Reconheça os sinais físicos do stress e saiba como equilibrar seu organismo

Taquicardia, cansaço, tontura e até queda de cabelo são sintomas do mal

POR MINHA VIDA PUBLICADO EM 15/08/2008

Você já acorda de mau humor. Irrita-se quando não encontra a calça que queria vestir, perde a calma com a máquina que demora a servir o café e entra em colapso a cada ligação que faz e não consegue retorno. Os músculos ficam tensos e, algumas vezes, até a pele muda (devido às contrações feitas no rosto durante todo o dia). Esse mal tem nome e, melhor do que isso, tratamento: é o famigerado stress que resolveu se avizinhar.Longe de ser exclusivamente um estado de alteração emocional , o problema traz uma série de sintomas físicos, que atrapalham o seu dia-a-dia. O corpo fica cansado com pouco esforço, a dor de cabeça não passa nunca, seu apetite enlouquece de uma hora para outra e o

coração dispara à toa, numa taquicardia que chega a assustar. Tem gente que reclama até de tontura. O estresse pode ocasionar sensação de insegurança e tontura, o que, em um primeiro momento, pode ser confundido até com labirintite , diz o neurologista Marco Aurélio Santos Macedo, do Delboni Auriemo Medicina Diagnóstica/ DASA.

Para diagnosticar o problema, existem algumas maneiras. Se você tem um médico de confiança, ele certamente vai notar que há algo com errado com sua saúde, a partir dos próprios exames rotina, e pode suspeitar de stress. Dentre as avaliações psicológicas, a mais conhecida chama-se Inventário de sintomas do stress para adultos. Trata-se de uma série de questões, em que o paciente responde sobre seus hábitos e sensações dos últimos três meses até a véspera do teste , explica a psicóloga Fernanda Grimberg, da Clínica Luisa Catoira, em São Paulo.

Diante de um resultado que aponte a presença do stress, no entanto, nada de pânico. O stress é um conjunto de reações normais do organismo que, diante a situações de tensão (situações positivas ou negativas), prepara-se para reagir , explica a psicóloga. Na prática, acontece o seguinte: para se adaptar, o organismo ativa a produção de hormônios capazes de provocar o estado de alerta. Esses hormônios espalham-se rapidamente pelo corpo, provocando aceleração da respiração e dos batimentos cardíacos, entre outros sintomas .

Quando isso ocorre como reação de defesa, portanto, não há perigo. Aliás, é até saudável e protege você. O risco está em viver sob estado de tensão, com os hormônios todos fervilhando no sangue em quantidades fora do normal. Nesses casos, temos os problemas de coração, do sistema

nervoso e até sinais estéticos, como a queda de cabelos causada pelo descompasso hormonal , afirma Fernanda Grimberg.

Como situações inesperadas fazem parte do dia-a-dia de qualquer pessoa, os especialistas não costumam falar em cura para o stress. Em geral, os medicamentos e a terapia ajudam a entender melhor os seus sentimentos e a lidar de forma menos intensa com as adversidades, diminuindo as oscilações que seu organismo atravessa.

Muitos pacientes avessos aos remédios tradicionais conseguem bons resultados com a homeopatia aliada ao acompanhamento terapêutico  , afirma a psicóloga. O tratamento tradicional, prescrito por um psiquiatra ou neurologista, pode incluir ansiolíticos (para diminuir a ansiedade e a tensão) e antidepressivos. Mas nada disso adianta caso você não faça mudanças na rotina (em muitos casos, só elas já provocam efeitos que dispensam os medicamentos). Confira abaixo as dicas da psicóloga para afastar o stress do seu cotidiano:

1.Conheça e respeite os limites do seu corpo;
2. Mantenha uma alimentação saudável;
3. Dedique-se a horas de sono repousante;
4. Inclua exercícios físicos na sua programação semanal;
5. Replaneje suas atividades, administrando bem seu tempo





Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não