Diabetes pode aumentar risco de Mal de Alzheimer

Alimentação balanceada, no entanto, pode diminuir as chances da doença

POR MINHA VIDA - PUBLICADO EM 20/09/2011

Pessoas com diabetes podem ter o dobro de chances de desenvolver problemas de memória e demência, incluindo a doença de Alzheimer, quando chegam à terceira idade, diz um estudo feito na Kyushu University, no Japão. Segundo os cientistas, o risco também é maior em pessoas diagnosticadas com pré-diabetes - que são pacientes com grande probabilidade de desenvolver a doença.

Aproximadamente mil pessoas, com 60 anos ou mais, participaram do estudo. Todas passaram por um teste de tolerância à glicose para verificar se eles tinham diabetes ou pré-diabetes. Os autores da pesquisa acompanharam os voluntários por 11 anos e fizeram exames para verificar o desenvolvimento de todos os tipos de demência. Durante esse período, 232 pessoas desenvolveram Alzheimer ou outras formas de problemas de memória.

Das 150 pessoas com diabetes, 65 desenvolveram Alzheimer, enquanto 115 dos 559 que não possuíam diabetes apresentaram a doença no término do estudo. Além desses dois grupos, outras 291 pessoas foram diagnosticadas com pré-diabetes Esse número mostra que pessoas com diabetes têm, aproximadamente o dobro de chances de desenvolver Alzheimer e outros tipos de demência na terceira idade.

Os cientistas não sabem exatamente o motivo dessa relação, mas acham que o estudo é muito importante para que as pessoas com diabetes fiquem mais atentas a sintomas iniciais de Alzheimer, como perda de memória e mudanças repentinas de humor, já que as chances de tratamento eficaz aumentam quando a doença é diagnosticada precocemente.  

Dieta contra Alzheimer

Uma dieta rica em frutas oleaginosas (como castanhas, nozes e amêndoas), peixes e legumes diminuem significativamente as chances de que uma pessoa desenvolva o Mal de Alzheimer, segundo um estudo feito pela Universidade Columbia, em Nova York (EUA). Essa conclusão foi tirada da análise, feitas por pesquisadores, das dietas de 2.148 adultos americanos com mais de 65 anos. Mais de 35 milhões no mundo sofrem com a doença, de acordo com os dados da organização Alzheimer's Disease International (ADI).

Durante os quatro anos de duração do estudo, 253 dos adultos do grupo desenvolveram o Mal de Alzheimer. Foi possível, então, perceber um padrão: aqueles cuja dieta incluía as oleaginosas, peixes, aves, frutas, verduras e que apresentavam menos laticínios gordurosos e carne vermelha apresentaram menos chances de desenvolver a doença.  

Os cientistas acreditam que o segredo está nos diferentes níveis de nutrientes específicos que essa combinação de alimentos oferece. Por exemplo, dietas ricas em ácidos graxos, como ômega 3, vitamina E e folatos, encontrados nos vegetais parecem ser as melhores.

Estudos anteriores demonstraram que a vitamina E prolonga a vida dos portadores de Alzheimer, além de oferecer proteção devido ao seu forte efeito antioxidante. Já os folatos reduzem os níveis do aminoácido homocisteína, potencializador da doença, na circulação sanguínea. 

Seu peso dos sonhos é ideal para você?

Responda a avaliação e descubra se seu peso atual e sua
meta de emagrecimento são saudáveis.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não