PUBLICIDADE

Cientistas criam injeção capaz de aplicar todas as vacinas da infância de uma vez

Tecnologia liberaria os anticorpos necessários de tempos em tempos

Já pensou se ao invés de precisar levar a seu filho para se vacinar diversas vezes, houvesse uma injeção com todas as vacinas que ele precisa tomar na infância? Podemos dizer que estamos um pouco mais perto dessa realidade.

Um grupo de cientistas desenvolveu uma nova abordagem para entregar muitas doses de substâncias imunizadoras em uma única dose.

A tecnología funcionaria a partir de cápsulas microscópicas que seriam injetadas de uma única vez na criança e liberariam os anticorpos específicos de tempos em tempos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Segundo os cientistas esse tipo de descoberta é importante pois uma das maiores limitações em relação à imunização é a necessidade de ter que voltar diversas vezes para conseguir obter a imunidade contra o patógeno.

Para testar a eficiência da vacina, os cientistas injetaram as micropartículas em ratos, utilizando uma substância fluorescente. Em seguida, a partir de uma técnica de imagem, a substância foi monitorada para ser liberada no organismo durante nove dias. 20 dias ou 41 dias.

Os resultados revelaram que as micropartículas desencadearam uma resposta maior que duas injeções regulares da mesma dose da proteína espaçada com quatro semanas de intervalo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O professor da Universidade de Oxford explica que as tecnologias que permitem a liberação lenta ou cronometrada de uma dose, e, assim, reduzem a quantidade de vacinas sem comprometer a imunização seriam bem vindas pelos profissionais de saúde e pais.

No entanto, os cientistas ainda têm desafios pela frente. Isso porque a chance de tomar diferentes vacinas em uma única dose eliminaria a possibilidade de modificar os antígenos das vacinas.

Além disso, os cientistas também demonstram cautela em relação à liberação das vacinas no organismo. Pois poderia ser perigoso se o antídoto contra a malária fosse liberado no mesmo momento que uma criança está com um quadro agudo da doença.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)