Mulheres de 30 a 40 anos são mais propensas a ter câncer do que os homens

Câncer de mama é o maior responsável por essas estatísticas, diz estudo

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 01/07/2013

As mulheres nas faixas etárias dos 30 e 40 anos devem ficar mais atentas aos sinais do câncer, de acordo com um estudo publicado em junho no Office for National Statistics, do Reino Unido. O trabalho, desenvolvido pelo Cancer & End of Life Care Analysis Team, da Life Events and Population Sources Division, afirma que as mulheres nessa idade são duas vezes mais propensas que os homens a desenvolver a doença.

Em 2011, cerca de 139.120 homens no Reino Unido foram registrados como tendo câncer, em comparação com 135.113 mulheres. Apesar de os números gerais serem maiores em homens, o câncer de mama é a principal razão para o aumento do risco entre as mulheres com idades entre 35 e 44 anos - segundo o estudo, essa forma da doença foi responsável por 30,7% de todos os novos casos de câncer registrados em 2011. Para os homens, o tipo mais comum de câncer era o da próstata, que correspondeu a 25,6% dos novos casos.

Os números mostram ainda que há pouca diferença entre homens e mulheres para outros casos comumente relatados de câncer. O câncer de pulmão é o segundo tipo mais comum da doença em 2011, sendo responsável por 13,8% dos novos casos em homens e 11,6% entre as mulheres. O câncer de cólon de reto é a terceira forma mais comum da doença, com taxas de 13,6% e 11,2% entre os homens e mulheres, respectivamente. Já o câncer de pele do tipo melanoma subiu mais do que qualquer outro tipo de câncer na última década, chegando à marca dos 66% para ambos os sexos.

Embora o relatório tenha descoberto que as mulheres têm uma maior chance de desenvolver câncer em determinada faixa etária, os homens têm um risco maior do que as mulheres de contrair a doença em outras épocas da vida - cerca de 14% mais propensos. Os estudiosos ressaltam a importância ficar atendo aos fatores de risco para o câncer, principalmente nas idades de risco, e adotar hábitos de vida mais saudáveis para reforçar a prevenção.

Adote dez passos para prevenir vários tipos de câncer
Segundo o IBGE, o câncer é a segunda maior causa de mortes no Brasil - sendo responsável por 15,6% dos óbitos -, perdendo apenas para doenças cardiovasculares (como infarto e hipertensão). Isso se deve, principalmente, à maior exposição aos fatores de risco, como o cigarro, alimentação inadequada e o abuso do álcool. Em contrapartida, quem segue uma vida mais saudável consegue prevenir-se e diminuir os riscos de ter a doença. Para estimular a população na luta pelo controle e prevenção, o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) lançou uma cartilha listando os dez passos que afastam a doença. Conheça quais os hábitos recomendados e por que eles são tão necessários para quem quer evitar um câncer.

1. Não fume

Segundo estatísticas do Inca (Instituto Nacional de Câncer), o tabagismo é a principal causa de câncer evitável no mundo. Ao queimar o cigarro, as consequências são sentidas não apenas por quem fuma, mas também por todos ao seu redor. Para se ter uma ideia, 90% dos casos de câncer de pulmão tem o cigarro como responsável - os outros 10% são decorrentes do fumo passivo. O tabagismo também é o grande culpado por 30% da ocorrência de outros tipos de câncer, como boca, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo de útero e leucemia.

O cigarro carrega cerca de 4720 substâncias, sendo mais de 400 delas altamente cancerígenas. Algumas delas, como o benzeno, estão ligada ao câncer de fígado e leucemia. Já o alcatrão está diretamente relacionado aos cânceres de pulmão, vias aéreas, brônquios e bexiga. Veja aqui como as substâncias do cigarro afetam o organismo.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.