PUBLICIDADE

Hepatite medicamentosa: o que é, causas, sintomas e tratamento

A hepatite medicamentosa é um tipo de inflamação hepática que pode ser agravada pelo kit-COVID

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

Hepatite medicamentosa: o que é e principais causas

A hepatite medicamentosa é uma inflamação das células do fígado em sua forma aguda ou crônica causada pelo uso de drogas lícitas e ou ilícitas, suplementos alimentares e fitoterápicos.

Não existe uma dose limite para o desenvolvimento da hepatite medicamentosa, porém, a automedicação e o uso indiscriminado de substâncias podem corroborar para a ocorrência do quadro.

Os principais causadores das hepatites medicamentosas são os antibióticos, anti-inflamatórios, anticonvulsivantes, ervas fitoterápicas e esteróides anabolizantes.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Kit-COVID

O uso do chamado "kit-COVID", assim como de remédios indevidamente, pode corroborar para que haja prejuízo ao corpo. "Se a pessoa tiver hepatite medicamentosa causada pelo 'Kit-COVID', ao contrair a doença do coronavírus e necessitar de antibióticos ou corticoides, poderemos ter problemas e, com isso, ter que suspender o fármaco que está agredindo as células hepáticas", explicam os médicos André Augusto Pinto e Renata Cruvinel Cuminalle.

Hepatite medicamentosa x outras hepatites: diferença

Existem diferentes tipos de hepatites que, por definição, consistem em uma inflamação hepática. Há as variações virais (hepatite A, hepatite B, hepatite C), a hepatite autoimune e a hepatite alcoólica, que se diferem da hepatite medicamentosa pela origem inflamatória das células do fígado.

Sintomas hepatite medicamentosa

A maioria dos casos de hepatite medicamentosa são assintomáticos. Os casos de hepatite medicamentosa que evoluem com sintomas podem apresentar:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Fatores de risco

Pessoas com idade avançada são as mais propensas a desenvolverem a hepatite medicamentosa por, na maioria das vezes, fazerem uso de outras medicações, ingerirem álcool, além da possível existência de doença hepática prévia. Gavidez, consumo de álcool e obesidade também são considerados fatores de risco para o desenvolvimento da doença.

Diagnóstico hepatite medicamentosa

O diagnóstico do quadro de hepatite medicamentosa é feito a partir da anamnese, além de exames de sangue que avaliam a saúde do fígado.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Complicações possíveis

A complicação mais frequente derivada de uma hepatite medicamentosa é a insuficiência hepática - podendo ocasionar em um transplante de órgãos.

Tratamento

O tratamento da hepatite medicamentosa passa pela suspensão imediata das substâncias suspeitas causadoras da inflamação. Pacientes sintomáticos ainda recebem hidratação e medicamentos para os sintomas. Aqueles que evoluírem para a falência hepática devem ser encaminhados para o transplante.

Prevenção

Para evitar o quadro de hepatite medicamentosa, é importante usar os medicamentos com prescrição médica, usá-los sob supervisão e tomar remédios pelo período estritamente necessário.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Referências

André Augusto Pinto, cirurgião geral e cirurgião bariátrico da Clínica Gastro ABC - CRM: 78.136 SP

Renata Cruvinel Cuminalle, gastroenterologista e Hepatologista da GastroAbc - CRM: 89. 424 SP MSD Manuals