PUBLICIDADE

Vitamina E pode não ser eficiente para prevenir doença cardíaca

Pesquisadores sugerem que nutriente não provoca efeito em mulheres com mais de 45 anos

Tomar suplementos de vitamina E pode não ser tão eficiente para evitar o desenvolvimento de insuficiência cardíaca em mulheres. Isso é o que mostra um estudo chamado Women?s Health Study realizado pelo National Institute of Health, um órgão governamental norte-americano - o primeiro desse tipo desenvolvido em grande escala.

A vitamina E faz parte de um grupo de nutrientes conhecidos como antioxidantes, substâncias conhecidas por proteger o corpo dos danos oxidativos causados às células, por isso muitas pessoas fazem uso desse suplemento com objetivo de prevenir problemas cardíacos. No entanto, alguns estudos anteriores sobre a vitamina E sugeriram que essa substância pode aumentar o risco de insuficiência cardíaca, e outros estudos tiveram resultados contraditórios.

No estudo atual, os pesquisadores acompanharam um grupo de cerca de 40.000 mulheres, com idade maior ou igual a 45 anos, por um período de aproximadamente 10 anos. As participantes foram divididas em dois grupos: no primeiro, elas tomaram suplementos de vitamina E e, no segundo grupo, quantidades iguais de um medicamento de efeito placebo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Durante o estudo, 220 episódios de insuficiência cardíaca foram registrados. Os resultados mostraram que os suplementos de vitamina E não tiveram qualquer impacto no risco de desenvolvimento de insuficiência cardíaca. Os pesquisadores apontam que os resultados reafirmam a importância de se concentrar na prevenção primária e em outras medidas comprovadas para reduzir o risco da doença, incluindo o controle eficaz da pressão arterial e a prevenção primária de doenças cardíacas.

A insuficiência cardíaca é uma condição crônica progressiva em que o coração não é mais capaz de bombear sangue suficiente para atender às necessidades do corpo. Ela afeta mais de 5,7 milhões de pessoas nos Estados Unidos. Segundo dados do SUS (Sistema Único de Saúde) e do Ministério da Saúde, foram realizadas, no ano de 2000, perto de 398 mil internações por IC, com ocorrência de 26 mil óbitos.

Adote três cuidados para evitar doença cardíaca

O médico aponta os três cuidados indispensáveis que as mulheres com mais de 50 anos devem adotar para preservar a saúde do coração:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

1. Alimentação

O consumo de alimentos industrializados, fast foods e gordura trans é o grande vilão do coração saudável. O aumento do mau colesterol (LDL) contribui muito para a obstrução dos vasos sanguíneos. Além disso, quem tem dificuldades em se alimentar de modo saudável e controlar o peso normalmente passa a apresentar um quadro de sobrepeso e obesidade, o que aumenta ainda mais os riscos de doenças cardíacas. Incluir mais frutas, legumes e verduras no cardápio diário e moderar o consumo de carnes, massas e frituras é uma boa pedida.

2. Exercícios Físicos

Segundo o cardiologista Otávio Gebara, diretor clínico do Hospital Santa Paula, os exercícios físicos ajudam a diminuir consideravelmente a pressão sanguínea e a fortalecer o coração. Quanto mais forte é o músculo do coração, menor é seu esforço em bombear sangue para o corpo, diminuindo a pressão arterial. Gebara valoriza a atitude de se ter uma vida saudável. Segundo o médico, o entusiasmo da pessoa que inicia um processo de emagrecimento faz com que ela mude seu estilo de vida e incorpore atividades em seu dia-a-dia que também colaboram para diminuir a incidência de hipertensão e diabetes.

3. Álcool e Cigarro

Estudos recentes mostram que a ingestão diária de uma ou duas taças de vinho tinto auxilia na prevenção de problemas cardíacos. Mas o cardiologista Otávio Gebara adverte: "Quem tem dificuldade em controlar a ingestão de álcool deve se manter abstêmio. Afinal, o excesso de álcool pode ocasionar sérios problemas cardíacos, incluindo derrame cerebral". Com relação ao cigarro, é melhor adotar "tolerância zero". "A nicotina e o monóxido de carbono atingem o sistema cardiovascular, aumentando as chances de infarto", diz o médico.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)