PUBLICIDADE

Dois argentinos morrem por febre amarela após viagem ao Brasil

Dois moradores de Buenos Aires teriam passado as férias em Ilha Grande, no Rio de Janeiro

A Argentina confirmou nesta sexta-feira (23), que sete pessoas importaram a febre amarela do Brasil. Seis moradores do país foram infectados em Ilha Grande (RJ) e um em Ouro Preto (MG), ambos na região sudeste. De acordo com o Ministério da Saúde argentino, dois dos pacientes morreram devido a doença.

Apesar das recomendações indicando a importância da vacinação ao viajar para áreas de risco, os turistas que vieram a óbito não estavam vacinados.

O primeiro caso de febre amarela na Argentina importado do Brasil foi de um jovem que começou a ter sintomas em 12 de fevereiro, como febre alta, dor muscular generalizada e dor de cabeça. Ao retornar do Brasil, na semana seguinte, decidiu ir a um centro especializado onde passou por avaliação para determinar se ele tinha dengue.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No entanto, o resultado para dengue deu negativo. Então, foram realizados exames para febre amarela. O resultado foi positivo no sangue e na urina. O homem segue internado, mas já apresenta melhoras no quadro de saúde.

O Ministério da Saúde da Argentina usou as redes sociais para alertar os cidadãos argentinos sobre a necessidade de tomar a vacina contra a febre amarela dez dias antes de viajar. Além disso, as autoridades não descartam o surgimento de novos casos importados do país vizinho.

Desde janeiro de 2017, o número de casos de febre amarela vem aumentando no Brasil. No estado de Minas Gerais já foram confirmados 225 casos de febre amarela silvestre, sendo que 76 deles evoluíram para óbito. Em outros estados também há um aumento de casos: 53 mortes em São Paulo até o dia 16/02. No Rio de Janeiro, ocorreram 24 óbitos devido a febre amarela silvestre em 2018. Além disso, no Distrito Federal foi confirmado 1 caso de óbito devido a febre amarela.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Com informações da agência ANSA.