PUBLICIDADE

Diagnóstico de câncer de mama impacta mais a família do que pacientes, diz pesquisa

88% dos familiares entrevistados relataram muito sofrimento, contra 72% das pacientes

A Pfizer, empresa farmacêutica, está lançando um novo medicamento para pacientes com câncer de mama metastático, ou seja, que já se espalhou para outras regiões do corpo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Apesar de ser uma doença grave, muitas mulheres conseguem conviver por algum tempo com essa diagnóstico, e esse é o objetivo do novo tratamento (chamado Ibrance, feito com a substância palbociclibe) tem o objetivo de melhorar a qualidade de vida da paciente.

Para essa divulgação, a Pfizer lançou uma pesquisa inédita conduzida pelo instituto Provokers, avaliando o impacto da doença no contexto familiar e doméstico, com a iniciativa de conhecer a percepção da paciente e sua família (companheiro, filhos, pais e outros) a respeito da doença.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Para a análise foram recrutados 170 pacientes com idade entre 18 e 65 anos e 240 familiares. A pesquisa foi realizada em nove capitais brasileiras em entrevistas quantitativas e qualitativas que duraram cerca de 40 minutos.

Sentimento de culpa

Os sentimentos predominantes no momento do diagnóstico foram tristeza, medo e insegurança. Muitas vezes a notícia da metástase é mais devastadora do que a notícia inicial do câncer em si, de acordo com o oncologista Sérgio Simon, presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC).

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A pesquisa mostrou que 72% das pacientes relatam muito sofrimento pela descoberta da doença. Porém, 88% dos familiares relatam mais sofrimento, ou seja, esses são mais impactados depois de descobrirem que alguém da família está com câncer de mama.

O estudo relata que a maioria das pacientes percebe a dor dos familiares e se sente responsável por esse sofrimento. 52% das pacientes respondeu "meu filho/mãe/marido vive com medo e inseguro", e 51% afirmou que "minha família sente o peso da minha doença".

Amparo emocional

O câncer é uma doença que acaba envolvendo a família inteira. Dessa forma, o apoio emocional é importantíssimo no momento do tratamento. 96% das pacientes afirmam que os familiares demonstram apoio em todos os momentos.

Segundo a pesquisa, muitas vezes os gestos acolhedores e a parceria são mais lembrados do que o auxílio com atividades do dia a dia.

Nova realidade

89% das pacientes afirmam que a rotina mudou depois do diagnóstico. Diversas queixas foram relatadas, a principal é ter que abandonar o trabalho. Isso causou inclusive uma queda na renda, que é muito necessária neste período, até devido ao aumento das despesas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A sexualidade também se torna uma questão: muitas entrevistadas relataram perda de libido (resultado da hormonioterapia), vergonha do próprio corpo e não se sentir confortável com o toque do parceiro nas mamas. Esse último aspecto foi sentido por 51% dos companheiros entrevistados também.

Porém, existem mudanças positivas no estilo de vida como, por exemplo, melhora da alimentação, apesar de só terem sido reconhecidas por 19% das entrevistadas.