PUBLICIDADE

Excluir alimentos da dieta não emagrece: especialista explica

Veja como o seu organismo reage quando você faz uma dieta muito restritiva e como isso pode, na verdade, favorecer o ganho de peso

Sempre que vem em mente a ideia sobre emagrecer, automaticamente nosso pensamento se volta na ideia sobre o que iremos cortar da dieta. E, na maioria dos casos, os carboidratos se tornam o primeiro da lista, seguido por doces, frituras e gorduras em geral, pois acabam sendo tidos como os "vilões" da nossa alimentação e tachados como proibidos quando o assunto é emagrecimento.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

É claro que cortes drásticos em calorias e retiradas de vários itens de uma rotina alimentar vão gerar um déficit calórico e isso pode impactar em uma perda de peso até rápida em alguns casos, porém de forma não contínua e não saudável, pois nosso organismo se mune de artifícios para brecar esta perda.

Além do fator adaptativo do nosso metabolismo, fazendo com que este gasto seja reduzido para nos preservar, uma vez que nosso organismo começa a trabalhar para poupar energia, ao cortar algum alimento que gostamos ou que tenha algum valor sentimental em nossa vida, corremos um risco maior de despertar uma situação de compulsão alimentar.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Outro fator para analisar é que, ao cortar grandes e importantes grupos, como carboidratos e até mesmo as gorduras de forma incorreta, podemos desencadear desordens em nosso metabolismo, prejudicando inclusive o processo de emagrecimento.

Verdade é que não existe uma dieta milagrosa capaz de proporcionar o emagrecimento. O que existe é uma dieta equilibrada, com algumas estratégias e principalmente livre de grandes privações. Além do risco de despertar a compulsão alimentar, cortar algum grupo de alimento da rotina alimentar de forma indevida pode ser algo perigoso do ponto de vista nutricional.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A incansável procura pelo emagrecimento fácil e as inúmeras ofertas de programas de emagrecimento milagrosos e rápidos tornam tudo muito atrativo e perigoso. Já observaram que a grande maioria, senão todos os casos de dietas restritivas e desequilibradas, terminam tendo um reganho do peso perdido e, em alguns casos, mais uns quilinhos extras?

Isso se deve em parte ao fato de que quando uma pessoa passa por uma dieta muito severa e sem equilíbrio dos grupos alimentares, ela passa a pensar cada vez mais em comida. E, no momento em que se adota uma grande restrição alimentar, pode ocorrer o aumento do apetite e também a diminuição do metabolismo. E. neste contexto, futuramente passamos a comer mais e gastar menos.

É uma forma do nosso organismo se armar para garantir a nossa sobrevivência e, às vezes, ele termina fazendo com que possamos armazenar ainda mais energia do que seria armazenada antes de iniciar a dieta. Quando trabalhamos com um aporte calórico muito baixo, uma forma de o organismo garantir nossa sobrevivência é trabalhar em modo econômico e este modo econômico é o que vai ter um impacto negativo futuramente.

Quando além do modo econômico, ou seja, com metabolismo mais lento, ainda oferecemos nutrientes de forma inadequada, tanto macros (carboidratos, proteínas e lipídeos) quanto micronutrientes (vitaminas e minerais) podemos comprometer o trabalho de todo organismo.

Para uma perda de peso saudável, é necessário realizar a quebra da gordura, mas também a sua oxidação (queima) e isto acontece dentro da mitocôndria (estruturas que realizam a respiração celular e que são capazes de oxidar a gordura que foi "quebrada"). E este processo é dependente de certos nutrientes que, se estiverem sendo consumidos de forma insuficiente, podem prejudicar o processo de emagrecimento.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Portanto fora a questão do desequilíbrio que não permite o funcionamento harmônico e orgânico para perda de peso, a questão dieta restritiva pode desencadear transtornos alimentares, uma vez que diante da restrição nosso foco passa a ser o que se "pode" e o que "não pode" ser consumido e ainda gerar um sentimento de culpa quando se consome algo tido como proibido. E como uma dieta restritiva não é sustentável, quando finaliza este período não se sabe como lidar com o alimento e tudo toma uma proporção maior, com grandes chances de ganho de peso excessivo, por consumo exagerado e novamente inadequado.

A perda de peso saudável deve ser aquela onde se torna possível gerar uma perda de gordura corporal, com a maior quantidade calórica possível, pois assim não se tem impacto negativo em metabolismo, além de oferecer através de uma dieta equilibrada, todos nutrientes para que a "máquina" trabalhe a nosso favor neste processo.