é a região onde o produto será aplicado. "Tudo bem passar nas mãozinhas do bebê, mas evite usar nas regiões do tronco e do rosto", comenta o pediatra, já que o álcool pode ressecar a pele delicada do bebê.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Devo usar protetor solar no bebê?

O uso de protetor solar costuma gerar dúvida, principalmente nos meses mais quentes do ano. Ele é permitido, mas como lembra a Ejzenbaum, é preciso sempre levar em conta a idade da criança. "Não se deve usar produtos repelentes para picada de inseto até os 3 meses de idade. Depois disso, os repelentes com icaridina em doses baixas e indicados para a idade podem ser aplicados. A partir dos 6 meses a criança pode usar também o protetor solar específico para a idade", detalha o pediatra.

Quando o assunto é exposição ao sol, não é exagero tomar alguns cuidados extras como evitar os horários de maior radiação (entre 10h e 15h), deixar o bebê ou a criança na sombra protegidos por um guarda-sol, e também usar roupas leves e com fator de proteção solar.

Lenço umedecido como aliado

O lenço umedecido faz parte da bolsa de quase todos os bebês, e ele realmente pode ser útil para ajudar a limpar os pequenos em uma troca de fraldas quando se está fora de casa e não puder usar um algodão embebido em água.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Entretanto, esse item não higieniza de fato as mãos e o corpo dos bebês. Na hora da higiene, ainda é preciso recorrer à água e sabão neutro ou glicerinado.

O que fazer após o banho?

O bebê brincou, aproveitou uma tarde de sol e tomou aquele banho gostoso ao chegar em casa. Segundo o médico pediatra, não é preciso fazer mais nada. Porém, se os pais quiserem, eles podem fazer uso de um creme hidratante adequado para a idade na pele dos pequenos.

Se esse for o caso, a indicação é aplicar o produto logo após o banho, com a pele do bebê ainda úmida. Usar uma vez ao dia já é mais do que o suficiente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)