PUBLICIDADE

Zika vírus também pode ser transmitido via sexo anal

Caso foi comprovado nos EUA depois do homem passar uma semana na Venezuela

Nesta quinta-feira, 14, o Centro de Controle de Doenças americano (CDC), confirmou o primeiro caso comprovado de Zika vírus transmitido através de sexo anal. O episódio aconteceu nos Estados Unidos, quando um homem que passou uma semana na Venezuela e contraiu o vírus, o transmitiu para o seu parceiro, que não saiu de Dallas, no Texas.

Em países onde a infestação pelo mosquito Aedes aegypti - transmissor da dengue, Zika vírus e febre chikungunya -, não é relevante, como os EUA, a transmissão via sexual é considerada a mais preocupante forma de contágio pelo Zika vírus.

Segundo o CDC, é comprovado que o Zika vírus pode ser transmitido via sexo anal e vaginal, uma vez que é passado através do sêmen da pessoa infectada. Também já se sabe que o vírus pode permanecer ativo por mais tempo no sêmen do que no sangue. Essas descobertas reforçam a recomendação para que o contato sexual seja realizado com preservativos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mais sobre o caso

Em janeiro de 2016, dois dias depois de retornar ao Texas após uma visita de uma semana à Venezuela, o homem - identificado apenas como Paciente A - apresentou febre baixa, manchas vermelhas pelo corpo e conjuntivite que durou três dias. Um dia antes e um dia depois de ter apresentado os sintomas, o Paciente A teve relações sexuais anais sem preservativo com o seu companheiro, o Paciente B. Depois de sete dias o paciente B apresentou os mesmos sintomas, além de dor de cabeça, dores no corpo e letargia. Os pacientes A e B têm sido monogâmicos por mais de dez anos e não apresentavam lesões genitais ou anais.

O Paciente A reportou que na região que estava, na Venezuela, muitas pessoas estavam apresentando os sintomas e foram diagnosticadas com Zika vírus. Ambos os pacientes tiveram amostras sorológicas colhidas e analisadas, comprovando a infecção por Zika e, uma vez que o paciente B não esteve em nenhuma área de risco, os pesquisadores concluíram que a transmissão foi através de sexo anal com o seu parceiro. A Venezuela tem transmissão autóctone do vírus confirmada desde novembro de 2015.