PUBLICIDADE

Pesquisadores criam droga capaz de bronzear a pele sem a necessidade de tomar sol

Com isso cientistas acreditam que podem diminuir os índices de câncer de pele

Um grupo de cientistas da Universidade de Massachusetts desenvolveu uma substância capaz de imitar a luz do sol e bronzear a pele, mas sem a necessidade de exposição.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O estudo aponta que, quando aplicada sobre a pele, a substância seria capaz de estimular a produção de melanina. Até o momento, a droga foi testada unicamente em ratos, mas o cientistas acreditam que ela pode obter sucesso em seres humanos.

De acordo com os cientistas, até pessoas de pele mais clara poderiam se beneficiar da novidade. Além disso, também haveria a possibilidade de diminuir os índices de câncer de pele e até reduzir as consequências do envelhecimento causado pela luz do sol.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Como funciona o processo de bronzeamento

Quando tomamos sol, nossa pele é exposta a raios ultravioletas. Diante dessa condição, o corpo produz melanina como forma de protegê-lo da agressão causada pela radiação. O bronzeamento da pele acontece é, então, uma consequência do aumento de produção de melanina.

A Terra recebe dois tipos de radiação ultravioleta, a UVA e UVB. Os raios UVB são responsáveis pelas queimaduras solares, mas também estimulam a produção de melanina e, portanto, o surgimento do bronzeado. São eles os responsáveis por, além da vermelhidão, uma alteração do DNA das células cutâneas. Já os raios UVA representam 95% dos raios ultravioleta que atingem a pele e são os principais responsáveis pelo envelhecimento prematuro da pele: rugas, manchas, perda de elasticidade e ressecamento.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mais do que uma alternativa a exposição solar excessiva, os cientistas esperam que consigam desenvolver uma droga capaz de proteger a pele contra os raios solares.

Panorama do câncer de pele no Brasil

O câncer de pele do tipo não melanoma é o mais incidente no Brasil, correspondendo a 25% de todos os tumores malignos registrados no país, segundo o Instituto Nacional do Câncer. A maneira mais simples de prevenir o câncer de pele ou identificá-lo em um estágio inicial é visitando o dermatologista. Pequenos sinais ou condições da nossa pele podem denunciar o momento de visitar o profissional.