PUBLICIDADE

Garoto de 9 anos sofre parada cardíaca ao comer cachorro-quente

Os médicos diagnosticaram o menino como portador da Síndrome de Brugada, uma doença rara e de difícil identificação

Uma história surpreendente vem chamando a atenção de médicos e internautas. No início de setembro, o canal a cabo de notícias norte-americano, CNN, divulgou a notícia de um menino de 9 anos teve uma parada cardíaca após dar uma mordida em um cachorro-quente na Turquia.

O garoto foi levado imediatamente para o hospital mais próximo. Apesar do susto, a história teve um final feliz: após a desfibrilação, a criança foi ressuscitada e se recuperou plenamente.

O acontecimento intrigou os médicos, já que o menino não possuía em seu histórico familiar casos de problemas cardíacos, isso levou a primeira suspeita de que seria mais um caso de engasgamento, muito comum entre crianças.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No entanto, ao realizarem uma análise mais profunda sobre o incidente, os especialistas descobriram que o problema não foi causado por engasgamento, como esperado, mas sim por uma síndrome rara da qual a criança sofre.

Segundo as investigações lideradas por Isa Ozyilmaz, médico do Hospital Mehmet Akif Ersoy, especializado em pesquisa e em cirurgias torácicas e cardiovasculares, o pedaço de cachorro-quente estimulou o nervo vago (que se estende da cabeça ao abdome) do menino.

Desta forma, esse estímulo gerou um ritmo cardíaco anormal no garoto, fazendo com que o coração dele parasse abruptamente de bater. Após realizar uma série de exames, a equipe descobriu que o menino era portador da Síndrome de Brugada.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O que é Síndrome de Brugada?

A síndrome de Brugada é um problema de ritmo cardíaco hereditário. Essa doença foi descoberta em 1992 pelo cardiologista espanhol Josep Brugada e seus irmãos, por isso leva este nome.

De acordo com Anne Dubin, professora de cardiologia pediátrica do Hospital Infantil Lucile Packard, de Stanford, o diagnóstico para síndrome é difícil e ainda não existe um número exato de portadores. Contudo, os médicos afirmam que a maioria das pessoas que desenvolve sintomas da Síndrome de Brugada são homens entre 20 e 60 anos, o que torna o caso do menino turco extremamente raro

"No que diz respeito à síndrome de Brugada sintomática, trabalho na eletrofisiologia pediátrica há 23 anos, e provavelmente só vi dois ou três casos", comentou a Dra. Anne. Muitas chegam até o fim da vida sem saber que sofrem disso.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"As pessoas não devem entrar em pânico. Se você tem uma história familiar de pessoas que morrem de repente, sem motivo conhecido, ou se você tem alguém em sua família que foi diagnosticado com síndrome de Brugada quando adulto, leve as crianças para uma avaliação", revelou.

Após o ocorrido, os médicos implantaram um desfibrilador em seu peito do menino para prevenir uma parada súbita cardíaca no futuro. "Isso é muito mais normal em adultos, mas às vezes acontece. Não há muito o que podemos fazer pelas pessoas, e a principal maneira de tratá-las é com um desfibrilador", afirmou a médica.

Apesar desse caso não se aplicar à maioria das crianças, é preciso que os médicos e pais estejam cientes de que a Síndrome De Brugada pode provocar risco de vida aos mais jovens.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"As crianças se sufocam com os cachorros-quentes e com comida o tempo todo e, às vezes, sofrem uma parada cardíaca. Os pediatras presumem que esta é sempre uma questão de via aérea. Mas este relatório de caso indica que as crianças que se engasgam com os alimentos e que têm parada cardíaca também precisam ser examinadas para a Síndrome de Brugada", disse Elizabeth Saarel, chefe de cardiologia do Cleveland Clinic Children's Hospital e porta-voz da Academia Americana de Pediatria.