OMS sugere que novo coronavírus pode ser transmitido pelo ar

Evidências científicas apontam para riscos de transmissão do vírus em locais fechados e com pouca ou nenhuma ventilação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou, nesta quinta-feira (9), um novo informe científico em que sugere que o novo coronavírus pode ser transmitido pelo ar. Segundo o documento, há evidências de que o vírus permanece suspenso em ambientes fechados por meio de micro partículas respiratórias, contaminando pessoas saudáveis mesmo que elas estejam distantes de quem está infectado.

A notificação da OMS se baseia em descobertas de diversos estudos que avaliaram o risco de transmissão aérea do SARS-CoV-2. Antes, a entidade considerava que o vírus causador da COVID-19 conseguia se espalhar principalmente pelas grandes gotículas respiratórias que são expelidas em tosses e espirros de pessoas contaminadas.

"Alguns surtos relacionados a ambientes fechados com concentração de pessoas sugerem a possibilidade de transmissão aérea [do coronavírus], combinada à transmissão por gotículas emitidas, por exemplo, durante a prática de canto [em igrejas], em restaurantes ou em academias", afirma a OMS no documento, reforçando que este cenário de disseminação do vírus não pode ser descartado.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Transmissão do coronavírus pelo ar

No documento, a OMS explica que a transmissão aérea do SARS-CoV-2 pode acontecer durante alguns procedimentos médicos que produzem aerossóis (gotículas muito pequenas), que são capazes de permanecer suspensos no ar por longos períodos de tempo.

"Assim, uma pessoa poderia inalar os aerossóis e ser contaminada, caso essas gotículas contenham o vírus em quantidade suficiente para causar uma infecção", informa o texto. Algo similar poderia ocorrer quando uma pessoa infectada tosse, espirra, fala ou canta, especialmente em ambientes fechados com pouca ou nenhuma ventilação.

A organização afirma ainda que não se sabe qual é a proporção de gotículas emitidas que conseguem "evaporar" e virar aerossóis, nem a quantidade de partículas infecciosas que são necessárias para contaminar alguém. Dessa forma, a OMS advertiu que é preciso mais investigação científica sobre o tema.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Vale ressaltar que, atualmente, os órgãos públicos de saúde consideram que transmissão do novo coronavírus acontece principalmente: de pessoa para pessoa (através de beijos, abraços e outros tipos de toque) ou por contato próximo (através de superfícies e objetos contaminados por gotículas respiratórias provenientes de espirros, tosse e fala de indivíduos infectados).

Cuidados de prevenção

Se for confirmada, a hipótese de transmissão aérea do novo coronavírus pode mudar drasticamente os protocolos de reabertura de espaços públicos fechados, como restaurantes, bares, igrejas, cinemas, escolas, faculdades e academias. Por enquanto, o uso de máscaras é obrigatório nesses ambientes como forma de se prevenir de um possível contágio.

Além das máscaras, medidas como lavar as mãos e manter o distanciamento social continuam sendo importantes. Em casa ou em qualquer estabelecimento que concentre pessoas, existe a indicação de manter uma boa ventilação do ambiente, com janelas e portas abertas, para ajudar na dispersão do vírus.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Saiba mais sobre a COVID-19

Por que os fumantes correm mais riscos com a COVID-19?

Quando uma pessoa é considerada curada da COVID-19?

Diarreia pode ser sintoma de coronavírus: veja cuidados

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)