PUBLICIDADE

Blefarite: o que é, sintomas e como tratar

Visão Geral

O que é Blefarite?

A blefarite é uma inflamação comum que afeta as pálpebras, normalmente na região onde crescem os cílios, provocando o surgimento de crostas, coceiras e vermelhidão. Pode surgir em pessoas de qualquer idade e, embora cause desconforto, geralmente a blefarite não causa danos permanentes à visão. Diferente do que muitos acreditam, não é uma infecção contagiosa.

A blefarite pode ser classificada em dois tipos, sendo eles:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"Essa região das pálpebras é extremamente sensível e inflama principalmente em dias de tempo seco e em pessoas que possuem dermatite seborreica, olho seco e excesso de oleosidade na pele", diz o oftalmologista Jonathan Lake, do Oftalmed, Hospital da Visão de Brasília, em entrevista prévia ao Minha Vida.

Causas

Existem diversas causas que podem levar a um quadro de blefarite. Elas podem estar ligadas a fatores locais, do próprio olho, ou fatores sistêmicos, segundo Luiz Antônio Vieira, oftalmologista e professor colaborador do serviço de córnea da UNIFESP.

Olho seco: saiba o que causa a irritação nos olhos

A causa mais comum se dá quando as glândulas que ficam perto da base dos cílios não funcionam corretamente, o que causa inflamação, irritação e coceira na pálpebra. Porém, outras causas podem incluir:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A blefarite do tipo anterior é comumente causada por uma bactéria ou pela presença de caspas nos cílios ou sobrancelhas e menos comumente por alergias. A do tipo posterior normalmente está ligada a problemas nas glândulas sebáceas, que acabam criando um ambiente favorável para o crescimento de bactérias, ou outras condições da pele, como a rosácea.

Fatores de risco

Pessoas que têm tendência a ter pele oleosa, caspas ou olhos secos são mais suscetíveis a desenvolver blefarite. Essa doença também está associada à meibomianite, uma inflamação que ocorre quando as glândulas meibomianas das pálpebras não funcionam corretamente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Pessoas com rosácea, doença inflamatória crônica que geralmente se manifesta no centro do rosto, também têm mais risco de ter blefarite.

Sintomas de Blefarite

Os sintomas e sinais da blefarite são frequentes e surgem como consequência do aumenta da oleosidade da pálpebra, como:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Saiba mais: Controle a irritação nos olhos causadas pela blefarite

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Caso o paciente tenha os sintomas de blefarite e não apresente melhora, mesmo tendo boa higiene, limpando e cuidando regularmente da área afetada, é recomendado marcar uma consulta com o clínico geral. Se ele suspeitar de alguma doença ocular, como a blefarite, deve fazer o encaminhamento para um oftalmologista.

Diagnóstico de Blefarite

Os procedimentos para diagnosticar a blefarite normalmente incluem um exame biomicroscópico das pálpebras e dos olhos, em que o médico pode utilizar algum instrumento que amplie a sua visão ou não.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Em alguns casos o profissional pode preferir usar também um cotonete para coletar uma pequena amostra do óleo ou crosta que se formou nas pálpebras. Essa amostra poderá ser analisada para verificar a existência de bactérias, fungos ou evidências de alergia.

Segundo o oftalmologista Luiz Antônio Vieira, existem exames mais recentes capazes de diagnosticar a blefarite, como a meiboscopia. Com ele, é possível a visualização das glândulas da pálpebra através da transiluminação com luz infravermelha.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Blefarite

O tratamento da blefarite é simples e ajuda a aliviar os principais sintomas, como a irritação. Uma higiene adequada no local pode ajudar. Porém, dependendo da causa, o especialista pode indicar outras formas de tratamento, como a administração de medicamentos. Entre as principais formas de tratar a blefarite, estão:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os medicamentos mais utilizados durante o tratamento são:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

É importante lembrar que raramente a blefarite desaparece completamente. Mesmo em tratamentos considerados de sucesso, é normal que a doença reapareça outras vezes.

Cuidados

Em caso de suspeita de blefarite, é importante que o paciente tome alguns cuidados para não resultar numa piora dos sintomas. São eles:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

O tratamento proposto pelo médico deve continuar até que os sintomas desapareçam, mas com o tempo será possível diminuir a quantidade de vezes que os olhos precisarão ser lavados. Contudo, a rotina de cuidados e limpeza deve ser continuada a fim de manter a blefarite sob controle, com o uso de produtos adequados orientados pelo especialista.

Para a lavagem dos olhos, o xampu infantil é o mais indicado. "Esse tipo de cosmético é neutro, ou seja, causa menos irritação nos olhos", afirma o oftalmologista Jonathan em entrevista prévia.

Também é importante atentar para a qualidade dos cremes, maquiagens e demais itens que entram em contato com o local, pois eles contribuem para a irritação. Se for um caso de blefarite bacteriana, a maquiagem pode acabar reintroduzindo a bactéria ou causar uma reação alérgica.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Outros problemas, como o estresse e a ansiedade, por exemplo, podem causar desequilíbrio de várias funções do corpo — incluindo das glândulas dos olhos. O ato de coçar os olhos também deve ser evitado.

Complicações possíveis

A blefarite pode gerar o aparecimento de outros sintomas, mais severos, como visão embaçada, falta de cílios e inflamações em outros tecidos oculares, principalmente a córnea. Em alguns casos mais graves, segundo Vieira, o paciente pode necessitar de um transplante de córnea.

Algumas complicações que podem ocorrer em casos de blefarite incluem:

Blefarite tem cura?

Os sintomas devem começar a desaparecer alguns dias após iniciar o tratamento, mas o problema pode ser recorrente. É essencial manter uma boa higiene no local para evitar que ela reapareça. Ainda assim, os sintomas podem voltar após um tempo.

Saiba mais: Fotofobia pode ser sinal de inflamação nos olhos

Prevenção

Uma boa higiene é essencial para prevenir a blefarite. Deve-se manter uma rotina de limpeza, que inclui lavar e massagear os olhos com água morna e xampu de bebê, remover toda a maquiagem e usar produtos de qualidade.

Uma boa higiene é essencial para prevenir a blefarite. Deve-se manter uma rotina de limpeza, que inclui lavar e massagear os olhos com água morna e xampu de bebê, remover toda a maquiagem e usar produtos de qualidade. A massagem, ademais, ajuda a renovar o conteúdo das glândulas que produzem gordura, evitando que elas fiquem contaminadas ou entupidas.

Referências

Associação Americana de Optometria

Academia Americana de Oftalmologia

Mayo Clinic

Luiz Antônio Vieira, oftalmologista e professor colaborador do serviço de córnea da UNIFESP. CRM 45363