PUBLICIDADE

Acupuntura pode reduzir gravidade e frequência das ondas de calor da menopausa

Estudo diz que prática diminuiu os calores por até três meses, independente da técnica

Para as mulheres que atravessam a menopausa, as ondas de calor podem ser um dos sintomas mais desconfortáveis. Mas estudiosos da The North American Menopause Society sugerem que a acupuntura pode ajudar a reduzir a gravidade e frequência das ondas de calor em mulheres na menopausa. Os resultados foram publicados dia 07 de julho na revista Menopause.

Ondas de calor, conhecida também como fogachos, são definidas como uma súbita sensação de calor sobre a totalidade ou parte do corpo. Elas também podem causar vermelhidão no rosto e no pescoço, manchas vermelhas nos braços, costas e peito, e transpiração intensa ou calafrios. Muitos problemas de saúde podem causar ondas de calor, mas eles são mais comuns entre as mulheres passando pela menopausa.

A equipe de pesquisa analisou 104 estudos que avaliaram a eficácia da acupuntura, incluindo 12 desses estudos em suas pesquisas, envolvendo 869 mulheres com idades entre os 40 e 60 anos que estavam passando pela menopausa naturalmente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O estudo descobriu que as mulheres na menopausa que foram submetidas à acupuntura tiveram uma redução na gravidade e frequência das ondas de calor nos três meses seguintes. Além disso, o tratamento parece ter um efeito benéfico independentemente do número de doses, sessões ou a duração do tratamento recebido.

O tratamento mais eficaz para as ondas de calor da menopausa é a terapia hormonal - o uso de medicamentos que contém estrogênio ou progesterona. No entanto, esse tratamento pode aumentar o risco de outras condições de saúde, incluindo AVC, doenças cardíacas e câncer.

As mulheres incluídas no estudo foram submetidas a várias formas de acupuntura, incluindo acupuntura tradicional, eletroacupuntura, acupuntura à laser, acupuntura auricular e acupuntura medicinal tradicional chinesa.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O grupo não é capaz de explicar porque acupuntura parece ajudar a aliviar as ondas de calor em mulheres na menopausa. A hipótese é que a prática pode reduzir a concentração de beta-endorfina - um neuropeptídeo encontrado nas células do sistema nervoso central e periférico - no hipotálamo do cérebro. Os cientistas dizem que os níveis mais baixos de beta-endorfina podem ativar a liberação de peptídeo relacionado ao gene da calcitonina (CGRP), que regula a temperatura corporal.

Aposte no cardápio que espanta os sintomas da menopausa

Ondas de calor, suores noturnos, ganho de peso, insônia, irritabilidade, entre outros sintomas, são característicos do período. O que caracteriza o período é a queda dos hormônios estrogênio e progesterona, que costuma ocorrer entre os 45 e os 55 anos de idade. "Esses desconfortos podem fazer da menopausa uma das fases mais difíceis para a mulher nos campos emocional e físico. Mas uma dieta equilibrada e suplementos alimentares aliviam os sintomas", afirma a nutricionista Daniela Jobst.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Confira a seguir os alimentos que não podem ficar de fora do cardápio durante a menopausa. A nutricionista Daniela Cyrulin dá uma dica pontual para diminuir o calorão. "Tome uma xícara de chá feito com o galho de frutas vermelhas, como de amoras", recomenda.

Soja apaga o fogaréu

Soja - Foto: Getty Images
Soja - Foto: Getty Images

Os efeitos da soja no organismo das mulheres que enfrentam a menopausa, por exemplo, são bem conhecidos. Isso porque ela é rica em isoflavona, um fitoquímico capaz de atenuar os sintomas do fim da fertilidade por participar da produção, do metabolismo e da ação dos hormônios sexuais.

Em outras palavras, as isoflavonas atuam como um substituto do estrógeno (hormônio que sofre notável queda no período do climatério) e contribuem para a manutenção do equilíbrio hormonal. Três colheres de sopa de soja cozida ou uma fatia de tofu equivalem a 50 miligramas de isoflavonas, quantidade diária mínima para os efeitos aparecerem.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"O consumo das isoflavonas presentes na soja diminui a intensidade e a frequência dos calores, da sudorese, das irritações e até da insônia, sintomas típicos da menopausa", afirma a nutricionista Tarsia Tormena, da Unifesp.

Cálcio contra a osteoporose

Cálcio - Foto: Getty Images
Cálcio - Foto: Getty Images

Muitas mulheres sofrem de osteopenia, que significa a diminuição da densidade mineral dos ossos, e devem se prevenir contra a osteoporose. "Pra isso, devem-se ingerir alimentos ricos em cálcio, tais como leite e derivados, nabo, brócolis, folhas de mostarda e sardinha", explica a nutricionista Daniela Cyrulin, de São Paulo.

A especialista também alerta para o cuidado na hora de consumir alimentos que dificultam ou diminuem a absorção do cálcio na mesma refeição, como os ricos em cafeína (café, chá preto e mate) ou os ricos em ferro (carne, frango, feijão). "Se comer carne no almoço, por exemplo, prepare um purê de batata sem leite", sugere.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Magnésio contra a irritação

Magnésio - Foto: Getty Images
Magnésio - Foto: Getty Images

Alimentos ricos em magnésio também são essenciais. A deficiência deste mineral no organismo resulta em fadiga e carência de enzimas envolvidas na produção de energia. Prova disso é que uma pesquisa do Instituto de Psiquiatria da Inglaterra mostrou que os níveis deste mineral são mais baixos em pessoas que sofrem de depressão. As oleaginosas (nozes, castanhas, amêndoas) e peixes, como atum e salmão, são ricos nesse mineral.

Sardinha e aveia reduz a fadiga

Sardinha - Foto: Getty Images
Sardinha - Foto: Getty Images

Estes alimentos são ricos numa substância chamada coenzima Q10, um antioxidante que está envolvido com o processo de produção energética no nosso organismo. "A coenzima Q10 diminui seus níveis com a idade, e a suplementação desta, aumenta a energia, reduz fadiga, além de melhorar sistema imunológico e a textura da pele", explica a nutricionista Daniela Jobst.

Para diminuir o inchaço, diminua o sódio

Embutido - Foto: Getty Images
Embutido - Foto: Getty Images

Para reduzir as quantidades de sódio da alimentação, não basta somente diminuir o sal na comida, mas também diminuir a ingestão de produtos enlatados, conservas e industrializados. "Faça seu próprio molho de tomate em casa e se escolher for consumir conservas, como atum, azeitonas ou palmito, enxague-os em água antes de comer", recomenda a nutricionista Daniela Cyrullin.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Chá branco combate o acúmulo de gordura

Chá branco - Foto: Getty Images
Chá branco - Foto: Getty Images

O chá branco, mais rico em catequinas que o chá verde, tem um efeito antioxidante aumentado, potencializando funcionamento hepático, eliminação de toxinas do organismo e normalização de lipoproteínas (lavacolesterol). Suas substâncias antioxidantes também aumentam o metabolismo basal, auxiliando no controle do acúmulo de gordura visceral.