Disfunções temporomandibulares: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Disfunções temporomandibulares?

Sinônimos: atm, dtm, disfunção da articulação temporomandibular

Disfunções temporomandibulares (DTM) são um resultado de problemas no maxilar, articulações maxilares e músculos da mastigação. Outro nome comum para esse problema são disfunções da ATM.

A articulação temporomandibular é aquela que liga o maxilar inferior (mandíbula) ao osso temporal do crânio, localizado à frente das orelhas em cada lado da cabeça. Essa articulação é flexível, permitindo que você mastigue, fale e morda alimentos. Os músculos dessa articulação e aqueles em torno dela são responsáveis por controlar a posição e movimentos da mandíbula.

As disfunções temporomandibulares são um grupo de condições que podem causar dor, dificuldade de abrir ou fechar a boca, zumbidos e podem ser decorrentes de problemas musculares, articulares ou como consequência de doenças sistêmicas.

Sinônimos

DTM, Disfunção da articulação temporomandibular, ATM

A causa de distúrbios da articulação temporomandibular é desconhecida em muitos casos. Trauma na mandíbula ou conjunta pode desempenhar um papel no desenvolvimento de distúrbios da ATM. Além disso, existem outras condições de saúde que podem contribuir para o desenvolvimento destas patologias. Estes incluem:

  • Artrite na articulação temporomandibular
  • Danos na articulação causados por impacto ou idade
  • Ranger os dentes
  • Problemas estruturais presentes no nascimento.

Causas

A causa de distúrbios da articulação temporomandibular é desconhecida em muitos casos. Trauma na mandíbula ou conjunta pode desempenhar um papel no desenvolvimento de distúrbios da ATM. Além disso, existem outras condições de saúde que podem contribuir para o desenvolvimento destas patologias. Estes incluem:

  • Artrite na articulação temporomandibular
  • Danos na articulação causados por impacto ou idade
  • Ranger os dentes
  • Problemas estruturais presentes no nascimento
  • Estresse e tensão muscular.

Fatores de risco

A DTM ocorre mais comumente em mulheres entre 20 e 40 anos, mas pode ocorrer com qualquer pessoa.

Outros fatores estão associados com o desenvolvimento de distúrbios da ATM. No entanto, não há provas de que esse fatores causem os transtornos. Eles incluem:

  • Uso prolongado de aparelhos ortodônticos
  • Má postura, que afeta os músculos do pescoço e rosto
  • Estresse
  • Má alimentação
  • Falta de sono.

Sintomas

Sintomas de Disfunções temporomandibulares

Pessoas com disfunções temporomandibulares podem sentir uma forte dor e desconforto, que pode ser temporária ou durar muitos anos. A dor e sensibilidade ocorrem mais comumente nesses lugares:

  • Rosto
  • Área correspondente à articulação temporomandibular
  • Pescoço
  • Ombros
  • Ao redor da orelha durante a mastigação, ao falar ou abrir a boca.

Os sintomas comuns de disfunções temporomandibulares são:

  • Capacidade limitada para abrir a boca
  • Maxilar “preso” na posição de boca fechada ou aberta
  • Sons saindo da articulação ao abrir ou fechar a boca ou mastigar. Pode ou não ser acompanhados de dor
  • Sensação de cansaço no rosto
  • Dificuldade para mastigar ou ter uma mordida repentina desconfortável - como se os dentes superiores e inferiores não estivessem encaixando corretamente
  • Inchaço do lado da face
  • Zumbidos.

Esses sintomas podem ocorrer em um ou ambos os lados da face.

Outros sintomas comuns da DTM incluem dores de dente, dores de cabeça, tontura, dores de ouvido, problemas de audição, dor no ombro superior e zumbido nos ouvidos.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Marque uma consulta se você tem dor persistente no maxilar, ou se você não consegue abrir e fechar sua boca completamente.

Na consulta médica

Especialistas que podem acompanhar disfunções temporomandibulares são:

  • Dentista
  • Cirurgião buco-maxilar
  • Cirurgião Crânio-Maxilo-Facial.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando os sintomas começaram?
  • A dor é persistente ou vai e volta?
  • O que, se alguma coisa, parece piorar os sintomas?
  • O que, se alguma coisa, parece melhorar os sintomas?
  • A sua mandíbula faz algum barulho quando você a movimenta? É doloroso?
  • É difícil abrir e fechar a boca normalmente?
  • Você passou por algum momento de estresse recentemente?
  • Você sente dores de cabeça, nos ombros ou no pescoço?.

Não hesite em fazer perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de Disfunções temporomandibulares

Distúrbios da ATM podem ser difíceis de diagnosticar. Não existem testes padronizados para diagnosticar estas desordens. Se você tiver sintomas de uma disfunção temporomandibular será realizado exame físico com verificação de dor à palpação dos músculos responsáveis pela mastigação, desvios na mandíbula ao abrir e fechar a boca, estalos ao movimentar a mandíbula, alterações nos dentes ou na mordida.

Além disso, podem ser pedidos exames de imagem. Estes incluem:

  • RaioX da mandíbula
  • Tomografia computadorizada da mandíbula
  • Ressonância magnética da mandíbula.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Disfunções temporomandibulares

Em alguns casos, como em casos de trauma agudo ou tensionamento por um estresse momentâneo, os sintomas de DTM podem passar sem tratamento. Se os sintomas persistirem, o médico ou médica pode recomendar uma variedade de tratamentos baseado nas alterações encontradas no exame físico e nos exames de imagem.

Medicamentos

Os medicamentos que podem ajudar a aliviar as dores da disfunção temporomandibular incluem:

  • Analgésicos
  • Antidepressivos tricíclicos
  • Relaxantes musculares
  • Sedativos.

Entretanto, a maioria dos medicamentos necessita de receita médica para serem usados.

Terapias

Tratamentos não-cirúrgicos e não-farmacêuticos incluem:

  • Talas orais. Muitas vezes, as pessoas com dor no maxilar podem se beneficiar de um dispositivo macia ou firme inserido sobre os dentes
  • Fisioterapia nos músculos do maxilar
  • Terapia psicológica, para pessoas que tem a DTM por fatores emocionais, como estresse.

Cirurgias e procedimentos

Quando outros métodos não funcionam, é possível tratar a DTM com procedimentos como:

  • Artrocentese, que é a injeção de um fluído para irrigar a articulação mandibular
  • Artroscopia: cirurgia realizada com uma câmera para remoção de tecidos inflamados da articulação
  • Cirurgia de reparação da articulação. Ela só é utilizada quando outros tratamentos não funcionam ou a pessoa tem um problema estrutural na articulação
  • Toxina botulínica para promover relaxamento muscular e menor tensão na região articular, aliviando a dor e diminuindo o processo inflamatório.

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Algumas técnicas podem ser usadas durante as crises para aliviar a dor causada pela disfunção temporomandibular:

  • Aplique compressas frias (um antiinflamatório natural)
  • Coma alimentos fáceis de mastigar
  • Evite movimentos bruscos com a mandíbula
  • Não descanse o queixo nas mãos ou segure o telefone entre o ombro e o rosto
  • Evite ranger ou apertar os dentes. Para controlar esse impulso, procure manter a língua entre os dentes
  • Aprenda exercícios de relaxamento para aliviar a tensão no maxilar.

Expectativas

Se você desenvolver uma disfunção temporomandibular, as chances de cura dependem da causa. Em alguns casos, a DTM se cura sozinha em outros tratamentos menos invasivos são bem sucedidos. Em poucos casos podem ser necessários procedimentos cirúrgicos.

É sempre importante verificar a presença de doenças sistêmicas como atrites, que, além de acometer outras articulações, necessitam de abordagens específicas. Também, apesar de raro, é possível o aparecimento de tumores na região.

As alterações articulares são crônicas e muitas vezes, irreversíveis, portanto o tratamento no início do problema garante melhores resultados.

Prevenção

Prevenção

Um estilo de vida saudável, com maior controle das situações de estresse garante menor tensão muscular e consequentemente, menor tensão e desgaste na articulação.

Evitar sobrecarga ou esforço intenso na articulação, como tentar morder coisas muito duras, hábito de apoiar a mandíbula com as mãos.

Prestar atenção na postura, mantendo a coluna ereta, ajuda a evitar sobrecarga na articulação devido à atividade muscular incorreta proporcionada pela má postura.

Perguntas sobre disfunções temporomandibulares

Fontes e referências

  • -National Institute of Dental and Craniofacial Research;American Academy of Otolaryngology.