Pílula do dia seguinte: valor, como tomar e nomes

A pílula do dia seguinte é indicada para casos de emergência e deve ser usada com cuidado. Saiba se funciona e como fica a menstruação depois.

A pílula do dia seguinte é um método usado para evitar a gravidez após a relação sexual não-segura. Apesar de ser vista como uma solução prática contra a gravidez indesejada, esse recurso é indicado apenas para casos de emergência e deve ser usado com cuidado, já que traz efeitos colaterais em curto e longo prazo.

Valor da pílula do dia seguinte

Pílula do dia seguinte pode ser adquirida gratuitamente em postos de Saúde - Foto: Shutterstock
Pílula do dia seguinte pode ser adquirida gratuitamente em postos de Saúde - Foto: Shutterstock

O método é gratuito em postos de saúde de todo Brasil: basta se dirigir ao local e retirar o medicamento. Além disso, a pílula do dia seguinte tem valor de R$ 3 a R$ 30 em farmácias, a depender da região, da dosagem e do laboratório que a desenvolveu. Pode ser adquirida sem prescrição médica.

Pílula do dia seguinte: nomes

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Como tomar a pílula do dia seguinte

O procedimento é bem simples. Para o tipo que tem apenas uma pílula, basta tomá-la até 72 horas depois do ato sexual - lembrando que a eficácia é maior nas primeiras 12 a 24 horas.

Para aquelas que vêm em duas doses, a primeira deve ser tomada preferencialmente logo após o coito, e a segunda depois de 12 horas.

Pílula do dia seguinte: aprenda a usar o contraceptivo de emergência

Tipos de pílula

O mercado disponibiliza dois tipos de pílula do dia seguinte:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Foto: Reprodução/Shutterstock
Foto: Reprodução/Shutterstock

Não existe diferença entre os dois tipos de pílula, uma vez que a dosagem é a mesma. Ambas representam uma enorme carga de hormônios ingerida de uma só vez, diferentemente das pílulas anticoncepcionais convencionais - ingeridas diariamente -, que possuem dosagem menor.

Como se trata de um método de emergência e não de prevenção, a dosagem da pílula, independentemente do tipo, é um turbilhão de hormônios.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Quando a pílula do dia seguinte é indicada

Foto: K.L-Pharma/Shutterstock
Foto: K.L-Pharma/Shutterstock

Quando a pílula do dia seguinte é contraindicada

Vantagens

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Além disso, não existe idade mínima para tomar o medicamento. A mulher já pode tomar a partir do momento em que tem uma vida sexual ativa. Já a idade máxima vai até o fim da vida fértil dela.

Entretanto, o ideal é sempre buscar ajuda profissional antes de fazer uso de qualquer método hormonal.

Desvantagens

Efeitos colaterais da pílula do dia seguinte

Mesmo que ingerida uma vez ou numa frequência muito baixa, ainda é possível que a pílula do dia seguinte cause efeitos colaterais como:

Na maioria das vezes, a pílula altera o fluxo normal da mulher, desregulando a menstruação. Dependendo do dia em que foi tomada, a pílula pode adiantar o sangramento ou mesmo retardar a menstruação.

Pílula do dia seguinte atrasa a menstruação?

A pílula do dia seguinte pode atrasar ou adiantar a menstruação, devido ao desequilíbrio hormonal que ela provoca. Após o uso, o organismo precisa se readaptar e reajustar o ciclo menstrual. Isso pode demorar algum tempo a depender de qual momento do ciclo menstrual você utilizou a pílula do dia seguinte.

Quantas vezes eu posso tomar a pílula do dia seguinte?

Não é recomendado tomar mais de uma pílula por mês, pois ela perde a eficácia, aumentando o risco de gravidez. Além disso, graças a sua alta dose de componentes hormonais, ela pode causar reações adversas como náuseas, alteração do ciclo menstrual, dor de cabeça e diarreia.

Quais são as chances da pílula do dia seguinte falhar?

O risco de falha da pílula do dia seguinte gira em torno de 5%, quando usada corretamente. Explicando melhor: se 100 mulheres tomarem a pílula nas primeiras 24 horas após a relação sexual desprotegida, cinco dessas mulheres ainda engravidarão.

A taxa de insucesso é mais alta que outros métodos, porque a pílula do dia seguinte não é um método contraceptivo para ser usado de maneira recorrente, mas em caso de emergência. O corpo não está preparado para ela.

A ação do levonorgestrel - um tipo de progesterona - pode inibir ou retardar a ovulação. Ele é capaz de dificultar a passagem do óvulo ou do espermatozóide, além de provocar alterações no endométrio, bloqueando a implantação do óvulo.

Se ingerida depois da formação do feto, ela pode causar hemorragia e aborto, fatores de risco para a vida da mulher.

É possível engravidar depois de tomar a pílula do dia seguinte?

Normalmente, depois de tomar a pílula do dia seguinte, a menstruação pode ocorrer na mesma semana ou cerca de uma semana depois da data prevista.

Se a menstruação não ocorrer depois de 4 semanas da ingestão da pílula, convém fazer um exame de gravidez. Ou seja, há risco de engravidar depois de tomar a pílula do dia seguinte, sim.

Mulheres com alguma dessas condições que ingerirem a pílula correm mais risco dela não funcionar, ou então de sofrer complicações da doença. O uso nesses casos depende de avaliação individual.

Além disso, o uso de cigarro pode ser prejudicial se combinados com a pílula do dia seguinte. A pílula com estrogênio é um vasoconstritor, que contrai os vasos sanguíneos, e a nicotina do cigarro também. Em associação, aumentam o risco de derrame (Acidente Vasculas Cerebral) e trombose.

Outras contraindicações podem ser indicadas pelo ginecologista, que avaliará caso a caso.