PUBLICIDADE

Cresce o número de vítimas com câncer de mama, previna-se

Cigarro, álcool e uso contínuo de pílula favorecem esse tipo de tumor

Quando o assunto é câncer de mama, a situação é alarmante, praticamente uma epidemia, segundo o diretor do Instituto Paulista de Cancerologia e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cancerologia, Ricardo Antunes. E por isso mesmo é necessário, mais do que nunca, o diagnóstico precoce. (enfrente a menopausa sem traumas)


"O auto-exame ainda é uma das formas mais eficientes de se fazer isso. Quando a doença é diagnosticada cedo (tumores de 2cm, em média) as chances de cura são de 90%" , afirma o médico. Ele alerta que só o câncer mais avançado provoca a dor. Portanto, se notar algum carocinho, procure imediatamente um mastologista especialidade nem sempre dominada por todos os ginecologistas.

De acordo com Antunes, hoje existem mais de um milhão de novos casos de câncer de mama no mundo a cada ano. Infelizmente, uma em cada 20 mulheres vai desenvolver esse tipo de doença no decorrer da vida e, pior, em 60% a 70% dos casos, o diagnóstico é feito tardiamente, com o tumor já em fase adiantada.



Alguns hábitos, no entanto, aumentam a predisposição à doença. Entre eles, destacam-se o tabagismo (30% dos casos de câncer de mama advêm do vício) e o consumo de bebidas alcoólicas. "Tanto o álcool como o cigarro diminuem a resistência do organismo e favorecem o acúmulo de gordura corporal, o que pode levar ao câncer" , explica o médico. Ter poucos filhos também é identificado pelos especialistas como um fator de risco. Segundo Ricardo, a amamentação protege as mamas contra o câncer.(veja a importância da amamentação para saúde da mãe do bebê)


Recentemente, as campanhas têm focado nas mulheres mais jovens, com menos de 35 anos. Elas se tornaram alvo mais freqüente da doença, em parte, por causa do uso contínuo da pílula, de acordo com o vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cancerologia. As pesquisas indicam que tomar esse tipo de anticoncepcional, de maneira ininterrupta, por mais de dez anos é um fator de risco , afirma. Já na menopausa, é preciso manter um acompanhamento médico rigoroso nos casos de reposição hormonal, evitando o desencadeamento de tumores. (veja a variedade de anticoncepcionais disponíveis atualmente)



Mas, em qualquer idade, as medidas de precaução são as mesmas: mamografia para mulheres acima de 35 anos a cada seis meses e auto-exame mensal, desde a primeira menstruação. O ideal é realizá-lo uma semana após o sangramento, quando os seios já desincharam e não estão mais doloridos.

Quem tem silicone, precisa de cuidados extras. "As próteses dificultam o diagnóstico e atrapalham na hora dos exames. Nesses casos, o uso da ressonância magnética é fundamental" , afirma Ricardo Antunes


4 sintomas

Essas são as pistas mais comuns de que já passou da hora de procurar ajuda. Fique de olho!


- Bico do seio para dentro isso acontece porque o tumor acaba retraindo o mamilo
- Nódulo em qualquer região da mama e embaixo do braço;
- Secreção aquosa, transparente e cristalina
- Pele rugosa, com aparência de casca de laranja, em alguma região do seio.


Veja a seguir como realizar o auto-exame:

1. Primeiro tire a sua blusa e olhe a aparência de suas mamas em frente ao espelho.

2. Levante os braços e, em seguida, vá apalpando os seios.

3. Coloque os braços na cintura e depois, alternando as mãos, continue apalpando. Perceba se há algum nódulo.

4. Deite-se e percorra suas mamas calmamente. Nesta hora, é bom apertar o bico dos seios para ver se não há secreções.



texto6Ds