PUBLICIDADE

Crianças com apneia são mais propensas a ter problemas de comportamento

Hiperatividade e temperamento agressivo são consequências do distúrbio do sono

Adolescentes e crianças com apneia do sono têm um risco maior de problemas comportamentais e de aprendizagem, de acordo com um novo estudo feito pela Universidade do Arizona, em Tucson. A pesquisa foi publicada recentemente no jornal American Academy of Sleep Medicine.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O estudo incluiu 263 crianças com idades entre sete e 15 anos, que foram acompanhadas por cinco anos. Os índices de problemas sociais, comportamentais e de aprendizagem eram de duas a três vezes maiores entre os jovens com apneia do sono em comparação com crianças sem o transtorno. Além disso, os pequenos com apneia apresentaram maiores taxas de hiperatividade, agressão e problemas para controlar as suas emoções e situações sociais.

De acordo com os pesquisadores, se não tratada, a apneia do sono impacta negativamente na capacidade da juventude de regular os seus comportamentos, emoções e interações sociais, interferindo na capacidade do jovem de cuidar de si e se engajar em comportamentos socialmente adequados.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Embora o estudo tenha encontrado uma associação entre a apneia do sono e problemas comportamentais e sociais em adolescentes, os investigadores ainda não podem comprovar uma relação de causa e efeito. Segundo os autores, são necessários mais estudos para obter resultados mais consistentes.

Crianças acima do peso sofrem mais de apneia do sono

Pesquisadores da University of Chicago, nos Estados Unidos, encontraram uma importante relação entre obesidade e distúrbios respiratórios do sono (DRS) entre crianças do ensino fundamental. O estudo envolveu 351 alunos de escolas de Kentucky, Estados Unidos, com idade média de 7,9 anos, que foram submetidos a testes cognitivos após um estudo de seu sono. Analisando os resultados, os pesquisadores descobriram que quanto maior a massa corpórea da criança, maiores as chances de distúrbios respiratórios do sono e problemas cognitivos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sintomas

Roncar e ter falta de ar enquanto dorme não é normal. Esses sintomas, acompanhados de sonolência excessiva durante o dia, podem indicar uma doença: a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono. "A doença diminui a qualidade de vida da pessoa e aumenta a taxa de mortalidade, visto que pode favorecer o aparecimento de problemas cardiovasculares, diabetes e obesidade", alerta a coordenadora médica do Instituto do Sono e professora de Medicina e Biologia do Sono da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Lia Bittencourt.

Diagnóstico

Quando sintomas como ronco e falta de ar durante o sono são notados, acompanhados de dor de cabeça, falta de atenção e perda de memória, é importante procurar um especialista em medicina do sono para fazer o diagnóstico. A confirmação da doença é feita por meio de uma polissonografia, exame que registra diversas funções do organismo durante uma noite passada em um laboratório de sono com sensores colocados na pele e no couro cabeludo.

Tratamentos

A Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono raramente tem cura. "Somente em casos de emagrecimento considerável ou de cirurgias de amígdala e adenoide em crianças ocorre a cura completa", explica a médica do Instituto do Sono. Mas a doença é controlável. Pode contribuir com a melhora dos sintomas o uso de um aparelho elétrico chamado CPAP (sistema de pressão positiva contínua das vias aéreas), que gera um fluxo de ar através de uma máscara no nariz, abrindo a garganta. Equipamentos intraorais que tracionam a mandíbula para abrir passagem para o ar durante a noite também podem ajudar.