PUBLICIDADE

Zika: OMS fará reunião para avaliar risco nas Olimpíadas

Enquanto isso, pesquisadores brasileiros afirmam não haver risco

Na última semana o debate sobre adiar ou não as Olimpíadas do Rio de Janeiro por causa do Zika vírus tem dividido a comunidade científica. Devido a isso, a Organização Mundial da Saúde reunirá seu comitê de emergência para avaliar os riscos relacionados a esse evento esportivo.

Em declaração à agência Reuters. A porta-voz da OMS Nyka Alexander afirmou que a reunião discutirá toda a situação no Brasil, inclusive os jogos olímpicos. Mas ressaltou que não cabe à OMS decidir se o evento esportivo será ou não realizado, e sim ao Comitê Olímpico Internacional (COI). As Olimpíadas estão marcadas para agosto e setembro.

Especialistas brasileiros opinam

Para os pesquisadores brasileiros, não há motivos para adiar os jogos no Brasil. Tanto que cientistas do Programa de Computação Científica da Fundação Oswaldo Cruz (PROCC/Fiocruz) e da Escola de Matemática Aplicada da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro (FGV) prepararam um artigo com uma série de evidências científicas que contestam o argumento da mudança de data.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O artigo publicado na revista científica Memórias, do Instituto Oswaldo Cruz, afirma que a atividade do Aedes aegypti é muito baixa no Rio de Janeiro nos meses de agosto e setembro. A coordenadora do programa da Fiocruz, Claudia Codeço, informou em entrevista à Agência Brasil que o estudo levou em consideração dois fatores: a biologia do mosquito Aedes aegypti com a sua ação em temperaturas mínimas na cidade entre 22 graus Celsius (ºC) e 24ºC e os dados de casos de dengue registrados desde 2010.

A pesquisadora disse que o conhecimento acumulado sobre a biologia do mosquito, que além da doença transmite o Zika vírus, indica, que em climas mais frios, o vírus demora cerca de 15 dias para sair do estômago do mosquito, chegar à glândula salivar e infectar uma pessoa. "Com as temperaturas de agosto e setembro poucos mosquitos conseguem completar o ciclo e transmitir a dengue e provavelmente o Zika vírus também. Demoraria uns 15 dias de picar uma pessoa e transmitir para uma outra. Em 15 dias a chance dele morrer antes é muito grande, porque o mosquito tem uma vida curta", explicou.

Com informações da Reuters e da Agência Brasil

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)